segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

CGU encontra irregularidades em contrato dos Correios com empresa MTA

Erenice:Indicios de envolvimento de seu filho...
Do UOL Notícias - São Paulo:
A Controladoria-Geral da União (CGU) afirmou na última sexta-feira (28) que encontrou uma "série de irregularidades" nos contratos dos Correios com a empresa Master Top Linhas Aéreas S/A (MTA). A empresa foi acusada de ter contratado consultoria de um filho da ex-ministra da casa civil, Erenice Guerra, para conseguir contratos com o governo.
Em setembro do ano passado, quando as denúncias foram publicadas, a MTA afirmou que nunca teve relações "comerciais" com a ex-ministra Erenice Guerra nem com seu filho Israel Guerra, que era apontado como lobista no governo federal.
A CGU informou que encaminhou hoje ao Tribunal de Contas da União, ao Ministério Público Federal (MP) e à Polícia Federal (PF), os resultados dos trabalhos de auditoria feitos nos contratos dos Correios com a MTA. O trabalho da CGU vai auxiliar as apurações da PF e do MP sobre a suposta ocorrência de tráfico de influência nas relações entre a MTA e a ECT, como denunciado pela imprensa no final do ano passado.
Segundo a Controladoria, a auditoria revelou que houve irregularidades em contratos firmados para a prestação de serviços de transporte de carga por meio da Rede Postal Aérea Noturna. Foram analisados todos os contratos, em número de quatro, celebrados ao longo do ano de 2010, alguns decorrentes de pregões eletrônicos e outros de dispensa de licitação, com valor total de R$ 59,8 milhões.
A ECT mantinha um contrato com a MTA para transporte de carga postal aérea de São Paulo para Manaus, ao preço unitário de R$ 1,99 por quilo. Em seguida, celebrou outro contrato com a mesma empresa, para o trecho Brasília-Manaus, ao preço de R$ 3,70 por quilo (quase o dobro do anterior, embora sendo menor a distância e o tempo de vôo), devido ao fato de ser bem menor o volume de carga previsto para esse trecho.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Como construir uma boa imagem

O primeiro ano do governo da presidente Dilma Rousseff deverá gastar em publicidade quase o mesmo valor utilizado por seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, no último ano de mandato. O montante aprovado para campanhas publicitárias institucionais do governo em 2011 é de R$ 622 milhões, contra R$ 650 milhões de Lula. O total equivale, para efeito de comparação, aos R$ 700 milhões liberados por meio de Medida Provisória ao Ministério de Integração Nacional para prevenção de tragédias como a ocorrida na Região Serrana do Rio ( Veja tabela ).
Contas Abertas revela que, considerada a população de 190,7 milhões de habitantes, cada brasileiro está pagando R$ 3,27 para obter informações sobre os atos públicos do governo. Além disso, com os R$ 622 milhões disponíveis, o governo poderia gastar até R$ 1,7 milhão por dia com publicidade, o que deve despertar a cobiça das mais variadas agências e produtoras do país.
Os R$ 622 milhões aprovados serão divididos entre 54 órgãos. Quem ficou com a maior fatia deste bolo foi a própria Presidência da República, que terá à sua disposição R$ 210,3 milhões para gastar em publicidade, cerca de R$ 21 milhões a mais do que foi gasto ano passado, quando a despesa superou R$ 185 milhões. * * Extraído do texto por Reinaldo Azevedo

Meirelles, o retorno

Do Banco Central aos Jogos - Meirelles: agora, tocador de obras
Dilma Rousseff bateu o martelo: Henrique Meirelles integrará o seu governo. Meirelles comandará a Autoridade Pública Olímpica (APO), órgão que coordenará as ações do governo para o planejamento e a entrega das obras necessárias à realização da Olimpíada 2016.
Numa palavra, caberá a Meirelles tocar as obras dos Jogos, espantando o temor do atraso e do superfaturamento.
*Por Lauro Jardim, na Veja

Deputados querem mais dinheiro do povo

O IG fez uma pesquisa com os deputados eleitos e tem várias notícias: umas boas e outras más.
As boas é que a maioria dos deputados não é favorável à CPMF, à legalização do aborto, à Lei da Palmada, à descriminização das drogas, a legalização dos bingos e aceita discutir a redução da maioridade penal.
Agora as más: Querem financiamento público de campanha. Vejam o que escreve Reinaldo Azevedo:
"Caso a proposta seja apresentada, será facilmente aprovada, a menos que o tema ganhe as ruas —  e a rejeição do eleitorado. Note-se que 99 deputados deixaram de responder a pesquisa, 30 não sabem, e nada menos de 74 querem financiamento púbico e privado. Em suma: já existe a maioria necessária para tungar o seu bolso."
Portanto precisamos imediatamente começar a brigar - financiamento público de campanha NÃO! Voto em lista fechada NÃO.
Precisamos deixar bem claro que não podemos aceitar que o dinheiro dos impostos vá  pagar campanha para político. Eles receberiam dos dois lados. Quem não tem competência não se estabelece. Quem não tem como bancar campanha vá trabalhar. Como vou concordar em preparar o gigolô que vai me explorar pelos próximos 4 (ou mais) anos? Desculpem mas quem sustenta cafetão são as meninas da vida alegre!
*Maria Aparecida Fraga Ferreira, por e-mail, via resistência democrática

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

FHC x LULA

João Mellão Neto - O Estado de S.Paulo:
Quem foi melhor para o Brasil, FHC ou Lula? Creio que agora, com Dilma eleita e empossada, já se pode fazer uma avaliação isenta de paixões. Isso é importante porque as novas gerações só se recordam do governo Lula.
O de FHC desenvolveu-se quando boa parte dos jovens atuais era criança. Eles não têm opinião formada sobre o que foi a gestão de Fernando Henrique Cardoso.
FHC e Lula vivem trocando agulhadas. E - quem diria - já foram aliados, no passado. Foi nos anos 70, quando ambos, ombro a ombro, lutavam contra o regime militar.
Afastaram-se na década seguinte. Lula tratou de fundar o PT e o professor Cardoso, na condição de suplente de Franco Montoro, assumiu a senatoria quando este se elegeu governador.
Alguns anos depois ajudou a tornar viável um novo partido, o PSDB, formado por dissidentes do PMDB. Por suas opções partidárias, ambos ficaram no sereno durante muito tempo. Mas suas apostas, no longo prazo, mostraram-se acertadas. Os dois, com elas, chegaram à Presidência da República.
E agora, desde os anos 90, tanto PT quanto PSDB são os dois principais partidos que disputam os corações e mentes da opinião pública. Ao menos da parcela que se acredita esclarecida.
FHC e Lula, cada um pôde reinar durante oito anos. Foram eleitos e reeleitos para o posto. Ambos lograram formar folgadas maiorias no Congresso. Fernando Henrique aproveitou-as para fazer profundas reformas na economia. Lula, que lhe sucedeu, fez o carro deslanchar e tratou de, sozinho, recolher os louros da retomada do desenvolvimento e também do soerguimento da autoestima dos brasileiros.
É difícil afirmar, de forma isenta, qual deles foi o mais importante para o Brasil. Em termos de mudanças, FHC foi o mais efetivo. Já quanto à popularidade, foi Lula quem se saiu melhor.
Embora Lula insista em afirmar que a História do Brasil teve início no dia em que o PT chegou ao poder, eu - que não nasci em 2003 - tenho uma visão mais crítica do processo. Venho seguindo o noticiário político e econômico desde que me tornei adulto. Pelas minhas contas, já pude acompanhar a trajetória de oito presidentes, dez governadores do Estado e 12 prefeitos da capital.
Dentre essas três dezenas de governantes, já houve de tudo: militares, civis, eleitos nas urnas, eleitos indiretamente, vices que assumiram, nomeados e também interinos. Houve quem morresse antes de tomar posse e quem fosse impedido em meio ao mandato. Alguns acreditavam falar com Deus; outros, ainda, deixavam Deus esperando na linha.
Alguns eram direitistas e outros, esquerdistas. E muitos eram, também, populistas. Governantes que cultuaram a fama de trabalhar demais, a maioria que se contentava em trabalhar o suficiente e ainda os que, manifestamente, não gostavam de trabalhar. Como diz o povo, houve gente que não era capaz de nada e gente que era capaz de tudo.
Eu fiz oposição a alguns e fui simpático a outros.
Quais foram os melhores? Com mais de três décadas de experiência, confesso que não sei dizer.
Presidentes, governadores e prefeitos, nenhum deles governou sozinho. Todos tiveram equipes qualificadas e assessores especializados. Deram-se melhor os que souberam evitar os áulicos, descobrir talentos, liderar equipes e garantir, politicamente, a sua governabilidade Mais de meio século atrás, o então prefeito Prestes Maia já reconhecia que "governa melhor um político cercado de técnicos do que um técnico cercado de políticos". E olhem que ele era um técnico.
Iniciei a minha carreira profissional, como jornalista, comentando economia e política no rádio e na TV. Pude constatar que todos os governantes, sem exceção, começaram suas administrações com inúmeros projetos, propostas, promessas e boas intenções. Ao término de seus mandatos, alguns anos depois, bastava contar as suas realizações para perceber que quase nenhuma de suas metas fora atingida. Ao menos não na forma que eles haviam previsto.
Os que lograram marcar presença não foram, necessariamente, os que intentavam criar um novo mundo. Foram aqueles que souberam captar o Zeitgeist - o espírito do tempo, ou da época, como se diz.
O fato é que numa gestão é preciso saber conciliar a sorte com a virtude. Bons jogadores não são apenas os que sempre recebem boas cartas. São também os que fazem o melhor com as cartas que têm.
Alguns lograram êxito. Outros se celebrizaram como exemplos a não serem seguidos.
Os governos de Lula e FHC foram, no meu entender, complementares. Quer no que se refere à retomada do desenvolvimento, quer nas políticas de combate à miséria, o mérito de Lula foi o de pavimentar as picadas que Fernando Henrique já havia aberto.
Se em 2009 a economia brasileira se saiu bem da crise, isso se deve em boa parte à robustez de nosso sistema financeiro. E este só é forte porque foi saneado e normatizado no governo anterior.
Quanto aos programas sociais, como o Bolsa-Família, foi no governo de Lula que se consolidou a ideia, mas foi no de Fernando Henrique que ela se tornou realidade.
O problema é que, atualmente, o que se percebe é que, de tudo o que foi feito, coube somente a Lula a colheita de resultados. O que sobrou para FHC foi apenas o sofrimento das consequências.
Nas últimas eleições, isso ficou patente: quase todo mundo pegou carona na popularidade de Lula e poucos foram os que se atreveram a falar bem de Fernando Henrique.
A nossa posteridade há de fazer justiça. O teste do tempo é implacável: destrói tanto modismos quanto reputações artificiais. E perante a História não basta ser popular para garantir uma vaga.
*BLOG: WWW.BLOGDOMELLAO.COM.BR

