terça-feira, 31 de janeiro de 2012

As pessoas não gostam de vagabundos, ladrões e drogados travestidos de revolucionários

As pessoas não gostam de vagabundos, ladrões e drogados travestidos de revolucionários.
Os comunistas mataram muito mais gente no século 20 do que o nazismo, o que é óbvio para qualquer pessoa minimamente alfabetizada em história contemporânea.
Disse isso recentemente num programa de televisão. Alguns telespectadores indignados (hoje em dia ficar indignado facilmente é quase índice de mau-caratismo) se revoltaram contra o que eu disse.
Claro, a maior parte dos intelectuais de esquerda mente sobre isso para continuar sua pregação evangélica (no mau sentido) e fazer a cabeça dos coitados dos alunos. Junto com eles, também estão os partidos políticos como os que se aproveitam, por exemplo, do caso Pinheirinho para "armar" a população.
O desespero da esquerda no Brasil se dá pelo fato de que, depois da melhoria econômica do país, fica ainda mais claro que as pessoas não gostam de vagabundos, ladrões e drogados travestidos de revolucionários. Bandido bom é bandido preso. A esquerda torce para o mundo dar errado e assim poder exercer seu terror de sempre.
Mas voltemos ao fato histórico sobre o qual os intelectuais de esquerda mentem: os comunistas (Stálin, Lênin, Trótski, Mao Tse-tung, Pol Pot e caterva) mataram mais do que Hitler e em nome das mesmas coisas que nossos intelectuais/políticos radicais de esquerda hoje pregam.
Caro leitor, peço licença para pedir a você que leia com atenção o trecho abaixo e depois explico o que é. Peço principalmente para as meninas que respirem fundo.
"(...) um novo interrogador, um que eu não tinha visto antes, descia a alameda das árvores segurando uma faca longa e afiada. Eu não conseguia ouvir suas palavras, mas ele falava com uma mulher grávida e ela respondia pra ele. O que aconteceu em seguida me dá náuseas só em pensar. (...): Ele tira as roupas dela, abre seu estômago, e arranca o bebê. Eu fugi, mas era impossível escapar do som de sua agonia, os gritos que lentamente deram lugar a gemidos e depois caíram no piedoso silêncio da morte. O assassino passou por mim calmamente segurando o feto pelo pescoço. Quando ele chegou à prisão, (...), amarrou um cordão ao redor do feto e o pendurou junto com outros, que estavam secos e negros e encolhidos."
Este trecho é citado pelo psiquiatra inglês Theodore Dalrymple em seu livro "Anything Goes - The Death of Honesty", Londres, Monday Books, 2011. Trata-se de um relato contido na coletânea organizada pelo "scholar" Paul Hollander, "From Gulag to the Killing Fields", que trata dos massacres cometidos pela esquerda na União Soviética, Leste Europeu, China, Vietnã, Camboja (este relato citado está na parte dedicada a este país), Cuba e Etiópia.
Dalrymple devia ser leitura obrigatória para todo mundo que tem um professor ou segue um guru de esquerda que fala como o mundo é mau e que devemos transformá-lo a todo custo. Ou que a sociedade devia ser "gerida" por filósofos e cientistas sociais.
Pol Pot, o assassino de esquerda e líder responsável por este interrogador descrito no trecho ao lado, estudou na França com filósofos e cientistas sociais (que fizeram sua cabeça) antes de fazer sua revolução, e provavelmente tinha como professor um desses intelectuais (do tipo Alain Badiou e Slavoj Zizek) que tomam vinho chique num ambiente burguês seguro, mas que falam para seus alunos e seguidores que devem "mudar o mundo".
De início, se mostram amantes da "democracia e da liberdade", mas logo, quando podem, revelam que sua democracia ("real", como dizem) não passa de matar quem não concorda com eles ou destruir toda oposição a sua utopia. O século 20 é a prova cabal deste fato.
Escondem isso dos jovens a fim de não ter que enfrentar sua ascendência histórica criminosa, como qualquer idiota nazista careca racista tem que enfrentar seu parentesco com Auschwitz.
Proponho uma "comissão da verdade" para todas as escolas e universidades (trata-se apenas de uma ironia de minha parte), onde se mente dizendo que Stálin foi um louco raro na horda de revolucionários da esquerda no século 20. Não, ele foi a regra.
Com a crise do euro e a Primavera Árabe, o "coro das utopias" está de volta.
*Texto: A mulher, o bebê e o intelectual de Luiz Felipe Pondé, na Folha de SP

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Delegado delator diz que ataques a Arruda foram armação do PT de Brasília e denuncia governador Queiroz

O fim de semana não poderia ter sido melhor para o ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda. Duas revistas semanais prepararam o terreno para que ele comece a sair da toca na qual se enfiou desde que conseguiu sair da prisão, após ser acusado de receber propinas do delegado Durval Barbosa, no que se convencionou chamar de “mensalão do DEM”. De férias em Morro de São Paulo, uma praia paradisíaca na Bahia, Arruda comemorou as publicações.
Na revista Época, sua volta à política foi anunciada pelo colunista Felipe Patury. Leia abaixo:
Com uma casa em Brasília e outra em São Paulo, o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda descansa com a família em Morro de São Paulo, no sul da Bahia. Único governador da história a ser preso enquanto estava no cargo, Arruda se prepara para voltar à política. Ele quer se candidatar a deputado federal em 2014. Só falta arranjar um partido que o receba.
Em Veja, a reportagem lhe foi ainda mais favorável, pois afirma que a Operação Caixa de Pandora teria sido armada pelos adversários de Arruda no PT, em especial pelo atual governador, Agnelo Queiroz. A revista, da Editora Abril, traz uma entrevista com o delator do esquema, delegado Durval Barbosa, que agora volta suas baterias contra Agnelo. Ou seja: o delegado que derrubou Arruda, agora tenta atacar mais um governador do Distrito Federal.
Dois anos depois de deflagrada, a Operação Caixa de Pandora serviu para tirar Arruda do governo do Distrito Federal, mas não produziu efeitos jurídicos. Até agora, o Ministério Público do DF não conseguiu sequer apresentar uma denúncia contra Arruda.

domingo, 29 de janeiro de 2012

FBI busca ferramenta para extrair dados de redes sociais

(AFP) -O FBI está buscando uma ferramenta que permita extrair pistas úteis para a agência de inteligência americana por meio das redes sociais na internet.
A agência perguntou a companhias de Tecnologia da Informação sobre a possibilidade de desenvolver um programa que “reforce suas técnicas para coletar e compartilhar informação de inteligência processável de ‘fontes abertas’”.
A solicitação foi publicada em um site, que oferecia a oportunidade de fazer negócios com o governo federal.
“As mídias sociais se tornaram uma fonte primária de inteligência porque se tornaram na primeira resposta a eventos-chave e de alerta primário em situações em desenvolvimento”, afirmou a oferta da agência.
“Os analistas de inteligência utilizam as redes sociais para receber a primeira advertência de que uma crise ocorreu”, admitiu.
Por isso, explicou, a ferramenta procurada “deve ter a capacidade de reunir rapidamente informação crucial de livre disponibilidade que permita identificar e localizar rapidamente eventos de destaque, incidentes e ameaças emergentes”.