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Oposição lastimável...

Eu? Confiar na oposição? Vocês só podem estar brincando!
Alguns leitores estão me confundindo, acreditando que estou a depositar esperanças excessivas nas oposições, especialmente no PSDB. Eu não deposito esperança em ninguém. Confiança tampouco n— só em mim mesmo e em mais uma meia-dúzia. A questão não é essa. Definitivamente, não é.
As oposições me interessam como um elemento, vamos lá, institucional. Se elas deixam de fazer o seu trabalho — vigiar o governo e apresentar alternativas —-, ele passa a falar sozinho, o que é ruim para a democracia e, sim!, para a vida das pessoas, como evidencia a tragédia do Rio de Janeiro.
Querem ver? Dilma anunciou hoje a construção de 6 mil casas para desabrigados do Rio pelo programa Minhas Casa, Minha Vida. Mas não deu prazo! Há pouco mais de dois anos, ela própria fez saber que o governo financiaria um milhão de casas Brasil afora. Inicialmente, prometeu-se tudo para 2010. Duvidei — está em arquivo. Dias depois, Lula afirmou que não havia data certa para cumprir a meta. Bem, sem data, escrevi, dá para prometer 100 milhões! Desde o início do programa até agora, o “Minha Casa, Minha Vida” entregou pouco mais de 10% das residências. Na eleição de 2010, a petista dobrou a aposta: mais 2 milhões, como se aquele primeiro milhão já fosse realidade.
Dilma falava hoje a empresários da construção civil, grandes interessados no programa, é claro. Eles também prometeram casas — 2 mil. Sem prazo. Aliás, uma pessoa com um mínimo de raciocínio matemático se espanta, não? Ou o governo, com 6 mil, entrega um número pífio, ou os empresários, com 2 mil, um número espantoso.
As democracias precisam de oposição para que se mantenha a racionalidade do processo político. Eu não confio demais na que temos, não. Na verdade, eu a lastimo.
* Texto por Reinaldo Azevedo

Responsabilidade médica


Ah, os médicos atuais...
A mídia pesada não dá notícias sobre “assassinato” da senhora Kátia Regina (jan/2011) dentro do hospital municipal Lourenço Jorge (RJ).
Ouça os jornalistas Ricardo Boechat e Rodolfo Scheneider da BANDFM (94,6 KHZ) conversando com a funcionária indignada sobre a insensibilidade dos médicos.
O pior é o diretor da instituição ter se negado a tentar esclarecer o fato e ter mandado a rádio se entender com o Prefeito! Mas com certeza tentará de todas as formas identificar a funcionária para penalizá-la de alguma forma.
E haja verba para a copa e a olimpíada!

Aonde a ONU quer chegar?

Escorpiões
FAO, organismo da ONU, promove comer insetos nauseabundos para "salvar o planeta":
O professor Arnold van Huis, da Universidade Wageningen, Holanda, e seu colega Dennis Oonincx, promovem a idéia de que comer insetos pode salvar o planeta da fome, no contexto de um plano promovido pela FAO.
Quiche de minhoca ou larva de besouro, rolinho primavera de grilo e outros pratos feitos com insetos (nauseabundos para a imensa maioria das pessoas) estão no cerne de uma “dieta saudável, barata, e ecológica”, cujo estudo foi encomendado pelo órgão da ONU contra a fome.Para o ativista holandês, uma das grandes vantagens dessa subalimentação é que tal dieta “ajuda a reduzir o aquecimento global”, como noticiou o “El Mercurio”, de Santiago de Chile. Desde já, está fórmula talismânica, pelo menos, já garantiu a notoriedade midiática ao promotor dessa idéia estapafúrdia.O professor de ‘entomologia tropical’ assim somou-se à cruzada para “mudar os hábitos tradicionais de alimentação e introduzir os insetos na dieta ocidental”, banidos após séculos de civilização. Para van Huis, esses insetos seriam por excelência um alimento “verde” que solucionaria a “crise” alimentar no mundo (a pretensa diminuição dos recursos naturais), e a cada vez mais refutada ‘mudança climática’.Van Huis não está só. Junto com uma equipe, ele voltou à carga contra a agropecuária, ao comparar as ‘emissões de gases-estufa’ por parte do gado e dos insetos. Os resultados, a priori previstos, acabaram resultando que, criar insetos gera dez vezes menos “gases causadores do aquecimento global”. A crítica volta-se não apenas contra os bovinos, mas também os porcinos e as aves.A equipe defende uma evidência: “é mais fácil e barato criar insetos. Aliás, é só ver quando chega uma praga”. Na procura de qualquer argumento, o estudo destaca que os insetos consomem menos água para a “religião verde”, a água doce está em perigo de acabar do que os quadrúpedes e os galináceos.
O holandês promove a escola de gastronomia “Rijn IJssel”, que elabora receitas para engolir com boa aparência preparados gostosos de minhocas, grilos e escaravelhos. Em conferência pública, na Universidade de Wageningen, ele defendeu diante do auditório que essa é a “única medida necessária para salvar a selva, melhorar a qualidade da dieta (e a saúde), reduzir as emissões de CO2 e gastar menos dinheiro em alimentação, ou seja, simplesmente a de comer insetos”.A FAO, organização da ONU para lutar contra a fome, se diz preocupada com o “aquecimento global” e o “aumento da área dedicada à criação de gado (na América latina, claro!) e se propôs a trabalhar para reduzir o consumo de carne mundial. Para tal, promoveu, na Tailândia em 2009, um encontro nesse sentido e o professor van Huis é, nada mais e nada menos, que o relator de um dos projetos combinados naquela ocasião: ‘comer insetos’, revelou o tablóide londrino “The Guardian”.Van Huis reproduz a vulgata da “religião verde” e conclui o dogma bem conhecido, segundo o qual a “Terra não poderá mais alimentar os homens se estes continuam a ter filhos e a consumir nos níveis atuais”. Historicamente o consumo de insetos é característico de povos e tribos degradadas pela fome. Em certos contextos, tem uma conotação supersticiosa, ligada a crenças primitivas sobre poderes mágicos ou divinos de animais até venenosos e danosos, como escorpiões e cobras.Em países nos quais a implantação rápida da utopia socialista gerou, como de praxe nesses casos, espantosas ondas de fome, a ingestão de animais repugnantes significou a salvação para os desesperados. Em alguma proporção, esses hábitos alimentares repulsivos ainda perduram em países como a China, a Tailândia, o Vietnam, ou o Camboja, junto a superstições pagãs antiquíssimas, como parte de suas ‘culturas’. A proposta da FAO é reveladora do objetivo socialista que existe na base do falso ambientalismo catastrofista: o de degradar os povos civilizados e precipitá-los nos horrores do primitivismo tribalista e do socialismo, qualquer que seja a indumentária ideológica com a qual venha revestido (comunismo, nazismo, fascismo, maoísmo, etc.).

Utilidades importantes no seu celular

Três utilidades importantes em seu celular: Será útil manter essas informações com você. Existem algumas coisas que podem ser feitas em caso de emergência. Seu celular é uma ferramenta que pode salvar sua vida.
Veja o que ele pode fazer por você:
Utilidade I
O número universal de emergência para celular é  112
Se você estiver fora da área de cobertura de sua operadora e tiver alguma emergência, disque  112 e o celular irá procurar conexão com qualquer operadora possível para enviar o número de emergência para você, e o mais interessante é que o número  112 pode ser digitado mesmo se o teclado estiver travado. Experimente!
Utilidade II 
Vamos imaginar que a bateria do seu celular esteja fraca. Para ativar, pressione as teclas:  *3370#
Seu celular irá acionar a reserva e você terá de volta 50% de sua bateria. Essa reserva será recarregada na próxima vez que você carregar a bateria.
Utilidade III
Para conhecer o número de série do seu celular, pressione os seguintes dígitos: *#06#
Um código de  15 dígitos  aparecerá. Este número é único. Anote e guarde em algum lugar seguro. Se seu celular for roubado, ligue para sua operadora e dê esse código. Assim eles conseguirão bloquear seu celular e o ladrão não conseguirá usá-lo de forma alguma. Talvez você fique sem o seu celular, mas pelo menos saberá que ninguém mais poderá usá-lo. Se todos fizerem isso, não haverá mais roubos de celular.
*Essas informações não são conhecidas por todos, por isso passe para seus amigos e familiares.

Sem patriotismo, sem respeito aos símbolos pátrios

BRASÍLIA. Antes de deixar a Presidência, Lula acabou com uma tradição de quase 40 anos, favorecendo sua sucessora, Dilma Rousseff, que não gosta de tornar pública sua agenda ou sua vida - embora seja presidente e não mais uma pessoa comum. Em dezembro, em seu último dia de governo, pelo decreto 7.419/2010, Lula revogou outro decreto, de 1972, da época do presidente Médici, que determinava que a bandeira nacional e o Pavilhão Presidencial, a bandeira verde com o brasão da República, devem ficar hasteadas quando e onde o presidente estiver. Sobretudo nos palácios do Planalto, seu local de trabalho, e da Alvorada, residência oficial.
Lula, que se incomodava com o símbolo, combinou com Dilma a revogação do decreto. Ela agradeceu. Durante as eleições, Lula burlou a lei ao deixar hasteado o Pavilhão Presidencial no Alvorada, quando ele estava gravando programa de campanha para sua candidata. Pelas novas regras, as bandeiras devem ser hasteadas na cidade onde a presidente estiver, não importando se está no Alvorada, no Planalto, na Granja do Torto ou em um evento qualquer.
Dilma tem optado por não dar muita transparência ao mandato. Sua agenda é uma peça de ficção. É comum divulgar compromissos até as 15h, embora ela fique no Palácio até depois das 20h. Há cerca de 15 dias, quando foi passar o fim de semana em Porto Alegre, a agenda de sexta-feira não trazia a informação. Na volta, o encontro com Lula em São Paulo não foi informado.
Fonte: O GLOBO - 27/01/2011

Garoto de 13 anos pode ser condenado à prisão perpétua nos EUA

O caso do jovem norte-americano Jordan Brown, de 13 anos, acusado pelo assassinato da madrasta, grávida de oito meses, causa polêmica nos Estados Unidos. Isso porque Brown, que tinha 11 anos na época do crime, pode ser julgado como adulto e condenado à prisão perpétua. Nesta terça-feira (25/01), um tribunal de apelação da Filadélfia iria ouvir as argumentações da Promotoria e da defesa, porém, pode levar meses até uma decisão ser anunciada, informou a rede ABC News.
O estado da Pensilvânia trata todas as crianças e adolescentes como adultos até que um juiz decida o contrário e os EUA são o único país onde jovens podem ser condenados à prisão perpétua sem liberdade condicional. Apenas os EUA e a Somália têm se recusado a ratificar a Convenção da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre os Direitos da Criança, que exclui a prisão perpétua, sem possibilidade de liberdade por crimes cometidos antes dos 18 anos, conforme escreveu o jornal britânico The Guardian.
COMENTÁRIO: Uma das razões  dos sociopatas não gostarem dos EUA. Lá não tem ECA! Ajoelhou tem que rezar. (Sueli Silva )
*Fonte: Opera mundi

Supremo enganador

Por que Lula não poderia...

Por J. P. Fontoura, no blog “O Portal”:
É da Natureza o poder intangível que seleciona o grau de percepção que diferencia os indivíduos para entenderem mais ou menos os fenômenos naturais que ocorrem a sua volta.
Esse intangível é a força determinadora da individualidade de caráter, que cinge o ser humano: a seus erros, a seus acertos, a suas virtudes, a suas verdades, a seus ódios, a seus amores, a suas mentiras e a suas vilanias.
Essa é a razão pela qual não deveríamos ter permitido que Lula – ser humano –, com seu “intelecto” limitado para compreender essas relações, pudesse vir a gerir um Estado com tantas verdades “relativadas” no contexto dessa complexidade.
Não se trata, portanto, de segregacionismo, mas sim da subordinação de um “fato”, sobejamente comprovado, que é sua deficiência de “percepção”, a uma verdade absoluta da Natureza.
A culpa de tudo que Lula faz – auxiliado por seu séquito de aloprados larápios –, desde o início de seus falsos brados nos “Portões das Metalúrgicas” até os urros que vocifera hoje acima de seu pedestal e abaixo de seu topete, é dos incautos e “da Imprensa”. Estes lhe deram e o mantém sob essa luz negra, por não terem compreendido a índole de que o “messiânico” é possuído, pois seu ego é mais forte do que sua razão e esta ausente da ética na trilha de sua moralidade política!...
Saber identificar e compreender o inimigo é meio caminho para evitar a derrota, mas esse povo incauto – não me incluo nesse universo – e abandonado pela Imprensa comprometida não soube identificar quem realmente é esse “supremo enganador”, que seqüestra almas para seu rebanho de zumbis conduzido-as ao negro destino de um caminho sem retorno!...

Os palhaços e a oposiçao de mentirinha

Lamentável constatar que o governador Alckmin resolveu seguir o modelo lulopetista de governar : porque Lula incentivou - impunemente - em suas 2 gestões, a contratação de milhares sem concurso, aparelhando assim a máquina do Estado, não quer dizer que Alckmin esteja liberado moralmente para contratar seu conterrâneo que já foi condenado por praticar o mesmíssimo esquema. 
Afirmar que ele é honesto e que ainda cabe recurso é repetir o mesmo discurso odioso do ex-presidente , de que todos são inocentes até "trânsito em julgado"...como se a ética de uma pessoa fosse determinada por este recurso.
Estamos fritos aqui em São Paulo, pois Kassab ,se bandeando para o PMDB, se alia à Dilma e coloca em risco o maior bastião antipetista da nação.
E  Alckmin resolve nivelar por baixo o seu estilo de governar...o que só comprova a suspeita que muitos de nós já tinhamos de que já há algum tempo não existe verdadeira oposição , o que existe é uma grande composição adrede combinada, a nos transformar todos em palhaços !
* Texto de Mara Montezuma Assaf , por e-mail, via resistência democrática

Novo CPP dificultará prisão de empresários

"Será mais raro ver um empresário condenado à prisão no Brasil caso o projeto que trata da reforma do Código de Processo Penal (CPP), que já passou pelo Senado, seja aprovado pela Câmara", informa a jornalista Laura Ignacio, em reportagem no "Valor Econômico".
"Se hoje já não vão para a cadeia, agora menos ainda", afirma ao jornal o advogado criminalista Luiz Flávio Gomes.
O criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira considera grande avanço do novo código as 16 penas alternativas que poderão ser usadas em substituição às prisões temporárias ou preventivas, que, segundo Mariz, "são usadas principalmente nos processos que atingem o mundo empresarial".