sábado, 28 de janeiro de 2012

6º PIB. 1ª pior política econômica

Houve muita fanfarra com a estatística que apontou ter o Brasil a sexta maior economia do mundo pelo enganador critério do PIB (produto interno bruto). Na maioria dos países o PIB real é superestimado, para dar a impressão de que a economia está indo bem.
2. Para isso, usam-se vários truques, em muitos países, que subestimam a elevação dos preços: a) alterar a cesta de produtos que compõem os índices de inflação, e o respectivo peso; b) supor que toda modificação de produto significa melhora técnica; c) quando da substituição, no consumo, de bem ou serviço de maior valor por outro de menor qualidade, devido a aumento de preço daquele, considerar que não houve elevação.
3. No Brasil, além de algumas dessas modalidades de manipulação, as taxas de crescimento do PIB deram alguns saltos, desde o final dos anos 60, em função de alterações nos critérios dos cálculos, o que transmite a impressão enganosa de rápido progresso a partir dessa época.
4.  Além das distorções em moedas nacionais, as variações nas taxas de câmbio afetam em muito os dados comparativos. O câmbio do real está supervalorizado. Em média, sua taxa foi, em 2010, R$ 1,70, enquanto se estima em R$ 2,50 a que poderia melhorar a posição competitiva dos bens  industriais produzidos no País. Corrigido o câmbio nessa proporção, o PIB cairia muitas posições para abaixo da 10ª.
5. O mais importante, porém, é que o PIB registra o que é produzido no País, sem considerar, de um lado, quanto dessa produção pertence aos residentes e a empresas locais, e, de outro lado, quanto pertence a residentes no exterior e a empresas estrangeiras.
6. Portanto, há muitíssimo tempo, o PIB se tornou quase irrelevante, em razão de ter sido a produção transnacionalizada, mormente no Brasil, onde isso é patológico.
7. O PNB (produto nacional bruto) daria ideia menos distorcida das coisas, pois em seu cálculo  é deduzido do PIB o que  residentes no exterior e empresas estrangeiras ganham com a produção no País, e adicionado o que residentes no Brasil e empresas brasileiras auferem no exterior.
8. Entretanto, quase não se fala do PNB.  Além disso, no Brasil, ele sempre foi subestimado, porquanto grande parte das empresas controladas de fora do País  figura nas estatísticas  com participação de capital estrangeiro inferior à real, já que é registrada em nome de laranjas.
9. A apuração oficial do PNB  é ainda muito  mais distante da realidade, por ter sido criminosamente  suprimida a distinção entre empresas de capital nacional e de capital estrangeiro, quando da “reforma” do capítulo econômico da Constituição de 1988, encomendada pela oligarquia  estrangeira a FHC e a demais asseclas.
10. Ora,  o Brasil é um dos países em que é mais alta e, na realidade, predominante a parte da renda produzida no País sob o capital estrangeiro, grande parcela da qual é anualmente transferida para o exterior, não só como lucros e dividendos oficiais, mas também em outras contas das transações correntes, através de  bens e serviços superfaturados na importação e subfaturados na exportação.
11. A economia brasileira já estava grandemente controlada por empresas transnacionais no início dos anos 70. Depois, o País sofreu  devastação decorrente da crise das contas externas no final dos anos 70. Ao longo dos anos 80, a elevação absurda dos juros da dívida externa com  a fraude à Constituição de 1988, que fez privilegiar o “serviço da dívida externa”.
12. Esse, desde então, nos custou quantia próxima a R$ 10 trilhões em valores atualizados. Nos anos 90, houve a avalanche das privatizações, que aceleraram a desnacionalização. Desde então, elevados  ingressos acumulados de investimentos diretos estrangeiros. Estimo, pois, que o PNB não equivale a sequer 60% do PIB. Como este também é muito superestimado, não passa de 40% do sugerido pelas cifras do PIB a renda das pessoas físicas e jurídicas brasileiras.
13. Ao se comemorar que o PIB do Brasil tenha passado o da Inglaterra, a enganação é ainda maior que  a acima desmascarada, porquanto esse país-sede  da oligarquia financeira, há mais de trezentos anos, representa extremo oposto ao do Brasil.
14. De fato, o Reino Unido é único país cujo produto fora de suas fronteiras supera o realizado dentro delas. A produção interna segue estagnada, mas a oligarquia britânica nada em lucros, entre outros, os de manipular os mercados financeiros mundiais, além de contar com valiosos ativos em todo o mundo, inclusive  minas de ouro e de outros minérios preciosos no Brasil.
15. Em última análise, as mídias local e estrangeira fazem troça do Brasil quando destacam o crescimento do PIB brasileiro, como que fazendo nosso povo rir de sua própria miséria, sem de nada saber.
16. Nem falemos do poder bélico e político do Reino Unido. Recordemos apenas que sua oligarquia, coadjuvada por outras da OTAN, tem exercido pressão, praticamente sem resistência, sobre  “governos” brasileiros, para separar, de fato, do território nacional imensas e riquíssimas áreas da Amazônia, a pretexto de “proteger” indígenas (até importados para lá) e o meio ambiente.
Desnacionalização e desindustrialização
17.  No Brasil a produção ainda cresce, mas a serviço quase que exclusivo de bancos, muitos estrangeiros, inclusive os britânicos HSBC e Santander (que passa por espanhol),  e das empresas transnacionais, que controlam cada vez mais ativos no País e transferem os ganhos para o exterior, especialmente nos paraísos fiscais, quase todos em  ex-colônias  britânicas.
18. Beneficiário da escandalosa privatização do BANESPA, o maior banco estadual do mundo, entregue por nada pela troupe tucana encastelada em São Paulo, o Santander foi agora agraciado pelo CARF – Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, do Ministério da Fazenda – com a isenção de quatro bilhões de reais devidos à Receita Federal.
19. Em vez de se iludir com estatísticas conjunturais, o Brasil deveria atentar para as graves distorções de estrutura acumuladas desde 1954, as quais estão a pôr a casa em sério risco. Elas se manifestam na desindustrialização decorrente da desnacionalização da economia.
20.  Que outra coisa poderia ter acontecido, se, desde aquela época, as políticas públicas subsidiam, incessante e crescentemente, transnacionais sediadas no exterior?  Vez por outra, empresas nacionais foram ajudadas, mas, em geral, a maioria delas foi massacrada, enquanto as transnacionais nunca ficaram sem os favores da política econômica.
21. O Brasil tem agora um dos mais altos déficits de transações correntes com o exterior. Além disso, as reservas cambiais não são bem nossas, ao contrário das da China, da Alemanha e de outros que têm competitividade tecnológica e cujas reservas resultam de saldos positivos naquelas transações.  As reservas do Brasil são constituídas, em grande parte, por dólares convertidos em reais para aplicações em títulos financeiros, e elas podem deixar o Banco Central  aos primeiros sinais de crise externa.

22. Conforme dados do Banco Mundial, a participação no total mundial do valor adicionado pela indústria no Brasil permanece, desde 2000, parado em 1,7%. Enquanto isso, o mesmo indicador na China elevou-se de 6,7% em 2000 para 9,8% em 2005 e para 14,5% em 2009.

23. Segundo a mesma fonte, as  importações brasileiras de bens de alta tecnologia não chegam a US$ 40 bilhões, e as exportações não atingem sequer US$ 10 bilhões. No caso da China, as importações e as exportações somavam, cada uma, US$ 50 bilhões em 1996, e alcançaram, em 2008, US$ 325 bilhões e US$ 450 bilhões, respectivamente.

24. O modelo econômico dependente, baseado em tecnologia estrangeira  não-absorvida no País e em financiamentos geridos pelo Banco Mundial, a custos materiais e financeiros elevados, ademais de privilegiar os grandes produtores mundiais de equipamentos, inviabilizou o desenvolvimento de empresas médias e pequenas de capital nacional nos programas de investimentos públicos, como o elétrico e o siderúrgico.
25. As privatizações agravaram o quadro, tendo acabado com o espaço de empresas privadas locais tecnologicamente promissoras que, antes, forneciam equipamentos e componentes às estatais.
26. Até no âmbito da Petrobrás - por pouco privatizada com a venda de ações a estrangeiros e os diversos atentados contra ela decorrentes da Lei 9.478 -  foram revertidas políticas fomentadoras de firmas brasileiras. Conforme observou o Eng. Fernando Siqueira, da AEPET, a Petrobrás, nos anos 70, sob Geisel,  havia criado, através de transferência de tecnologia, um parque fornecedor com cinco mil empresas, que competiam com grandes multinacionais no estado da arte.
27. Diz ele: “Collor, na linha do Consenso de Washington, reduziu em mais de 30% as tarifas de importação, e  FHC jogou a pá de cal ao criar o REPETRO, pelo decreto 3161, que isentou as empresas estrangeiras de todos os impostos: II, IPI, ICMS, PIS, Cofins, tudo. Com isto, liquidou essas 5.000 empresas. As que restaram foram adquiridas pela GE.”
28. Não há espaço aqui para resumir os variados e imensos subsídios com que a política econômica presenteia as transnacionais montadoras de veículos e outras transnacionais em todos os setores da economia, sendo as benesses federais complementadas pelas estaduais e municipais. Há poucos dias, noticiou-se que o prefeito do Rio doará à General Electric dos EUA terreno de 45.000 m², na ilha do Fundão.
29. Os financiamentos do BNDES constituem vultoso subsídio às grandes  transnacionais que, cada vez mais, controlam o mercado brasileiro e recebem do banco estatal trilhões de reais a taxas favorecidas. A Thyssen, da Alemanha, líder de cartéis  mundiais, formou “joint venture” para produzir energia elétrica poluente à base de carvão, em “associação” com o multiusos Eike Batista, com 75% dos recursos providos pelo BNDES.
30. Além de subsidiar as transnacionais, o governo planeja privatizar aeroportos e “trabalha” para acentuar a dependência tecnológica do País, reduzindo para 2% o imposto de importação sobre extensa gama de bens de capital. A fabricação no País desses bens chegara, nos anos 70, a prover 60% da demanda  interna, proporção que caiu a menos de 40%, sem falar na queda substancial da participação de empresas de capital nacional.
31. Cada vez mais o Brasil  exporta recursos naturais com pouco ou nenhum processamento industrial, até no setor agroindustrial. Dos minérios estratégicos, como o quartzo e o nióbio, em que a quase totalidade da matéria-prima está concentrada no Brasil, exportam-se insumos a preços subfaturados e que não representam sequer 1/50 do valor unitário (por peso) dos bens finais em que utilizados.
32. As exportações dependem cada vez mais das  commodities. Estas  atingiram, em 2010,  70% de participação na pauta total, além estarem representadas por componente crescente de produtos básicos, inclusive nos cinco maiores grupos: minério de ferro; petróleo; soja; açúcar; café. De resto, permanece em vigor a espantosa Lei Kandir/Collor, que isenta de ICMS a exportação de bens primários.
*Texto de Adriano Benayon, doutor em economia e autor do livro Globalização versus Desenvolvimento, editora Escrituras SP.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Filha de Hugo Chávez humilha a maioria venezuelana em situação de pobreza

Foto: Reprodução
Imagem de Rosinés, de 14 anos, irritou venezuelanos, que têm de lidar com várias restrições para comprar moeda americana.
Filha de Chávez divulga foto com mão cheia de notas de dólaresImagem de Rosinés, de 14 anos, irritou venezuelanos, que têm
Para a maioria dos venezuelanos, conseguir dólares americanos em uma economia rigidamente regulamentada é um pesadelo. Mas isso aparentemente não é um problema para Rosinés, 14, filha do presidente Hugo Chávez, que postou uma foto segurando várias notas das verdinhas, informa a imprensa internacional. Chávez, que se tratou de um câncer no ano passado, tentará ser reeleito neste ano.
Rosinés, filha de 14 anos do presidente Hugo Chávez, postou no Instagram foto sua segurando várias notas de dólares
Em um país dividido, onde o presidente critica os empresários e classifica o capitalismo de flagelo da humanidade, a imagem divulgada no Instagram - um aplicativo para compartilhamento gratuito de fotos disponível em iPhones e outros produtos da Apple - irritou venezuelanos que têm de recorrer a uma agência do governo para comprar dólares.
De acordo com o jornal britânico Guardian, o Twitter, o Facebook e outras redes sociais se encheram com o ressentimento de pessoas que dizem não ter condições de trocar os bolívares por causa dos limites de dólares que podem ser comprados na taxa oficial fixada.
O governo da "Revolução Socialista do Século 21" controla severamente a compra de dólares há quase uma década, criando um próspero mercado negro para a moeda estrangeira e deixando os venezuelanos sem dólares suficientes para viagens ou negócios. Venezuelanos comuns podem comprar um dólar pagando 4,3 bolívares, mas frequentemente dão duas vezes mais do que isso para obter o máximo de dólares que puderem.
A foto de Rosinés, para muitos venezuelanos, revela o sistema paralelo em funcionamento: acesso fácil para os que são próximos de Chávez e restrições para os que não têm conexões.
Rosinés virou notícia no ano passado depois de postar uma foto com Justin Bieber, o pop star canadense, depois de sua chegada a Caracas para o show. Os críticos disseram que isso era uma mostra o estilo de vida privilegiado da família.
* ॐ کρiT²°¹² por e-mail, via resistência democrática - yahoogrupos.com.br

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Comissão da mentira

Uma avaliação da Lei da Comissão da Verdade - CV (Lei Nº 12.528, sancionada em 18/11/2011) revela sua falsa imparcialidade. Na Lei, os objetivos da CV exalam facciosismo e maniqueísmo.
Um deles é “promover o esclarecimento (---) de torturas, mortes, desaparecimentos forçados, ocultação de cadáveres”. Por que não “promover o esclarecimento”, também, de atentados terroristas, sequestros de pessoas e aviões e justiçamentos, crimes típicos da luta armada, alguns não elucidados? É falso dizer que todos ex-guerrilheiros são conhecidos, cumpriram suas penas e, por isso, não precisam ser ouvidos. Alguns nunca foram presos e muitos foram libertados em troca da vida de gente sequestrada.
Outro objetivo é “identificar e tornar públicos as estruturas, os locais, as instituições e as circunstâncias relacionados à prática de violações de direitos humanos (---) e (---) eventuais ramificações nos (---) aparelhos estatais e na sociedade”. Por que não “identificar e tornar públicos”, também, os locais de cativeiro de sequestrados, de atentados terroristas e execuções, cometidos pela guerrilha, e os covis de homizio e conspiração de partidos, então ilegais, e de grupos armados, para implantar uma ditadura como as da URSS, China e Cuba?
A Lei estabelece que “as atividades da [CV] não terão caráter jurisdicional ou persecutório”. Porém, o contexto político atual e as perspectivas futuras indicam o contrário. O Ministro Ayres Brito do STF reconheceu, em parecer, o direito das vítimas moverem ações civis indenizatórias contra ex-agentes do Estado à revelia da Lei de Anistia, quando é o Estado - concessor do perdão - quem deve assumir tais indenizações. A OAB, apesar de o STF ter confirmado a abrangência da anistia, insiste na submissão do Brasil à Corte Interamericana de Direitos Humanos, que não a reconhece para ex-agentes do Estado.
Posição insustentável, pois o Brasil aderiu à Corte para violações após 1998. A Presidente Dilma, quando Chefe da Casa Civil, defendia a revisão da anistia e a investigação pela CV para punir apenas os ex-agentes do Estado, tendo endossado, para sanção do então Presidente Lula, as propostas do 3º Programa Nacional de Direitos Humanos neste sentido. Em tão pouco tempo, mudou de posição por convicção ou recuou só por pragmatismo?
Setores nacionais e estrangeiros e autoridades dos três Poderes pressionam pela punição de ex-agentes do Estado. Em 2014, tudo indica que um relatório unilateral e maniqueísta da CV, um STF renovado à feição do Governo e a contínua pressão interna e internacional ampliarão as possibilidades de êxito da campanha de revisão da Lei de Anistia. Como a CV está autorizada a “convocar (---) pessoas que possam guardar (---) relação com os fatos (---) examinados”, os ex-agentes ouvidos arriscarão produzir provas contra si próprios. Anistia relativizada, insegurança jurídica decretada.
Se a intenção fosse revelar a verdade e não uma versão facciosa, a CV teria de apresentar quem planejou e executou assassinatos, sequestros e atentados, ou atuou na logística, bem como os participantes de tribunais de justiçamento de guerrilheiros que abandonavam a luta armada. Todos deveriam ser expostos à Nação como o serão os ex-agentes do Estado. Afinal, se outro objetivo na Lei da CV é “a reconstrução da história dos casos de graves violações de direitos humanos, (---) para que seja prestada assistência às vítimas de tais violações”, é imprescindível que as cometidas pela luta armada sejam, também, esclarecidas.
Eis aí um dilema! E se uma autoridade atual, seja ela quem for (inclusive a Presidente), tiver participado direta ou indiretamente, portanto co-responsável, de um crime com vítimas? Estas precisarão conhecer os responsáveis por suas sequelas, para mover-lhes ações civis indenizatórias à revelia da anistia, conforme o parecer do Ministro Ayres Brito, ou serem indenizadas pelo Estado. A justiça não pode ser parcial!
A Lei da CV reza ainda que: seu funcionamento será na Casa Civil; caberá à Presidente da República a designação de seus membros; não poderão integrá-la pessoas que “não tenham condições de atuar com imparcialidade”; e que seu propósito é “(---) esclarecer as graves violações de direitos humanos (---) a fim de efetivar o direito à memória e à verdade histórica (---) e promover a reconciliação nacional”. Tudo encenação a camuflar o revanchismo.
A CV não será autônoma, pois funcionará no Executivo onde há forte influência da esquerda radical. A Presidente Dilma, ex-guerrilheira, não é isenta nem tem autonomia, de fato, para escolher os seus membros. A maioria será, no mínimo, simpática à investigação unilateral, pois é ilusão crer em imparcialidade onde há ideologia. A CV tinha de ter representantes dos dois lados investigados e em igual efetivo. Onde houvesse impasse, as duas versões constariam do relatório para que cada cidadão avaliasse de per si.
Direito à memória e à verdade histórica? O Brasil nunca precisou de CV para conhecer sua História, bastando o trabalho de historiadores. Reconciliação nacional? Não há cisão social oriunda do regime militar ou as Forças Armadas não estariam entre as instituições de maior credibilidade no País. A anistia não visou pacificar a sociedade, mas sim grupos radicais, à esquerda e à direita, que dificultariam a redemocratização. A Nação apoiou o Estado contra a esquerda revolucionária, que não foi reconhecida por nenhuma democracia, nem pela ONU ou pela OEA, como representante do povo brasileiro ou defensora da liberdade. Seu apoio vinha das ditaduras comunistas soviética, cubana e chinesa, responsáveis pelas maiores violações aos direitos humanos.
O Legislativo fisiológico, submisso ao Governo e carente de senso de justiça foi conivente ao não corrigir as distorções do Projeto de Lei da CV, comprometendo sua autonomia, imparcialidade e confiabilidade. A versão facciosa e maniqueísta dessa Comissão chapa branca será uma estória oficial, nunca a verdade.
*Luiz Eduardo Rocha Paiva, General de Divisão na Reserva do EB - www.alertatotal.net

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Quando é preciso ter o máximo de tolerância com a ignomínia da esquerda brasileira

O DIA EM QUE O PIRATINI SE SUJOU COM O SANGUE DE INOCENTES - VEJA O FILME EM QUE TARSO GENRO ABRAÇA O ASSASSINO. OU: ESTE ABRAÇO ESCONDE QUATRO CADÁVERES
Mesmo eu não me sentindo minimamente responsável por Tarso Genro ter sido ministro da Justiça e ser hoje governador do Rio Grande do Sul, ainda assim, eu experimento certa vergonha por ele ter exercido o cargo que exerceu e exercer o que exerce. Vejam o filme com trecho da reportagem da Band em que o petista abraça efusivamente o assassino Cesare Battisti. Volto em seguida.