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

TCU aceita denúncia contra a Fundação Sarney

Em sessão extraordinária reservada, realizada no último dia 19, os ministros do Tribunal de Contas da União consideraram procedente denúncia oferecida em 2009 sobre suposta apropriação por parte da Fundação José Sarney de recursos públicos provenientes de patrocínio da Petrobras (Lei Rouanet).
Foi estipulado o prazo de 60 dias para o Ministério da Cultura "ultimar os procedimentos de apreciação de contas" do Projeto Pronac 05-2866 - Preservação dos Acervos Bibliográfico e Museológico da Fundação José Sarney. O projeto foi aprovado em 2005.
Os autos do TCU (*) deverão ser apensados a novo processo, a partir da prestação de contas pelo Ministério da Cultura.
Há 28 advogados constituídos. Foi retirada a chancela de sigilo.
Em janeiro de 2010, o jornal "O Estado de S.Paulo" revelou que a CGU (Controladoria-Geral da União) encaminhou relatório preliminar ao Ministério da Cultura, informando que a fundação desviara pelo menos R$ 129 mil do R$ 1,3 milhão que recebera em doações de patrocínio da Petrobras.
Segundo a CGU, a Fundação Sarney teria usado notas frias com endereços falsos para justificar os gastos com o dinheiro recebido da estatal.
Na ocasião, a Secretaria Especial de Comunicação do Senado divulgou nota informando que Sarney reafirmava não ter responsabilidade sobre a fundação, pois não faz parte da gestão da entidade.

Casa dos preguiçosos unidos

Plenário lotado não rima com Senado. Já espírito de corpo...
É o que diz a reportagem no congressoemfoco.uol.com.br: Somente duas das 430 sessões ordinárias reservadas a votação nos últimos quatro anos reuniram todos os 81 senadores: foram aquelas em que o plenário livrou da cassação o ex-presidente da Casa Renan Calheiros (PMDB-AL).
Em toda a legislatura, o Senado só esteve completo nas sessões deliberativas realizadas nos dias 12 de setembro e 4 de dezembro de 2007, quando o plenário derrubou dois pareceres do Conselho de Ética que recomendavam a cassação do peemedebista por quebra de decoro parlamentar.
Nenhuma das reuniões para examinar projetos de lei ou propostas de emenda à Constituição conseguiu reunir todos os três representantes das 27 unidades federativas. Nenhum senador compareceu a todas as sessões deliberativas. Os dados fazem parte de levantamento exclusivo feito pelo Congresso em Foco com base em informações oficiais do Senado dos últimos quatro anos.

A volta do nosso Delúbio

Por Guilherme Fiuza, na revista Época:
Nelson Rodrigues dizia, com calculado cinismo, que a única possibilidade real de consciência é o medo da polícia. O grande dramaturgo não viveu para ver o dia em que nem o medo da polícia serviria como fronteira ética. À luz do dia, representantes da casta sindical que governa o Brasil informam que não têm medo de nada. Nem mesmo de articular a ressurreição de Delúbio Soares, uma das estrelas do mensalão – o episódio que, em dimensões inéditas, transformou a política em caso de polícia.
O cinismo de Nelson é brincadeira de criança perto da evolução moral do PT. O partido, que completará 12 anos no poder – envelhecido no puro malte de Brasília –, já trabalha para estender esse reinado para 16 anos, aproximando-se do recorde da era Vargas. Nessa marcha firme, vai-se impondo o seguinte princípio ético: o que a opinião pública engolir, está valendo.
Não foi à toa que Luiz Inácio da Silva se despediu da Presidência avisando que iria desmontar “a farsa do mensalão”. Em tese, o filho do Brasil não precisaria, do alto de sua popularidade sobre-humana, gastar um minuto com o capítulo negro do valerioduto. O povo já lhe dera o habeas corpus vitalício. Mas apagar a existência do mensalão é importante a médio prazo. A companheirada vai precisar de uma ficha mais ou menos limpa para levar a revolução dos cargos ao quarto mandato seguido – sem que a opinião pública desperte de sua soneca cívica.
Até aqui, tudo bem. O deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), líder do governo na Câmara, defendeu a reintegração do ex-tesoureiro Delúbio ao Partido dos Trabalhadores. Vamos repetir baixinho, para não perturbar o sono dos brasileiros: não foi um militante petista que disse isso em “off”. Foi o líder do governo, de cara limpa (até onde isso é possível), quem declarou publicamente que o lendário Delúbio, apontado pelo Ministério Público como um dos vértices da quadrilha que ordenhou o Estado em prol do PT, merece uma nova encarnação no partido.
Não à toa Lula se despediu da Presidência avisando
que iria desmontar “a farsa do mensalão”
“Nenhuma pena é eterna”, disse Vaccarezza. Pode-se questionar o teor filosófico da afirmação, mas pelo menos uma certeza cristalina ela traz: o pessoal perdeu completamente o medo da polícia.
É compreensível. Dos 40 indiciados por aquela fantástica operação de empréstimos fictícios, que faziam dinheiro público brotar na boca do caixa privado para os parlamentares fiéis, ninguém foi punido pela Justiça. Nem será. Passados mais de cinco anos, o escândalo já foi mais que engolido pela opinião pública. Ao lado dela, o Supremo Tribunal Federal aninhou-se na mesma soneca, para não fazer barulho no momento em que a candidata de José Dirceu chegava para a troca de guarda no palácio.
Com Dilma lá, o medo da polícia sumiu de vez. E o líder Vaccarezza pôde soltar seu brado definitivo sobre os mensaleiros: “Todos eles já pagaram um preço maior do que seus pecados”.
Quem imaginar que uma declaração dessas é a apoteose da cara de pau está redondamente enganado. A coisa é científica. O líder petista joga o disparate no ar para sondar o terreno. Não havendo reações significativas, ele fotografa o sismógrafo parado no zero e emite o sinal para os companheiros: todo mundo dormindo, caminho livre.
A ressurreição do “nosso Delúbio” (como dizia Luiz Inácio) é só um detalhe do projeto. O abraço apertado de Erenice Guerra na presidenta, em plena posse, foi parte da mesma experiência científica altamente bem-sucedida. O laudo é conclusivo: o povo não está nem aí para o tráfico de influência. E lá vem mais um teste de laboratório ao vivo: José Sarney, flagrado com o filho e o também lendário Agaciel Maia usando o parlamento para empregar seus simpatizantes, já foi lançado para presidir novamente o Senado.
Tudo normal. Na ausência de Nelson Rodrigues e da polícia, não há mesmo mais nada a temer.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

A nacionalização no pré-sal e a mãe de todas as mentiras

Nunca antes na história deste país a Petrobras teve uma direção tão partidarizada. Durante a campanha eleitoral, Sérgio Gabrielli foi muito além de suas sandálias, comportando-se como mero prosélito. Acusou, por exemplo, o governo FHC de sucatear a empresa, o que é uma mentira escandalosa. A produção de petróleo dobrou na gestão tucana. É bem verdade que o próprio partido não soube se defender, mas isso não torna aquela acusação menos mentirosa nem menos imprópria a intervenção do presidente de uma empresa mista no jogo eleitoral.
Desde 2002 a Petrobras está no centro de uma farsa política. Há três eleições consecutivas os petistas acusam seus adversários de quererem privatizar a empresa, farsa incontrastável entre tantas. Adicionalmente, Lula determinou índices de nacionalização para itens e serviços empregados pela empresa. No caso da exploração do pré-sal, a meta é de 65%. Pois é…
Ocorre que a indústria nacional está com dificuldade de fornecer o que a empresa precisa a preços competitivos. A Petrobras se mobiliza para que essa meta seja reduzida a 35%. Além do prazo, há o preço: Gabrielli admite, mas jamais o faria em público, que há serviços e equipamentos que poderiam custar até 30% mais baratos no exterior.
E agora? É claro que o setor da indústria nacional que vai lucrar os tubos com essa variante de reserva de mercado não quer nem ouvir falar em mudança da regra. Consideraria uma grande traição. Em nome da criação de empregos e do desenvolvimento da tecnologia nacional, Lula chegou a defender certa feita que as plataformas da Petrobras tivessem um índice de nacionalização de 100%!!! A tese é bacana. Se todos os países a aplicassem, o mundo seria uma soma de…mônadas econômicas!
A bem da verdade, quem conhece o riscado me assegura que a tal nacionalização já não passa de bravata hoje em dia. Há muitos caminhos para burlar a lei. Mais uma vez, o país de verdade se move nas sombras, contra o país de mentira, que é aquele que vai no discurso petista.
Venceu três eleições assim? Venceu. Nem por isso a mentira passou a ser uma verdade.