Ontem, os petralhas inundaram a rede com filmes sobre a desocupação do Pinheirinho, denunciando mortes que nunca existiram. Acima, vocês estão vendo um vídeo sujo de sangue. Ele esconde quatro cadáveres, sobre os quais Tarso tripudia. Aliás, o biógrafo entusiasmado de Lênin, do ponto de vista intelectual, endossa os milhões de mortos do comunismo. Quatro a mais, apra ele, são irrelevantes.
Tarso agora tem uma justificativa nova para a impostura. Não teria cumprido o tratado de extradição porque o governo de Silvio Berlusconi seria fascista. É uma justificativa delinqüente. Berlusconi foi eleito e foi deposto pela democracia italiana. Era uma questão de estado, não de governo. Mas atentemos para a sua fala:
“Naquela oportunidade, o governo italiano não só tentou humilhar o Poder Judiciário brasileiro como também tentou submeter o governo brasileiro à sua visão a respeito do caso Battisti”.
Trata-se de uma afirmação escandalosamente mentirosa e absurda até para o padrão Tarso Genro. Não! O governo italiano respeitou o Judiciário brasileiro — tanto é assim que recorreu JUSTAMENTE ao Judiciário, ora essa! O que se deu foi o contrário: ao se comportar como corte revisora da Justiça da Itália, foi Tarso quem tentou humilhar o Judiciário daquele país. “Submeter o presidente Lula à sua visão???” Quer dizer que Lula se dá o direito de ter a sua própria visão dos criminosos de um outro país?
Na hipótese de que tenhamos um bom futuro, vamos nos envergonhar, como nação, enormemente por termos passado por isso. De certo modo, a história já começa a fazer Justiça a Tarso. Por que digo isso? Leiam o que falou Battisti:
“Vim agradecer ao governador pela coragem política, pelo alto valor moral que mostrou”.
Tarso Genro merece cada palavra elogiosa que lhe dirige o assassino.
PS: Battisti agora está com os cabelos longos e tingidos de louro. Sua cara, nota-se, está paralisada pelo excesso de botox. Por baixo da máscara, ainda há a face de um assassino.
*Por Reinaldo Azevedo
COMENTÁRIO: Eu quero que me expliquem por que o Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro bancou a viagem do assassino Cesare Battisti para que ele vendesse seu livro “Ao pé do muro” no Fórum Social Temático, em Porto Alegre.
Nem a editora Martins Fontes – onde o terrorista diz trabalhar – nem ele coçaram o bolso. Aliás, como trabalhar, se Battisti não tem documentos?
Para completar a palhaçada, Tarso Genro em discurso no próprio Fórum Social Temático, declarou sobre o caso Battisti: “O caso adquiriu certa notoriedade porque houve um massacre midiático. Alguns colunistas falsificaram a realidade de comum acordo com o governo mafioso, corrupto e desmoralizado. O governo italiano tentou humilhar o governo brasileiro”, confundindo, por astúcia ou ignorância, governo Berlusconi com Estado italiano.
*Por Ricardo Froes

Três mentiras de Hugo Chávez

Serra responde a declaraçõe​s de FHC sobre 2014

Serra:"Não estou de acordo, mas não vou polemizar com um amigo"
O ex-governador de São Paulo José Serra comentou nesta terça-feira, 24, a declaração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que apontou o senador mineiro Aécio Neves como “candidato óbvio” do PSDB à Presidência em 2014. “São opiniões dele. Não estou de acordo com algumas delas, mas não vou polemizar com um amigo”, disse.
Fernando Henrique manifestou a preferência por Aécio em entrevista concedida para a revista inglesa The Economist. O ex-presidente ainda previu uma “luta interna muito forte” entre o senador mineiro e o ex-governador paulista pela indicação do partido nas eleições nacionais.
Na semana passada, Serra anunciou aos aliados que não pretende entrar na disputa pela Prefeitura de São Paulo e disse que pretende focar nas questões nacionais, visando o projeto de disputar, pela terceira vez, a Presidência da República.
Em nota divulgada nesta terça, Aécio agradeceu a iniciativa de Fernando Henrique e disse que caberá ao partido escolher “o melhor nome” para 2014. “Agradeço a referência do presidente Fernando Henrique. O partido saberá definir o melhor nome, entre os vários de que dispõe, no momento certo, que, acredito, será após as eleições municipais.”
O mineiro acrescentou que o partido deve trabalhar para se fortalecer “para além do alcance do discurso”. “No momento certo, independentemente de quem será o nome, o PSDB estará em condições de apresentar um projeto ao país que faça o contraponto ao modelo de governança representado hoje pelo PT”, concluiu.
Sem pressa. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também comentou a declaração de Fernando Henrique nesta terça-feira. Ele disse que existem “grandes nomes” no PSDB, mas o tema precisa “ser amadurecido e não há razão para essa discussão” a dois anos da eleição presidencial.
Alckmin respondeu com bom humor quando foi perguntado se a previsão de Fernando Henrique estava correta sobre o seu distanciamento da corrida presidencial. “A minha modéstia não permite (comentar)”, disse.
O governador participou nesta terça-feira de cerimônia de assinatura de decreto que regulamenta o Programa Paulista da Agricultura de Interesse Social (PPAIS), iniciativa que deve beneficiar cerca de 150 mil famílias de agricultores familiares, estimulando a produção e garantindo a comercialização dos produtos.
*Bruno Siffredi, do estadão.com.br, e Gustavo Uribe, da Agência Estado.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Chávez tem de 9 meses a um ano de vida, diz jornal

Segundo o jornal espanhol ABC, o ditador de Venezuela, Hugo Chávez, tem de nove meses a um ano de vida. Paciente de câncer, originalmente na próstata, ele estaria com metástase nos ossos e no cólon. O ABC sustenta que ele suspendeu a quimioterapia e que o objetivo de seu tratamento agora é só mantê-lo vivo até as eleições de outubro. Leim texto do ABC, em espanhol. E lembrem-se: este blog aposta sempre na vida, nunca na morte. E vale até para Chávez.
*
El presidente de Venezuela, Hugo Chávez, debía ser tratado de su cáncer en Moscú a finales de noviembre. A última hora decidió no abandonar el país por temor a que una ausencia le hiciera perder el control de la situación política venezolana. Esa ha sido la crónica de su enfermedad: un constante aplazamiento de tratamientos que no ha hecho más que agravar el cáncer incurable que padece, de acuerdo con los informes de Inteligencia a los que ha tenido acceso ABC y a los que ya ayer hizo referencia.
Chávez ha optado por “un tratamiento hecho a medida para mantenerle vivo hasta las elecciones de 2012, más que orientado a prolongar su esperanza de vida”, indica su equipo médico, según se cita en las informaciones confidenciales obtenidas, manejadas por Servicios de Inteligencia. En su última estimación, los médicos le conceden una esperanza de vida de entre 9 y 12 meses.
Ya su primera intervención quirúrgica en Cuba se produjo con gran retraso respecto al momento en que se le detectó el cáncer de próstata. Esto último ocurrió en enero de 2011, pero hasta mayo no encontró el tiempo ni la posibilidad de esconder una estancia de varias semanas a La Habana. Después de que los médicos determinaran que el cáncer se había extendido a huesos y colon, sin que una primera ronda de quimioterapia en julio tuviera los resultados esperados, los especialistas le recomendaron una inmediata segunda ronda. Chávez no se sometió a ella hasta el primer fin de semana de septiembre por no querer abandonar de nuevo el país y trasladarse a Cuba. Finalmente, los médicos rusos que se han hecho cargo de su caso tuvieron que trasladarse en secreto a Caracas.
Más estimulantes
Desde el comienzo se planteó la conveniencia de un viaje a Moscú. Chávez dio su provisional conformidad y se planificó el desplazamiento para la tercera semana de noviembre de 2011, disfrazado como una visita oficial. Una alternativa era recibir el tratamiento necesario en Cuba o en Brasil. Pero el presidente nunca se comprometió del todo y mantuvo la cuestión abierta hasta una semana antes de su prevista partida, en que rechazó dejar Caracas. Esa renuncia fue como quemar las naves. «Prefiere cortos tratamientos que le permitan estar al cargo», aseguran los informes. Eso explica que en las últimas semanas los esfuerzos médicos se hayan centrado en permitirle una gran actividad con el aumento de analgésicos y estimulantes.
*Reinaldo Azevedo

Garota de 17 anos inventa nanopartícula que mata células cancerosas

O que você estava fazendo quando tinha 17 anos? Jogando videogame? Matando aula? Fumando escondido?
A menos que você tenha respondido “curando o câncer”, prepare-se para se sentir um fracassado em comparação com Angela Zhang.
A garota da Califórnia – nos seus impressionantes 17 anos de idade – acaba de ganhar 100.000 dólares (cerca de 180 mil reais) no Grande Prêmio de Matemática, Ciência e Tecnologia do Concurso da Siemens com o projeto “Design da liberação de drogas guiada por imagem e controlada fototermicamente através de um nanosistema multifuntional para o tratamento de células-tronco cancerosas”.
É ainda mais impressionante quando você entende o que esse título realmente significa: basicamente, Angela criou uma nanopartícula que mata células cancerosas.
Ela disse que a partícula melhora os tratamentos atuais contra o câncer porque oferece uma maneira de entregar a droga diretamente nas células tumorais, sem afetar as células saudáveis ao redor delas. A partícula também é capaz de liberar uma droga quando ativada por um laser.
Sua criação está sendo anunciada como um “canivete suíço no tratamento do câncer”, porque tem muitos usos potenciais diferentes.
Como é frequentemente o caso com esses tipos de inovações, ainda está muitos anos longe de ser usada em pacientes reais, mas ainda é um grande feito, especialmente para uma adolescente.
A vitória de Angela não veio sem dedicação. Ela trabalhou nestas nanopartículas desde 2009 e passou mais de 1.000 horas no projeto. Sua pesquisa foi estimulada pela morte de seu avô e bisavô, ambos de câncer. Tudo o que a garota pudesse fazer para impedir a doença de matar mais pessoas, ela queria fazer. E parece que conseguiu.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Com milhões de zumbis somados aos adoradores do "mulla", o que será deste país?