Homenagem ao boquirroto

Sobral gastou R$ 5 milhões, até agora, na construção de uma Vila Olímpica chamada "Ciro Gomes", uma homenagem do ex-prefeito e atual ministro dos Portos, Leônidas Cristino (PSB) , é o autor da homenagem, proibida por lei. O atual prefeito da cidade afirma que o local é uma "alternativa" caso o Rio de Janeiro não comporte as Olimpíadas de 2016. Não é um cara de pau?

Ainda a catástrofe de Teresópolis

Houve hoje uma reunião a portas fechadas já no final desta noite com um membro muito importante da Cruz Vermelha Brasileira (CVB) cujo nome não vou revelar. Ele já trabalha há mais de trinta e três anos em todos os tipos de catástrofes em todas as partes do mundo incluindo a guerra da Bósnia, o terremoto do Haiti, etc. É ele que coordena as atividades da CVB brasileira nestes locais e também da CVB internacional.
Para vocês terem uma idéia, ele havia voltado de uma extenuante viagem de 22 horas desde a Rodésia só para estar ali conosco e avaliar a situação na região serrana.
Ele disse que nós não tínhamos noção da catástrofe que havia ocorrido:
"Vocês nunca tiveram oportunidade de testemunhar catástrofes mundiais e por isso é natural que sejam incapazes de avaliar a extensão dos danos aqui ocorridos. Devido a décadas de experiência de campo e de levantamento de áreas de desastre, posso seguramente, afirmar que somente aqui no município de Teresópolis o número de mortos soterrados de longe ultrapassa a casa dos 6.000.
Na região serrana ao todo o número de mortos deve facilmente chegar a mais de 12.000 pessoas. No Brasil, vocês nunca lidaram com catástrofes naturais de grandes dimensões, daí a falta de preparo e de noção do que realmente se passa. Pelo quadro vigente no Haiti, vocês podem contabilizar as milhares de pessoas que já morreram de febre tifóide.
Morto não tem raça, ou status social. Todos os corpos apodrecem e se decompõem. São mais de 6.000 corpos nos leitos dos rios, nos mananciais e nas suas margens, enterrados a vários metros de profundidade.
Haverá inúmeras epidemias daqui há algumas semanas surgindo primeiramente de forma discreta e depois se alastrando pelas cidades supridas por essas águas.
A falta de experiência do Brasil e dos brasileiros em termos de dimensões de catástrofes levam a estas estimativas ingênuas do que realmente aconteceu. Em qualquer outro país civilizado, o procedimento correto seria o de declarar lei marcial e exigir intervenção federal nesta situação.
A própria viabilidade e existência destas cidades será posta à prova nos meses que virão na medida em que a população começar a adoecer.
Quanto ao prefeito da cidade, ele é um bandido, um crápula, que precisa ser acionado judicialmente, preso e condenado por crime contra a humanidade.
Há dezenas de equipes especiais de resgate aqui conosco como as de Santa Catarina, Santos e São Paulo e a prefeitura se recusa a usar os seus profissionais para as missões de resgate.
A CVB é um órgão de assistência emergencial e vocês já passaram da fase de emergência e estão exercendo um papel assistencial. Isto não é de competência da CVB. O prefeito de Teresópolis desacatou a CVB e por conta disso, ao desacatar a autoridade da CVB cometeu um ato infracional.
Muitas pessoas ainda irão morrer nos próximos meses devido as doenças que irão se disseminar.
Entendam que a CVB está sendo utilizada como manobra política e a isso não nos subteremos. Estou declarando que a partir de hoje se dão por encerradas as atividades da Cruz Vermelha em Teresópolis. Todos os mantimentos, água e remédios deverão ser doados à população carente desde que comprovem a baixa renda.
* Myriam Saldanha, pormail, via resistência democrática

Solução para o caso Battisti

As autoridades italianas poderiam facilmente resolver a extradição de Battisti, a custo relativamente modesto. Basta dar uma ajuda financeira a Cuba, que está com as finanças estouradas, obtendo, em troca, que a Ilha outorgue ao criminoso italiano o diploma de Cidadão Cubano Honorário, solicitando às autoridades brasileiras a sua imediata extradição, a qual seria atendida pelo nosso governo com a mesma presteza com que deportou os atletas cubanos.
Depois, é só pedir aos irmãos Castro a remessa dele para Roma, e perdoar a dívida.
Fácil, fácil, e sem desgaste. Um jeitinho brasileiro. O Itamaraty agradeceria.
* Nelson Carvalho, por e-mail, via resistência democrática 

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Brasil - Nação - Passaportes especiais

O Brasil - todos nós - deveria tentar ser um país sério.
Nada justifica os privilégios concedidos a políticos, familiares e áulicos.
Quando uma pessoa vai ao exterior em missão oficial, é obrigação do governo facilitar-lhe o trabalho.
Mas usar passaporte por mero capricho é ILEGAL, IMORAL e INACEITÁVEL.
Descobriu-se a emissão de passaportes a políticos, filhos, familiares e quejandos até memo para turismo.
O ministério público e todo e qualquer cidadão - ação popular - deveria lutar contra tais abusos, EXIGIR a devolução das injustificadas e abusivas prebendas.
Até quando teremos o trato da coisa pública como particular dos desonestos políticos? até quando teremos espécimes como Sarney, Renan Calheiros, Marta Suplicy, Michel Temer Lulia, Luis Inacio da Silva a nos impor normas, a nos dizer como proceder?
Exemplo: - a taxa de iluminação pública, por exemplo, foi julgada INCONSTITUCIONAL, há anos, pelo Supremo Tribunal Federal.
Os municípios continuam a praticar o furto.
Os que foram ao Judiciário reaver o furtado tiveram a má notícia, dada pelo STJ, auto-denominado "tribunal da soberania"  (piada?),  de que o prazo para receber o dinheiro furtado prescreve em cinco anos, contados a partir da data da PRIMEIRA COBRANÇA.
Bolas, se a cobrança era inconstitucional e assim foi declarada, tem-se ato nulo (que não gera efeitos, não prescreve), e se deve devolver o furtado do cidadão sem mais buRRocracia.
Os tribunais superiores deveriam expedir a ordem, de seus majestosos palácios, e não impor ao cidadão mais um ônus - ir ao judiciário gastar mais dinheiro, perder mais tempo, para ser novamente espoliado.
* Claudio Josino, por email, via resistência democrática

Aborto no Ocidente supera abortos idolátricos pagãos

2000 fetos são recolhidos em um templo na Thailândia
Por Luis Dufaur:
A polícia da Tailândia encontrou mais de dois mil fetos humanos num templo budista na capital Bangcoc, supostamente provenientes de abortos ilegais.
Os fetos enchiam os contêineres mortuários do templo, e a polícia foi alertada pelo forte mau cheiro, noticiou a BBC Brasil.
A imolação ou cremação de crianças para satisfazer ídolos é um dos piores e mais macabros vícios do paganismo.
Porém, quando se considera os milhões de crianças abortadas “legalmente” no Ocidente ex-cristão, o caso de Bangcoc parece diminuto.
A recusa à Igreja católica e sua santa moral precipitou o Ocidente num neopaganismo, cujos abismos de crime e imoralidade estão superando os do paganismo antigo, que eram explicitamente demoníacos.
Para lá nos quer empurrar o PNDH-3…
*Fonte: http://www.ipco.org.br/home/

Ruralistas criticam "favelização" do campo

A possibilidade de uma alteração na política de governo na área de reforma agrária não surpreende a oposição. Segundo a presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), senadora Kátia Abreu (DEM-TO), mais de uma pesquisa já teria demonstrado a ineficácia do atual modelo. "É o mais ineficiente programa de combate à pobreza", diz ela. "Como programa para o desenvolvimento econômico tem resultado zero."
Para a senadora, os assentados vivem precariamente, com graves deficiências nas áreas de saúde e educação. "A reforma virou mais uma bandeira de luta política que uma solução de fato. O modelo está errado: patrimônio não transfere renda, o que gera renda é eficiência, gestão e competitividade", conclui.
O vice-presidente do DEM e membro da Frente Parlamentar do Agronegócio, deputado Ronaldo Caiado (GO), também acha que a mudança de rota seria o caminho mais "lógico e racional". Na mesma linha de Kátia Abreu, ele afirma que o atual modelo de reforma agrária não tem como sobreviver, porque a população dos assentamentos vive na miséria, com baixa escolaridade e renda mínima. "É um modelo falido, o governo precisa ver que o jogo é outro, tem de ser o da eficiência, do resultado. O que não é possível é continuar esse processo de favelização do campo", afirma.
Para o deputado Dr. Rosinha, filiado ao PT do Paraná e defensor dos movimentos de sem-terra, a política de melhoria dos assentamentos não deve impedir a criação de outros. Para ele, as duas políticas não são excludentes.
*As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
COMENTÁRIO: Os lideres do MST não tem o menor interesse em tornar a terra produtiva. Daí os assentamentos virarem favelas rurais. O que eles querem é revolução social.
E pior ainda tirar dos impostos de quem trabalha para dar para quem não trabalha. A verdadeira renda se obtém todo mundo trabalhando. Cada um trabalhando mais do que o necessario e vai acumulando, guardando, aplicando, etc. Essa renda se chama propriedade privada. Para isso o governo precisa parar de roubar a população com impostos sufocantes e em troca presta serviços de péssima qualidade, quando presta. O imposto justo não deve ultrapassar de 20% (1/5).
* Comentário de Diogo CW, por e-mail, via resistência democrática

As Farc's exploraram urânio no Brasil, com apoio do PT...

Relações vantajosas...

No blog do Reinaldo Azevedo:
O ex-ministro das Minas e Energia Silas Rondeau é um homem de muitos amigos. José Sarney — sempre ele! — é um. Mas não só. Ao tempo em que Dilma Rousseff foi sua colega de Esplanada, constituiu-se uma sólida amizade entre ambos. Também é próximo de Erenice Guerra. Aliás, há uma conversa entre os dois, que circula na Internet , evidenciando a fraterna intimidade. É aquela em que a então ministra dizia que um dia ganharia dinheiro como consultora (entende-se) para responder a pedidos de investigação do Ministério Público, sempre malfeitos, assegurava. Leiam trecho de reportagem de Daniel Pereira na VEJA desta semana. Volto em seguida.
Em novembro do ano passado, a Petrobras contratou a empreiteira Engevix para construir oito cascos de plataformas que serão usadas na exploração de petróleo na Bacia de Santos. Valor do negócio: 3,4 bilhões de dólares. Foi o 17° contrato assinado entre as partes desde 2007. A Engevix atua em engenharia e construção há 45 anos. Tem uma carteira de grandes clientes governamentais, como Eletrobras, Furnas e Eletronorte, além de escritórios no México, Peru e Angola. Com esse portfólio, é natural que dispute - e vença - concorrências promovidas por uma empresa do porte da Petrobras. O que não parece natural é que, apesar da evidente adequação para se sair vencedora em licitações, a companhia ainda busque ajuda extra na figura do engenheiro Silas Rondeau, ex-ministro de Minas e Energia do governo passado. Rondeau trabalha para a Petrobras e para o grupo Engevix, tendo, portanto, de compatibilizar os interesses nem sempre coincidentes de quem compra e de quem vende serviços. A situação é inusitada e desafia as mais comezinhas regras de gestão empresarial.
Em 2007, Rondeau deixou o comando do Ministério de Minas e Energia depois de ser acusado de receber propina de uma empreiteira suspeita de desviar verbas e fraudar licitações. O ex-ministro saiu da Esplanada, mas preservou o mandato nos conselhos de administração da Petrobras e de uma de suas subsidiárias, a BR Distribuidora. Desde então, vem sendo reeleito, ano após ano, como conselheiro. Os colegiados lhe pagam 6700 reais cada um pela participação em uma reunião por mês. Rondeau também passou a prestar consultorias oficiais à iniciativa privada. Em 2008, foi contratado pela Desenvix, uma empresa do grupo Engevix. A parceria virou casamento em novembro passado, duas semanas após a assinatura do contrato bilionário entre seus dois empregadores. O ex-ministro foi eleito integrante do Conselho de   Administração da Desenvix. Portanto, como um anfíbio. Rondeau passou a receber remuneração do carro-chefe das estatais brasileiras e de uma de suas principais parceiras. Conflito de interesses?
Voltei: A severidade de Dilma Rousseff vem sendo cantada em prosa e verso —  por enquanto, lírico. Certa imprensa parece se preparar para fazer o poema épico. Pois é… Leia a íntegra da reportagem na revista.
Na sexta, o Estadão noticiou que casas do programa “Minha Casa, Minha Vida” estão sendo ilegalmente revendidas. Na manchete de sábado, o jornal informava que Dilma mandara intervir e parar com a farra. Muito justo! O impróprio é impróprio, para pobre ou para rico. O caso acima pediria igual celeridade, não? Ser duro com pobretão que faz coisa errada é certo, mas é fácil. Vamos ver se Dilma sabe também fazer o difícil.

Governo petista: Salários dos militares,comparado, chega a ser humilhante

Na coluna do Claudio Humberto:
No Brasil, os vencimentos de militares não resistem a comparação aos demais salários no serviço público. Para dirigir carros oficiais, por exemplo, um motorista do Senado ganha até R$ 19 mil, enquanto o comandante de fragata da Marinha recebe R$ 8 mil. Na Câmara, há ascensorista recebendo R$ 10 mil para pilotar elevador; na FAB, um piloto de jato de combate Mirage percebe R$ 7.428 por mês. Brutos.
Sem ralar muito...diretor que chefiou a garagem do Senado ganha o dobro dos R$ 12,1 mil pagos a general do Exército que comanda regimento de blindados.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Chavez quer imitar Hitler

No blog Brasil-Liberdade e democracia:
"Em breve começarão a chegar vários batalhões de tanques russos para a defesa da Venezuela", declarou Chávez em um ato transmitido por emissoras de rádio e televisão.
A Venezuela de Hugo Chávez está se armando até os dentes. São aviões, tanques e outros armamentos sofisticados. Além das Forças Armadas Regulares há as milícias também armadas e organizadas em apoio a Chávez.
Isto tudo faz lembrar a Alemanha nazista de Adolf Hitler que foi aos poucos se armando e se equipando militarmente contra um inimigo imaginário, o povo judeu, e que depois utilizou todo este armamento na tentativa de destruir a democracia no mundo.
Resultado - milhões de mortos - mais de seis milhões só nos campos de concentração.
Hugo Chávez se arma sob o olhar aprovador e complacente do governo brasileiro.
Contra quem Hugo Chávez pretende usar todo o seu arsenal? Contra os Estados Unidos? Os tanques venezuelanos atravessarão toda a América Central para chegar até ao inimigo imaginário do norte?
O mais provável, é que tal como Adolf Hitler, Hugo Chávez pretenda utilizar o seu arsenal contra seus vizinhos mais próximos, a começar pela Colômbia onde já tem aliados combatentes, os narcoterroristas das FARC.
Chávez também tem pretensões territoriais sobre a Guiana. Poderia também utilizar seu armamento para garantir ao seu aliado Boliviano uma saída para o mar tomando um pedaço do Chile.
Tal como a União Soviética de Stalin, que assinou um tratado de paz com Hitler, o Brasil está em paz com a Venezuela e nada faz para desencorajar Hugo Chávez de sua corrida armamentista, muito antes pelo contrário.
O resultado para Stalin foi milhões de compatriotas mortos antes de conseguir, com a ajuda do inverno russo, expulsar os alemães das portas de Moscou.
Muitos poderão dizer que estou delirando. Inventando coisas.
Dirão que Hugo Chávez só está se defendendo contra o imperialismo ianque. Assim como Hitler só estava se defendendo contra o imperialismo judaico.
O governo brasileiro deve aprender com a história e com um velho ditado que diz que precaução e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