Drogados zumbis, sem-terras, e politicos corruptos, o exercito que mantem o Brasil no atraso do subdesenvolvimento.
O senador Wellington Dias (PT-PI) afirma que não basta investir em iniciativas repressivas contra as drogas. Ele alerta para a necessidade de atenção especial ao tratamento e à reinserção social dos dependentes químicos. "É preciso, de um lado, combater a produção e a venda, e, de outro, reduzir o consumo. Quando você ataca uma região da cidade, (como, por exemplo, a ‘Cracolândia’, em São Paulo) mas não resolve a raiz do problema, essas pessoas mudam de lugar, porque elas não deixam de existir. É preciso prevenir, tratar e reinserir esse dependente químico na família dele, na comunidade dele, no emprego, na escola – diz o senador, que presidiu a Subcomissão Temporária de Políticas Sociais sobre Dependentes Químicos de Álcool, Crack e Outras Drogas".
A senadora Ana Amélia, também se diz favorável à internação não voluntária e compulsória dos dependentes. "Primeiramente, é necessário tentar convencer o dependente a se tratar. E, quando isso não for possível, fazer essa internação forçada, porque essa pessoa dependente não está com um grau de discernimento normal", argumenta.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o Brasil tenha um prejuízo anual aproximado de R$ 30 bilhões por ano no setor público devido à falta de uma política adequada de combate às drogas.
Estimativas da Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados e da Polícia Federal indicam que já existem mais de 1,2 milhões de usuários de ‘crack’ no país. Para o senador Wellington Dias (PT-PI), o cálculo é modesto e o número de dependentes já deve estar na casa dos 2 milhões.
*Enviado por Jorge Roriz (com informações da agência Senado)

domingo, 22 de janeiro de 2012

Ditadura cubana

DITADURA CUBANA TORTURA PRESOS POLÍTICOS E OS DEIXA NUS EM SOLITÁRIAS COM RATOS E BARATAS. FOI ISTO QUE LEVOU WILMAN À MORTE!
Uma grande fita negra simboliza o luto pela morte sob tortura do preso político cubano Wilman Villar Mendoza. Ao fundo a líder das Damas de Branco, organização que luta contra os ditadores Fidel Castro e de seu irmão Raúl que continuam assassinando presos políticos sob o silêncio cúmplice da maioria dos chefes de Estado. As manifestações dos governos de todo o mundo são pífias, frias, miseráveis. A foto é do site do jornal El Nuevo Herald que dá ampla cobertura a mais esse ataque covarde dos irmãos Castrocontra os que lutam pela liberdade e a democracia.

O preso político cubano Wilman Villar Mendoza, de 31 anos, morreu em um hospital de Santiago de Cuba na tarde da quinta-feira, sob a custódia do governo da ilha, durante uma greve de fome que fazia para protestar contra sua condenação. Ontem, enquanto o dissidente era velado, ONGs cubanas denunciaram uma nova onda de detenções, que impedia o funeral de se transformar numa manifestação.

Integrante da União Patriótica de Cuba (Unpacu), entidade que desde agosto busca reunir a dissidência nas províncias orientais do país, Villar cumpria 4 anos de prisão - condenado por "resistência, desacato e atentado" - na penitenciária de Aguaderos, segundo José Daniel Ferrer, o líder da Unpacu, relatou ao Estado.

Ferrer afirmou que Villar começou a greve de fome assim que foi condenado, em 24 de novembro. "Dez dias antes, ele tinha sido preso enquanto distribuía folhetos em Contramaestre. Na delegacia, disseram que se ele deixasse a dissidência, nada mais ocorreria. Mas ele não aceitou a oferta."

Na prisão, considerada de "segurança máxima" pelos dissidentes cubanos, o estado de saúde de Villar deteriorou-se. Ferrer afirmou que "carcereiros enganadores" prometeram que ele seria libertado juntamente com outros opositores, caso suspendesse a greve de fome e, "no dia 23 (de dezembro), ele voltou a ingerir alimentos líquidos". Nesse período, a mulher de Villar, Maritza Pelegrino Cabrales - integrante do grupo Damas de Branco -, organizou ao menos dois protestos diante da penitenciária, segundo Ferrer.

No dia 29, ao dar-se conta de que não ganharia a liberdade, Villar retomou o jejum, de acordo com o relato. Ferrer disse que os carcereiros de Aguaderos, dessa vez, puniram o protesto do ativista preso com o confinamento solitário. "Os guardas despem os detentos e os colocam nas celas de castigo, com ratos e baratas, para que o frio e a insalubridade os obrigue a parar com os protestos."

Segundo Ferrer, a umidade e a baixa temperatura provocaram uma pneumonia em Villar, que evoluiu para uma infecção generalizada, em razão de seu estado de saúde já deteriorado pelo jejum. No dia 13, o dissidente preso foi levado ao hospital onde morreu, de acordo com o relato.

O líder da Unpacu afirmou que Villar foi "recrutado em setembro, depois de já ter sido detido por se manifestar contra o regime". "Ele era um jovem que, como tantos, já havia sido vítima de perseguição por criticar o sistema", disse, explicando que uma das funções de sua ONG é identificar possíveis dissidentes e "mostrar a eles a desobediência civil como um caminho para a democracia".Segundo Ferrer, Villar recomendava a jovens que assistissem aos mesmos filmes sobre Mahatma Gandhi e Martin Luther King que o haviam convencido a entrar para a dissidência ativa quando foi preso.

Juntamente com Ferrer, o ativista Elizardo Sánchez, denunciou a prisão de "dezenas" de dissidentes em Santiago de Cuba, Guantánamo e Holguín. O objetivo das detenções seria impedir que os ativistas comparecessem ao enterro de Villar, na tarde de ontem, em Contramaestre.
No fim da noite, Havana negou que Villar fosse um dissidente e disse que ele não estava em greve de fome, qualificando-o como um "preso comum". (Do site do jornal O Estado de S. Paulo)
MEU COMENTÁRIO:Espera-se um pronunciamento contundente por parte da secretária de direitos humanos do governo da Dilma, a gaúcha Maria do Rosário.
E, face a escalada da repressão e da tortura contra os dissidentes cubanos, espera-se também que Dilma suspenda sua visita oficial a Cuba prevista para o final deste mês.
Finalmente, espera-se que os nobres deputados e senadores da oposição lavrem um protesto contra os dois criminosos assassinos que dominam Cuba: Fidel Castro e seu irmão Raúl.(Blog do Aluizio Amorim)

sábado, 21 de janeiro de 2012

Afinal, quem é reacionário?

Quando acusam adireita democrática de reacionária eu fico me perguntando como se classificaalguém que em pleno século 21 seja capaz de: a) afirmar que o Brasil pertenceaos índios (sentença tão ignorante quanto macabra, que impede a existênciamoralmente legítima da nação brasileira); b) defender métodos de produçãoagrícola do séc. 19 e a estrutura fundiária que caracterizou, entre nós, acolonização alemã e italiana; c) apontar como modelo a ser seguido a relaçãoindígena com a natureza e seus bens; d) obstar os avanços tecnológicos naagricultura e na indústria; e) transformar em ícones pessoas como Lênin, CheGuevara ou Fidel Castro; f) empregar métodos marxistas para análise históricaou econômica quando tais métodos levaram o próprio Marx a equivocadíssimasprevisões. Agora, olhe à sua volta e me diga quem é reacionário?
 *Percival Puggina

"Homem forte" de Dilma morre por falta de atendimento em hospitais

Homem forte de Dilma nas ‘negociações’ com servidores públicos morre por falta de atendimento em hospitais. E agora, governador Agnelo?
O secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira, morreu às 5h30 de quinta-feira (19), aos 56 anos. Após sofrer um infarto agudo do miocárdio quando estava em casa, na 303 Sul, foi levado aos hospitais Santa Lúcia e Santa Luzia. Mas, sem um talão de cheques em mãos, teve o atendimento negado. Ele era conveniado da Geap, plano não coberto pelos dois hospitais, segundo as centrais de atendimento.
Quando chegou ao Hospital Planalto — o terceiro na busca por uma emergência —, o quadro já estava avançado e os médicos não conseguiram reanimá-lo.
[pedimos vênia para destacar que se o sistema de saúde pública do DF, e do Brasil, não fosse um CAOS, o senhor Duvanier muito provavelmente teria sido atendido a tempo de ter sua vida salva, haja vista que residindo na 303 Sul, estava a uma distância inferior a 500m do Hospital de Base do DF.
Mas, certamente os que o socorreram sabendo das caóticas condições do atendimento na rede pública optaram por levá-lo a hospitais particulares e situados a mais de 4 km de sua residência.
Lamentável, governador Agnelo e lembramos que seu governo já tem mais de um ano e nada foi feito de melhora efetiva na rede pública de saúde.]
Procurado pelo Correio, o Hospital Santa Lúcia informou que o caso estava sendo avaliado pelo seu Departamento Jurídico. O Santa Luzia garantiu não ter qualquer registro da entrada de Duvanier na emergência. “Iniciamos um levantamento para verificar o assunto”, assegurou Marisa Makiyama, diretora técnica assistencial do estabelecimento. O Hospital Planalto ressaltou que não se pronunciaria devido ao fim do expediente. Duvanier era o responsável pela gestão dos servidores públicos federais e o homem forte da presidente Dilma Rousseff para liderar as negociações com sindicatos e demais entidades representantes do funcionalismo.
O diretor-geral da Polícia Civil do Distrito Federal, Onofre Moraes, afirmou que, diante das denúncias de servidores e dos relatos levados a ele pelo Correio, abrirá inquérito para apurar as condições e o atendimento recebido por Duvanier Paiva nos hospitais Santa Lúcia e Santa Luzia. Se comprovado que houve negligência, os responsáveis poderão ser punidos. A exigência de cheque, cartão de crédito ou outros valores a título de caução para pacientes que alegam possuir plano de saúde é expressamente ilegal.
Órgãos de defesa do consumidor ouvidos pelo Correio consideraram gravíssima a recusa de atendimento a Duvanier, vítima de infarto. O artigo nº 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) determina, em seu inciso 5º, que o prestador de serviço não pode exigir “vantagem manifestamente excessiva” do consumidor — caso no qual se encaixa o caução, uma vez que o próprio plano de saúde é a garantia do hospital.
Estado de perigo
Desde 2003, a Resolução Normativa nº 44 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) também proíbe a cobrança de qualquer tipo de garantia adicional antecipada ou durante a prestação de serviço. “Não é só ilegal. É muito ilegal. Além dessas regulamentações específicas, o Código Civil protege o cidadão das cobranças abusivas no que é classificado como Estado de Perigo, que são essas situações extremas na qual o sujeito está defendendo a própria vida, como quando ele chega a um hospital buscando atendimento de emergência”, enfatizou Joana Cruz, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).
O diretor-geral do PROCON-DF, Oswaldo Morais, afirmou que a recusa de atendimento é injustificável, uma vez que a identificação do paciente junto ao plano de saúde é simples de ser feita. “Os hospitais conveniados mantêm contato permanente com as operadoras. Com o número do CPF, é perfeitamente possível saber se a pessoa tem ou não o plano”,afirmou. E mesmo no caso de o hospital não aceitar o plano do paciente, o atendimento, diante do risco de morte, deve ser feito do mesmo jeito, com ressarcimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Morais ressaltou que o PROCON pode intervir imediatamente na questão, caso seja acionado. “Nas situações em que somos avisados, podemos entrar em contato com o hospital ou com a operadora e tentar solucionar a questão rapidamente”, completou. Quando há prejuízo à saúde ou nos casos de morte pela negativa do atendimento, a família deve procurar a Justiça — nos Juizados Especiais Cíveis, em ações menores do que 40 salários mínimos ou na Justiça comum, para processos com valor acima desse teto.
Joana Cruz, do Idec, assinalou que não há números precisos para esse tipo de ocorrência, mas que as reclamações de exigência de cheque-caução na rede privada de hospitais são corriqueiras. “Foi exatamente por essa frequência que a ANS baixou essa determinação”, concluiu.
*Fonte: Correio Braziliense