sábado, 22 de janeiro de 2011

A desenvoltura de Sergio Cabral


O panorama é este:  Almoço de confraternização da Harvard Law School. Salão da Bolsa de Valores do Rio, lotadíssimo. Personalidades diversas presentes, principalmente do mundo jurídico. Desembargadores, Marcus Faver, (que foi cogitado para Ministro do Supremo um mês depois de completar 65 anos), Murta Ribeiro, (que presidiu o Tribunal de Justiça do Estado), Sergio Cavalieri (idem), Leila Mariano, o Procurador Geral da Justiça, Promotores, advogados e outros personagens importantes. Sergio Cabral, que não estava inscrito para falar, pediu a palavra. E num longo discurso, cheio de gafes, equívocos e devaneios, assombrou a todos com um show de EXIBICIONISMO:
Todos ficaram mais perplexidade, quando Sérgio Cabral afirmou: “Minha mulher é a maior advogada do Brasil”. Textual.
Admitindo ser lobista, lógicamente, e sem qualquer PUDOR ou CONSTRANGIMENTO confessou:
“Sou muito amigo de Eike Batista, trabalho com ele e juntos tentamos trazer NEGÓCIOS da China para o Rio de Janeiro. Fui à China com esse objetivo”. Admitindo ser lobista, lógicamente.
“Meu governo está indo muito bem, escolhi excelentes nomes para me ajudar, Joaquim Levy, Regis Fichtner, Joaquim Bueno”. Segundo ele, representam “a ELITE PENSANTE do Estado”... “Estive com o presidente Lula, e ele DEPOIS DE TOMAR DUAS CAIPIRINHAS, me disse que não disputaria o terceiro mandato”.
O melhor exemplo do exibicionismo de Cabral é sua mansão ( casa de praia ) em Mangaratiba, que mostramos aí em cima,avaliada em dois milhões de dólares, adquirida quando ainda deputado e recebia R$ 6.000,00 ( seis mil reais, mensais).
Sem tradição de família rica. Cabral surpreende a todos com a facilidade de adquirir bens de valores altíssimos.
É um batalhador incansável, por certo.

Consultoria grátis para o banana do Haddad

No Blog Coturno Noturno:
Caro ministro incompetente, arrogante, prepotente e petulante, petista Fernando Haddad, faça o seguinte:
integre o sistema do ENEM com o SISU e o PROUNI para que, pelo CPF, as notas sejam buscadas automaticamente, sendo lançadas na inscrição de cada candidato.
AU-TO-MA-TI-CA-MEN-TE!
Assim, o estudante poderá se inscrever no SISU e no PROUNI bem antes de ter a nota do ENEM, não sobrecarregando o sistema pelo excesso de acessos simultâneos.
Vou desenhar para você, seu banana!
Ficaria tudo pronto, só faltando a nota do ENEM, que seria postada no SISU e no PROUNI, AU-TO-MA-TI-CA-MEN-TE!
Entendeu, seu banana?
Ontem, depois do suplício do ENEM e do SISU, o estudantes estavam penando com a lentidão do sistema do PROUNI.
Para encerrar: a ONG Coturno Noturno não é como a ONG Movimento Brasil Competitivo. Pelo bem do Brasil, a gente trabalha de graça.

Minha casa, nossa dívida

Após 8 anos de pregação e aplicação da tese de que a população de baixa renda tem que ser tratada com muita condescendência por ser vítima histórica de uma elite perversa e capitalista - o que automaticamente lhe outorgaria "direitos especiais" - nada mais natural é ver noticiado agora que os mutuários do Residencial Nova Conceição, em Feira de Santana(BA) tenham tratado com absoluto desprezo o contrato firmado por eles na aquisição dos apartamentos do Programa Minha Casa , Minha Vida.
À inadimplencia e ao repasse indevido dos imóveis , somam-se a sub-locação e a transformação de unidades em pontos de distribuição de drogas e em depósito de armas.
A simples retomada dos apartamentos vendidos irregularmente e a mudança das regras a nortear este programa não vai resolver se o discurso social todo de uma cartilha não for mudado. Pois mudar as regras no papel até que é fácil...quero ver é mudar-se uma mentalidade permissiva implantada na consciência da população carente por mais de 2 décadas de ação contínua de uma militância ativa e operosa.
* Mara Montezuma Assaf, por e-mail, via resistência democrática

Fogo amigo: Secretário de Alckmin critica Serra


Responsável por coordenar o programa Escola da Família na última passagem de Geraldo Alckmin pelo Palácio dos Bandeirantes, o novo secretário de Desenvolvimento Social do Estado, Paulo Alexandre Barbosa, classifica como um "erro" a decisão do ex-governador de São Paulo José Serra de reduzir o programa. Em entrevista ao estadão.com.br ontem, sexta-feira, 21, Barbosa argumenta que, ao contrário do que a gestão Serra alegou, existe demanda para a abertura das escolas estaduais aos fins de semana.

Tempos de chumbo?!

A Anatel quer ter acesso a todos os dados telefônicos, ou seja, quebrar o sigilo e bisbilhotar as conversas de todos brasileiros.
Já imaginaram, por exemplo, como vai ficar a vida dos jornalistas, dos políticos da oposição, de empresários que não dão verbas para campanhas da sigla dos vermelhos?
Ou melhor, a minha privacidade?
Isso é inconstitucional!
Confiar na seriedade do petismo é dar cegamente um cheque em branco ou ser otário...
Lembram-se do Francenildo, da quebra de sigilo dos contribuintes pela Receita Federal?
Pois é, não poderemos mais falar livremente ao telefone, porque haverá alguém nos vigiando.
Esses pretensos donos da Nação querem acabar com o direito constitucional à privacidade.
Há oito anos o que a Anatel menos faz é cuidar dos direitos dos usuários, dados os péssimos serviços prestados pelas empresas de telefonia.
O certo é que em nenhuma das ditaduras tupiniquins houve tal excrescência!
*Texto de Paulo Panossian

MST invade sede do Incra em Teodoro Sampaio

Os manifestantes, ligados ao Movimento dos Sem-terra, invadiram a sede do órgão, que fica no oeste do estado de São Paulo.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Diretoras boicotaram a Sala de Aula Digital implantada no governo de Yeda Crusius

O jornalista Polibio Braga, pautou um jornalista para mostrar o trabalho do governo anterior em relação ao projeto Sala de Aula Digital, pois foram distribuídos computadores modernos às escolas de todo Rio Grande do Sul.
Ao chegar às escolas, no final do ano letivo, o repórter  encontrou a maioria dos laboratórios de informática fechados, sem possibilidade de acesso dos alunos .
Ao serem questionadas, muitas diretoras afirmaram que faltava um "eletricista para instalar as tomadas", o que, com boa vontade, resolve-se até entre os pais das escola, pois muitos trabalham na construção civil.
As desculpas eram todas esfarrapadas.
Existem  computadores comprados há três anos que continuam nas caixas. As diretoras - muitas ligadas ao Cpers - com orientação e pensamento petralha, não tiveram o mínimo de boa vontade para disponibilizar os equipamentos às crianças.
O programa só funcionou em poucas escolas, onde não houve boicote. Os computadores estão se deteriorando.
Diretoras com esse perfil -  impedir que as crianças tenham acesso a bens pelos quais todos nós pagamos, por questões políticas, não são responsabilizadas, e o pior: deverão ficar impunes já que o novo governo gaucho tem orientação petralha.