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

“Eles” tentaram criar o “drogadamente correto”, mas a sociedade rejeitou

Petistas, ongueiros, padres belzebus, jornalistas, consumidores recreativos de drogas… Toda essa gente se juntou para atacar a Polícia Militar em São Paulo, em sua correta ação na cracolândia, falando em nome de um novo código: o “Drogadamente correto”. A exemplo do “politicamente correto”, também esse é um código fascistóide, que pretende impedir as pessoas de pensar em nome de supostas verdades consolidadas, que são nada mais do que escolhas políticas e até ideológicas.
Não existe o “drogadamente correto”. Existem o legal e o ilegal. É claro que doentes têm de ser tratados — a menos que, na suposição de que possam escolher, eles não queiram. Se não tiverem mais poder de escolha, que se escolha por eles, segundo os direitos fundamentais garantidos pela Constituição (também os direitos de quem não se droga!!!).
Em qualquer dos casos — com ou sem poder de escolha —, viciados não podem sitiar em suas casas os que não partilham de seu vício nem são responsáveis por sua doença. Eis a questão que aquela gente não entendeu: os códigos regulam também a vida dos drogados; não serão os drogados a regular a aplicação dos códigos.
Ou é assim, ou é a volta ao estado da natureza, como se via na cracolândia.
*Por Reinaldo Azevedo

Sexo, texto e contexto

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A obra prima do guru literário dos petistas



Leiam ouçam “MARLI MEU TRAVESTI”, obra-prima de Amaury Ribeiro Jr., autor de “Privataria Tucana”

Marli meu travesti

(Amaury Ribeiro Jr – letra, música e interpretação)

Foi no banheiro do cine brasil
Que eu te conheci
Trocamos olhares
E a meio outros pares

Marli, meu travesti
Cruzamos as pernas
Grudamos as pintas
Cresceu a sua mão
Fugimos dos guardas
E o pau quebrava

Ao som dos “reis do ieieié”
E hoje vivemos apaixonados
Você é só minha meretriz
Fazemos façanhas, inventamos mil transas
Nos damos sem pudor

Somos românticos, apaixonados
O maior dos casais
Adotamos uns filhos
Deixamos os tiros
Em nome do nosso amor

Trocamos as roupas
Juntamos as bocas
Pra não se separar
Erguemos um teto
E sonhamos com os netos
Pra nos continuar

E quando viajas
O mundo desaba
E começo a lembrar
Que amor simbiótico
Que sonhos eróticos
Marli, não vivo sem ti

Esta maviosa canção consta do disco – CD, álbum, ou seja lá o que for que toque música – “Precoce” de Amaury Ribeiro Jr., ninguém menos que o autor de “Privataria Tucana”, o moderno manual dos petralhas.
E ainda querem dar crédito a um demente dessa estirpe.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Estupro?

Até agora não consigo entender como considerar estupro um ato consentido. Por mais que estivéssem, ambos, sob efeito do álcool ingerido na festa do BBB 12, o ato que se vê acima, não se caracteriza como estupro.
Estupro ou safadeza?
Você decide!

O comunismo mata a democracia e a liberdade

Em 23 de fevereiro de 2010 - quando o prisioneiro político Orlando Zapata morreu em Cuba depois de 85 dias de greve de fome...- Lula estava em visita a Fidel Castro ...e ao lado do ditador foi fotografado dando risada para as câmeras de todo o mundo, feliz...como se nada tivesse acontecido...O crime de Zapata: liberdade de consciência! Lula riu quando Zapata morreu!
Agora temos o médico cubano  Oscar Elias Biscet condenado há 25 anos de cárcere pelo mesmo "crime": Não aceitar o comunismo...
Um homem que é exemplo de amor ao próximo vivenciando uma siuação dessas...só num regime totalitário, anti-democrático e injusto.
Vamos esperar que morra para chorarmos por ele? Porque outros darão risada novamente, com certeza!!!
DENUNCIE!!!ESPALHE. E quem souber colocar este anexo no Facebook ou no Twitter, que o faça!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

MST treina homens para a "guerra"


O MST está treinamento, diáriamente, os ‘soldados’ do Pinheirinho que passam por treinamento de guerrilha com noções de defesa e ataque.
Mas o local é mantido sob sigilo absoluto. Já, as mulheres se dedicam a cortar e costurar escudos. Algumas afirmam que também irão enfrentar a luta armada.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

A Bahia dá o primeiro passo para o retrocesso democrático.

O governador Jaques Wagner (PT) empossou os 27 membros de um conselho para criar a política de comunicação da Bahia e "orientar" a atuação dos órgãos estatais de TV e rádio.
Criado por lei estadual de maio de 2011, o Conselho de Comunicação da Bahia é o primeiro do gênero do país. Tem sete membros do governo baiano, dez indicados por empresas de comunicação e dez de movimentos sociais.
Wagner negou que o colegiado vá interferir ou controlar o conteúdo de veículos de comunicação, mas o texto genérico da lei confere atribuições aos conselheiros também na esfera privada.
A Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV) disse que a criação do conselho é inconstitucional porque cabe à esfera federal legislar sobre o tema. (Folha de São Paulo)
COMENTO: Só poderia ser um governador petista. São representantes do retrocesso, do atraso democrático. Têm discurso fácil porém longe da realidade que eles pretendem implantar no país.
O que me admira é o pouco caso que faz a imprensa brasileira, a primeira a ser prejudicada pela censura a que estará submetida. Isso sem falar nos "condicionantes" para a inserção de matérias de origem governamental além do controle de ações que configurará em censura indireta ao estancar verbas ou agir de forma discriminada, provocando o debacle econômico de muitos órgãos.
É certo que as redações dos jornais, rádios, emissoras de televisão e revistas brasileiras estão infestadas de comunistas e gays, segmentos tão falsamente "defendido" pelos petralhas.
O que eles esquecem, principalmente os gays, é que o comunismo os perseguem e discriminam, severamente, a  exemplo do que fez Fidel em Cuba.
É uma extrema burrice se aliar aos vermelhos petistas, estes coveiros da democracia e da liberdade.

A esquerda corrupta quer o poder pelo poder...

A esquerda corrupta e irresponsável não tem compromissos com nada, além do Poder pelo Poder.


E este é o legado para nova gerações de brasileiros, a partir da Conquista do Poder pelos Intelectuais da Era FHC e a seguir pelos depravados do PT, sob a histriônica figura da Metamorfose Ambulante, o Lula.
Do Brasil que nada deve a ninguém, transformado na 6ª Economia Mundial e na 84ª posição do IDH.
È uma estupenda performance do Poder PTralha neste contexto conturbado, da disputa internacional entre a Especulação Financeira e o Neo-socialismo do século XXI, quando o Brasil se projeta como Modelo de Nação Ecológica, com reserva de recursos minerais estratégicos e sem FFAA aptas defendê-las, nem, meramente, com Forças capazes para Dissuasão no Continente Latino Americano.
Então tudo são falácias das autoridades de plantão, dos PTralhas, e nós brasileiros estamos indo para o matadouro, sendo deseducados paulatina e progressivamente e sem alternativas para desenvolver-se e defender-se.
Os PTralhas que só querem o Poder pelo Poder, sem um Projeto de Nação, estão ferrando os brasileiros.
*Madeiro, por e-mail, via resistência democrática

domingo, 15 de janeiro de 2012

O Irã ameaça, mas os Estados Unidos estão atentos na região

Clique na imagem para ampliar
Cada estrela representa uma base militar norte-americana
"Nenhum governo envolvido no conflito do Oriente Médio é louco ou mal informado, sobretudo os dos EUA e de Israel.
O fato é que o 'coquetel  ideologia, (a) narco-terrorista e armas nucleares' está sendo preparado acintosamente para destruir a civilização ocidental - sob o eufemismo de 'salvar a humanidade' e,  poucos estão se dando conta disso; alguns até aplaudem, quem sabe saudosos do holocausto, que certamente será terminal. E todos iremos dormir o 'sono dos justos" ... (Texto de Rivadávia Rosa )

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Morre espião que salvou Churchill, Roosevelt e Stalin

Gevork Vartanian (foto bbc) abortou plano para matar dirigentes aliados na II Guerra,
como Winston Churchill, Franklin Roosevelt e Josef Stalin durante a II Guerra Mundial.
O espião soviético Gevork Vartanian, que ajudou a salvar a vida dos líderes aliados durante a II Guerra Mundial (1939-1945), morreu aos 87 anos de idade, informou nesta quarta-feira o Serviço de Espionagem Exterior da Rússia. De acordo com o órgão, a morte de Vartanian ocorreu na terça-feira.
Vartanian ficou célebre depois de ter abortado um plano nazista para assassinar os dirigentes aliados – o soviético Joseph Stalin, o americano Franklin Roosevelt e o britânico Winston Churchill – em novembro de 1943. O espião foi capaz de interceptar uma comunicação de rádio entre Berlim, na Alemanha, e impedir a ação de seis paraquedistas alemães, que foram lançados no Irã com o objetivo de matar Stalin, Roosevelt e Churchill. Os três se reuniam em Teerã para discutir as operações contra Adolf Hitler.
"Lendário espião, autêntico patriota, personalidade brilhante e pouco corrente. Participou de operações que passaram para a história da espionagem exterior nacional", declarou o presidente russo Dimitri Medvedev, em telegrama de condolência.  Apesar de ter se aposentado do serviço de inteligência em 1992, Vartanian seguiu vinculado à espionagem, assessorando as agências de inteligência russas, aconselhando agentes mais jovens e fazendo conferências.
Biografia - De origem iraniana, Vartanian começou a trabalhar nos serviços de inteligência soviéticos em Teerã, aos 16 anos, quando descobriu cerca de 400 espiões que trabalhavam para o regime nazista. Após ser transferido a Londres, o espião recrutou muitos agentes para o governo comunista. Homenageado com o título de Herói da União Soviética, Vartanian trabalhou em diferentes lugares do mundo por mais de três décadas, entre a II Guerra e a Guerra Fria. Só retornou a Moscou em 1986.
(Com agência EFE)

Um pleito justo

Acabo de   fazer o orçamento para um reforma em meu apartamento, que não é de cobertura,   prevenindo as chuvas de verão. Paralelamente  ao cronograma das obras e   mesmo não sendo magistrado, sou trabalhador, mas, como cidadão em pleno gozo   de meus direitos constitucionais, que acredito serem os mesmos do   Desembargador Celso Luiz Limongi, que recentemente recebeu R$150 mil por   motivo semelhante, pretendo dar entrada na documentação no Tribunal de Justiça   de São Paulo solicitando ressarcimento. Gostaria de saber do próprio ou de   quem possa ajudar quais os trâmites legais para essa demanda. Agradeço.  
*Humberto de Luna Freire Filho, médico (Publicado em vários jornais do Brasil)

Bolsonaro desmoraliza a falsa "comissão da verdade"


Jair Bolsonaro - um dos pouquíssimos que têm coragem e fazem oposição a esses bandidos que estão dando as cartas - põe a boca no trombone e desbanca “Comissão da Verdade”

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Mais ideologia que religião: Depois de Battisti, o terrorista assassino, Brasil recebe Miracapillo, o linguarudo e abelhudo vermelhinho

"Battisti, no Brasil, país desmoralizado, valhacouto dos desqualificados do mundo".
Como se não bastasse o terrorista Battisti, vem agora, como herói e vítima, o padre Miracapillo, o falsário mentiroso que desrespeitou o Brasil, negando-se a celebrar a data magna da Nação que o acolhia como “homem de Deus”!
Grande canalha que merecia a excomunhão por praticar a mentira e a agitação, mais um “intelectual orgânico” contratado para fazer a cabeça dos ignorantes que povoam a Terra de Santa Cruz.
Pobre Terra que acolhe gente que nunca foi Santa, em nome de uma Cruz que não merece gente como esta!" (Observação do site: A Verdade Sufocada)
Para relembrar o fato, transcrevemos abaixo a notícia sobre o regresso do padre, que, na época, com seus sermões, tentava subverter o sertanejo pobre e levá-lo à luta armada.
Pelo visto, continuará a doutrinação que fazia na época, agora, aliado aos "resistentes", muitos deles, agora, no poder.(PChagas)
Agora politiqueiro, o padre vermelho está de volta
Em 1ª missa, padre expulso pela ditadura usa tom político.
Por: Daniel Carvalho - Folha de São Paulo - 09/01/12
Na missa em que comemorou a autorização para que voltasse definitivamente para o Brasil, o padre italiano Vito Miracapillo, 65, não deixou de lado o discurso político que lhe rendeu a expulsão do país em 1980, durante a ditadura militar.
Na noite de sábado, o regresso do religioso lotou a modesta Capela de São Pedro e São Paulo, erguida por ele em Ribeirão, cidade na zona da mata de Pernambuco. Aplaudido de pé mais de uma vez, abraçado e beijado por cerca de cem pessoas, Miracapillo reforçou a necessidade de participação da igreja na política. "Sempre acreditei que a igreja e o trabalho pastoral ajudassem a política a ser justa e a saber distribuir as riquezas do país", disse o padre, que foi obrigado pelo regime militar a deixar o Brasil depois que se negou a celebrar missa em comemoração ao Dia da Independência.
Em 1993, o decreto de expulsão foi revogado, e Miracapillo passou a visitar o Brasil como turista. No final de 2011, ele recebeu autorização do Ministério da Justiça para voltar ao Brasil em definitivo. Agora o padre depende de seus superiores eclesiásticos na Itália para voltar de vez para Ribeirão.
*Fonte: A Verdade Sufocada

Marxismo cultural como ameaça a sociedade

“Nós realmente estamos diante de um monstro que está destruindo tudo o que estimamos, tudo o que consideramos precioso e sagrado”, disse o Pe. Paulo Ricardo.
Embora pareça ter morrido com a queda da União Soviética, o marxismo só passou por uma metamorfose, e agora está ameaçando a cultura de muitas nações em todos os níveis, de acordo com um dos padres mais famosos do Brasil.
Numa exclusiva entrevista de vídeo para LifeSiteNews, o Pe. Paulo Ricardo diz para LifeSiteNews que os marxistas invadiram a esfera cultura depois que suas opiniões sobre economia caíram em descrédito, e agora estão buscando subverter todas as instituições da sociedade a partir de dentro.
“Eles querem ter o controle de tudo o que produz a cultura. Portanto, acima de tudo, a Igreja é importante. Mas também as universidades, e as escolas, os jornais, os meios de comunicações e tais. E é claro que na batalha em que estão, eles têm tudo nas mãos agora”, Paulo Ricardo disse para LifeSiteNews. Contudo, acrescentou ele, precisamos compreender que “Deus está conosco”.
De acordo com Paulo Ricardo, o marxismo cultural não só incorpora as premissas de Marx, mas também de Nietzsche e Freud. A meta nada mais é do que destruir a civilização ocidental pelas raízes. Dessa destruição, nos asseguram, surgirá uma utopia.
Entre as instituições visadas para extermínio, disse Paulo Ricardo, está a família.
“Eles acham que a família é opressão. Por isso, logo que há uma família, aí há um homem, que está oprimindo a mulher, e oprimindo os filhos, pois ele está fazendo imposições sobre eles”, disse Paulo Ricardo.
“Por isso, logo que há uma família tradicional, aí há um homem como governante da família e eles acham que devem destruir isso e para se ter uma sociedade igual, eles querem pessoas crescendo num ambiente diferente”.
No Brasil, o país com a maior população católica do mundo, os marxistas têm visado a Igreja, e grande número de padres e bispos adotou uma ideologia que substitui os ensinos espirituais de Cristo por uma imitação marxista conhecida como “teologia da libertação”.
“Agora o que eles estão tentando fazer é alcançar o Cristianismo e mudá-lo de dentro”, disse Paulo Ricardo. “Por isso, eles mantêm as palavras religiosas, mas mudam o conceito interior da palavra”.
“Quando eles falam sobre o reino de Deus, nós como cristãos, quando falamos sobre o reino de Deus, cremos que estamos falando sobre o reino do céu. Por isso, estamos falando sobre algo que não está aqui neste mundo”.
“Pois bem, eles começam dizendo que estão trabalhando aqui para o reino de Deus, e querem produzir o reino aqui neste mundo. Portanto, na realidade o assunto sobre o qual eles estão falando é a sociedade socialista com a qual eles sonham, a utopia que eles pensam vai acontecer, é o reino de Deus”.
“Eles usam as mesmas palavras. Parece algo católico, parece algo cristão, mas ao mesmo tempo percebemos que há algo estranho nisso, pois há alguma coisa faltando, e o que está faltando é tudo o que tem relação com o transcendental, com o céu, com a vida após a morte. Tudo o que eles fazem é aplicar aqui na Terra”.
Essa rejeição das realidades espirituais se junta à exaltação do homem como o “super-homem” de Nietzsche, que pode decidir por si mesmo o bem e o mal, como a serpente prometeu no Jardim do Éden, disse Paulo Ricardo.
Os cidadãos do Brasil e dos Estados Unidos estão desarmados diante do marxismo cultural, disse Paulo Ricardo, pois eles ingenuamente creem que o marxismo morreu com a queda da União Soviética.
“Nós realmente estamos diante de um monstro que está destruindo tudo o que estimamos, tudo o que consideramos precioso e sagrado”, disse ele.
O Pe. Paulo Ricardo é famoso no Brasil por suas explicações claras e firme defesa da fé católica, que ele apresenta em seu programa de TV para a Rede Canção Nova, bem como seu blog, Christo Nihil Praeponere.
*Escrito por Matthew Cullinan Hoffman - Artigos - Movimento Revolucionário