Incapacidade, negligência e descaso

O Jornal Le Monde, à quele que deu ao Luiz Inácio o título de homem do ano ( dizem que a pedidio do Sarkozy), aforma em reportagem que "os céus têm menos culpa que os homens" pela tragédia das enchentes no Brasil.
As enchentes e deslizamentos de terra que deixaram mais de 700 mortos na região serrana do Rio são mais um exemplo da "negligência criminosa" das autoridades brasileiras, segundo afirma um artigo publicado na última quinta-feira pelo diário francês Le Monde.
Diz o Jornal: "A nova tragédia, como outras no passado, ilustra a negligência criminosa de algumas autoridades eleitas. Por demagogia ou interesses eleitorais, eles deixaram que o concreto tomasse os morros, ou mesmo encorajaram a especulação imobiliária".
E acrescenta: "a fúria da natureza tropical" pode ter sido a responsável inicial pelo desastre, mas "os céus têm menos culpa que os homens"..."Não há fim no inventário das muitas falhas que levaram à tragédia".
O artigo enfatiza, sobretudo, a falta de capacidade para previsões meteorológicas precisas, inexistência de sistemas de alerta e a ocupação irregular em áreas de risco.

Para ser atendido pela polícia

Tenho sono muito leve, e numa noite dessas notei que havia alguém andando sorrateiramente no quintal de casa.
Levantei em silêncio e fiquei acompanhando os leves ruídos que vinham lá de fora, até ver uma silhueta passando pela janela do banheiro.
Como minha casa era muito segura, com  grades nas janelas e trancas internas nas portas, não fiquei muito preocupado, mas era claro que eu não ia deixar um ladrão ali,espiando tranqüilamente.
Liguei baixinho para a polícia, informei a situação e o meu endereço.  Perguntaram- me se o ladrão estava armado ou se já estava no interior da casa.. Esclareci que não e disseram-me que não havia nenhuma viatura por perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém assim que fosse possível.
Um minuto depois liguei de novo e disse com a voz calma:
-Oi, eu liguei há pouco porque tinha alguém no meu quintal. Não precisa mais ter pressa. Eu já matei o ladrão com um tiro da escopeta calibre 12, que tenho guardada em casa para estas situações. O tiro fez um estrago danado no cara!
Passados menos de três minutos, estavam na minha rua cinco carros da polícia, um helicóptero, uma unidade do resgate, uma equipe de TV, o DATENA e a turma dos direitos humanos, que não perderiam isso por nada neste mundo.
Eles prenderam o ladrão em flagrante, que ficava olhando tudo com cara de assombrado.
Talvez ele estivesse pensando que aquela era a casa do Comandante da Polícia.
No meio do tumulto, um tenente se aproximou de mim e disse:
-Pensei que tivesse dito que tinha matado o ladrão.
Eu respondi:
- Pensei que tivesse dito que não havia nenhuma  viatura disponível.
*Texto de Luiz Fernando Veríssimo

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Assim caminha e se porta nossas autoridades

Até agora, 765 mortos no Rio...
Enquanto isso:

Sergio Cabral se diverte...

                                       Lula curte ressaca longe - pero no mucho - do poder...

O ministério se diverte sem nenhuma aparente preocupação...
e
Dilma disfarça e ignora a gravidade...

Coreia do Sul aceita proposta da Coreia do Norte

A Coreia do Sul aceitou nesta quinta-feira (20) a proposta da vizinha e rival Coreia do Norte para o início de "discussões de alto nível" sobre "temas militares pendentes", segundo o Ministério da Defesa sul-coreano.
Os norte-coreanos teriam oferecido aos rivais e vizinhos a liberdade de decidir os assuntos, o local e a data das conversas, segundo a imprensa sul-coreana.
Seul havia recusado propostas anteriores de diálogo.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

A doutrina da Grande Mentira petista não resiste a uma tragédia natural

Por Lúcio Neto:
A propaganda é uma arma muito poderosa. O ex-Imperador sabia disso. Dilma, a presidenta, sabe disso. Hitler também sabia e até criou o Ministério da Conscientização Pública e Propaganda, comandado por Joseph Goebbels, para divulgar a doutrina da Grande Mentira.
O governo petista também tem o seu ministério e a doutrina da Grande Mentira. E tanto é fato verdadeiro que fez de um governo sem nenhuma grande obra entrar para a história como o maior governo de todos os tempos na face da terra. Um governo que durante oitos anos e 19 dias não fez absolutamente nada a não ser ir administrando com a "barriga" as ações herdadas do governo FHC.
A Grande Mentira do governo petista, a exemplo do governo de Hitler, é construída todos os dias através da manipulação de dados e informações que são divulgadas por uma imprensa (rádio, jornal, tv, revistas e etc.) com "rabo preso" pela fantástica verba de propaganda e protagonizada por "jornalistas" que recebem bônus extras.
No momento, a doutrina da Grande Mentira petista, é construir uma imagem da presidenta Dilma que seja suficientemente forte para inibir a imagem de Lula, na qual foram gastos mais de R$ 10 bilhões. Só que o Joseph Goebbels de Dilma, parece não entender muito da área. Nessa busca de um protótipo da Presidenta, deixaram vários furos no rastro. A imagem de uma presidenta que fala pouco e age muito - paradoxal ao Lula - tem sido um fiasco até agora apesar do esforço de todos os "envolvidos" no processo.
Querer fazer de Dilma uma presidenta super competente, requer muito mais que estratégias e planejamentos de marketing e propaganda. Se o "produto" não ajudar ele não conquista credibilidade. O ex-Imperador logrou êxito (sic) porque a sua doutrina da Grande Mentira tinha um foco - pessoas de menor faixa de renda e de cultura.
No caso da Dilma estão generalizando. Um erro primário que o Joseph Goebbels de Lula não cometeu. Além disso, a estratégia foi atropelada pela maior catástrofe natural do país - a tragédia da Região Serrana do Rio, que muitos acreditam que deva superar a faixa das duas mil mortes.
A tragédia desnudou a doutrina da Grande Mentira de Lula que, nos seus oitos anos de governo, não fez absolutamente nada para impedir que tragédias como esta e outras ocorressem. Em 2010, por exemplo, o ex-Imperador gastou apenas 39% da verba orçamentária para prevenção de tragédias. Durante o seu governo foram cerca de 1.400 mortes e mais de 300 mil desabrigados. Nenhuma medida concreta foi tomada para evitar que essas regiões afetadas continuassem em situação de risco.
E a tragédia também foi suficiente para desmistificar a imagem de "administradora competente" que a doutrina da Grande Mentira petista começava a construir para Dilma. Ela, todo o seu ministério e com a ajuda do falastrão governador do Rio, mostraram toda a incompetência para lidar com um problema que é o único "natural" que o país enfrenta.
Fez uma visitinha à cena da tragédia e na seqüência do vôo o seu helicóptero foi posar num campo de futebol e ela com a camisa do clube e a marca da Unimed. Virou garota propaganda.
Não anunciou nenhuma medida para salvar vidas daqui para frente. Em conjunto com o governo do Rio foram anunciadas a seguintes medidas:
01 - Liberação do FGTS, que é um fato previsto na própria legislação;
02 - Isenção do pagamento do IPVA. Ora, ora, não restou um único carro na região;
03 - Pagamento da ajuda Aluguel. Para que? As casas estão todas soterradas;
04 - Adiamento do pagamento das contas de água e luz. De que casas?
05 - Com pompa, reuniu cinco ministérios para anunciar um planinho de alarme que irá funcionar daqui a cinco anos;
06 - Nesta terça, foi pedir ajuda ao Banco Mundial para que liberasse um empréstimo de US$ 485 milhões.
Sobre esta última, dois comentários:
01 - E cadê os US$ 300 bilhões da reserva do fundo específico para catástrofes?
02 - O pedido de empréstimo foi apresentado pela imprensa de forma "disfarçada". Dá a entender que o Banco Mundial deve esse dinheiro ao Brasil. Vergonhoso!  Veja aqui na matéria de Tânia Monteiro - O Estado de S. Paulo com o título: Dilma pede ao Banco Mundial antecipação de recursos ao Rio
Note ainda que as notícias sobre a tragédia serrana passam a ocupar menos espaço, substituídas por notícias positivas. Como não tem mais petróleo para descobrir foram maquiar dados da taxa de emprego. Veja a manchete da Folha de SP Governo atinge meta de criação de emprego formal com manobra estatística
O leitor e a leitora devem passar a ler, ver e ouvir o noticiário político com bastante atenção para não se tornar um casal “margarina”, completamente tomado pela propaganda, que é super poderosa e pode invadir a sua mente com as "historinhas" da doutrina da Grande Mentira petista.