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Palestras do ex presidente na LG já começam a dar "retorno"

Clique na imagem para ampliar
Para quem já esqueceu e para os que nunca esquecem aí está o primeiro resultado concreto das palestras que o Ex presidente o Enfermo Defuntus Sebentus deu na Coreana LG.
O Sebento iniciou sua carreira de "palestrante" recebendo a baba de 200 paus para falar bem dele mesmo por 40 minutos para um grupo de funcionários da empresa coreana LG.
Muita gente achou estranho esse convite para palestras que Sebento recebeu e questionaram os interesses por trás de tudo.
Certo que a LG não pagaria 200 paus para o Sebento ser explicitamente lobbysta junto ao DESgoverno Fedemal, então para justificar a grana, inventaram a tal palestra e a grana foi legalizadamente parar no bolsinho do Sebentão. E os "acordos" feitos começam a aparecer.
O Banco do Brasil está disponibilizando um aplicativo para que seus clientes "ESTILO" possam acessar a internet via TV. MAS!!! O aplicativo só funciona para quem TVs modelo LW 5500 ou 5700. E o mais legal é que o cliente que comprar o aparelho via cartão BB tem um desconto adicional de 17%.
Quer dizer que o BB desenvolve um aplicativo para seus clientes acessarem a internet. Mas, eu como tenho uma Sony não posso utilizar porque só é compatível com LG. Ou eu não acesso a net via TV, ou troco de televisor. Simples assim.
E agora deu para começar a entender o porque dos 200 paus que o Sebento recebeu da LG e o convite para mais 500 paus de verdinhas para ele fazer palestras na sede da empresa na Coreia. Sorte do Brasil que ele teve esse câncer na garganta, pois ele iria levantar mais uns 750 paus só para falar bem dele mesmo e justificar as gratificações que a LG está enfiando no seboso bolso por conta desses contratos esquisitos.
E para todos os que protestaram pelas palestras e pelos valores pagos por cada uma delas. A resposta veio quase oito meses depois. Contaram com a memória curta do povão.
Com a palavra o BB.
E seria interessante verificar onde mais o Sebento fez palestras e saber quais acordos essas empresas fecharam recentemente com estatais ou com o próprio DESgoverno Fedemal.
Se ainda não saíram alguns contratos certamente sairão, é esperar para ver.
http://o-mascate.blogspot.com/2012/01/palestras-do-ex-presidente-na-lg-ja.html

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

E o Irã que não se atreva...

Os Estados Unidos prometeram, neste domingo, responder por meio da força caso o Irã tente fechar o Estreito de Ormuz, que fica na entrada do Golfo Pérsico. A ameaça foi feita pelo secretário de Defesa norte-americano, Leon Panetta, em entrevista ao programa Face the Nation, da rede de TV CBS. O estreito representa uma passagem estratégica para o tráfego marítimo de petróleo. Segundo Panetta, o fechamento de Ormuz representa uma "linha vermelha" que não deve ser ultrapassada.
"Nós deixamos muito claro que os EUA não vão tolerar o bloqueio do Estreito de Ormuz", disse Panetta. "É mais uma linha vermelha para nós e dessa vez nós vamos responder a eles", acrescentou. Um sexto do petróleo do mundo circula pelo Estreito de Ormuz, passagem entre o Golfo de Omã e o Pérsico. A ameaça do Irã de bloquear a passagem é uma reação à advertência do Ocidente, que estuda mais sanções a Teerã como meio de deter seu programa nuclear. O ministro da Defesa da Grã-Bretanha, Philip Hammond, já havia advertido o regime de Teerã de que qualquer tentativa de bloquear o estreito será considerada ilegal.
Washington advertiu que manterá seus navios de guerra mobilizados no Golfo, enquanto a Casa Branca considerou que as advertências do Irã demonstravam sua "debilidade" e a eficácia das sanções aplicadas contra o país por impulsionar seu polêmico programa nuclear. O oficial americano de maior patente militar, o general Martin Dempsey, que acompanhou Panetta em sua apresentação, disse que o Irã estaria em condições de bloquear o estreito, o que seria uma "ação intolerável", segundo ele.
"Eles investiram em meios que poderiam permitir o bloqueio por um tempo do estreito de Ormuz. De nossa parte, investimos em meios para garantir que, se este for o caso, possamos impedir" a ação, informou o militar no programa da CBS. "Atuaremos e reabriremos o estreito" caso ele seja fechado, acrescentou o general Dempsey.
*Do site da revista Veja

Homenagem a um certo...político...

Ministro injusto e também politiqueiro.

Vagabundagem do governo petralha: Pernambuco recebe 90% das verbas contra enchentes em 2011. Santa Catarina chupa o dedo! Santa Catarina, que sofreu com enchentes ano passado, ficou em quarto lugar no ranking.
Enquanto Santa Catarina, especialmente os municípios do Vale do Itajaí, foram duramente castigados com as constantes enchentes em 2011 e com a demora na liberação de recursos do governo federal para reconstrução, Pernambuco, Estado do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, recebeu a maior parte das verbas do ministério para prevenção e preparação de desastres naturais, como enchentes e desmoronamentos.
Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, levantamento feito com base em dados do Tesouro Nacional e pela organização não-governamental Contas Abertas, mostra que Pernambuco concentrou 90% dos gastos da pasta para este fim em 2011. Santa Catarina aparece em quarto lugar no ranking, atrás de São Paulo e Bahia. A Bahia ocupa o segundo lugar na lista de pagamentos feitos em 2011 por conta de contas pendentes deixadas pelo governo Lula, com mais de R$ 10 milhões à frente de São Paulo.
A concentração de verbas do programa de prevenção e preparação para desastres em Pernambuco foi tão grande que o Estado lidera o ranking da liberação de dinheiro da União mesmo quando é considerado o pagamento de contas pendentes deixadas pelo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O levantamento considerou pagamentos registrados no Siafi, o sistema de acompanhamento de gastos da União até o dia 19 de dezembro.
Ministro não responde sobre privilégios
Ao jornal O Estado de S. Paulo, o ministro Fernando Bezerra não respondeu sobre o privilégio a Pernambuco no repasse de verbas do programa de prevenção de acidentes.
— Não vamos entrar nesse mérito, mas há mais obras previstas no Estado. Não é um direcionamento político, é uma decisão de fazer obras que vão resolver a vida das pessoas no Estado — disse o secretário adjunto de Defesa Civil, coronel Ivan Ramos.
Em nota, o Ministério da Integração afirma que a ONG Contas Abertas deveria ter considerado outros programas federais na contabilidade sobre gastos com prevenção de desastres, como as ações de contenção de encostas, sob responsabilidade do Ministério das Cidades, além do Programa Minha Casa, Minha Vida, que destina recursos à alocação de famílias de áreas de risco.
Em 2009, SC viveu descaso semelhante
Em 2009, uma situação parecida ocorreu quando o ministro da Integração Nacional era Geddel Vieira Lima (PMDB), da Bahia. Apesar de Santa Catarina ter sido castigada pela tragédia de 2008, nenhum centavo foi repassado pelo Ministério ao Estado. O dinheiro serviria para prevenir desastres como desmoronamento de encostas, além de auxiliar na retirada de famílias instaladas em áreas de risco.
Em 2008, ano do desastre em que 135 pessoas morreram com deslizamentos causados pelas enchentes e enxurradas, dos R$ 7,17 milhões empenhados pelo governo federal, apenas R$ 741,9 mil foram pagos. O valor representa apenas 0,4% do total enviado pela União aos estados para este fim. Enquanto os catarinenses penavam por investimentos, a Bahia, onde Lima era pré-candidato ao governo do Estado, recebia tratamento prioritário. Só em 2009, dos R$ 59 milhões liberados pelo governo federal para obras preventivas, R$ 53,1 milhões foram destinados para municípios baianos. O valor representava 90% do dinheiro liberado no período.
Os únicos depósitos feitos pelo ministério a municípios catarinenses em 2009 foram sobras referentes ao orçamento de 2008. O dinheiro que estava previsto para 2009 nunca chegou. Jornal de Santa Catarina.
COMENTO: A mesma situação de Pernambuco ocorreu em Alagoas, até com mais perdas materiais e de vidas humanas. As obras em Alagoas se arrastam com escassez de verbas. Agora que foram concluídas, com muita luta junto ao Ministério do Senhor Bezerra, algumas centenas de casas para os desabrigados.
O governo Federal quer cobrar dos desabrigados desvalidos e desempregados um valor para cada imóvel. O Estado de Alagoas está envidando esforços para em última instância, não conseguindo verbas para quitar as casas junto ao governo Central, alocar recursos do próprio Estado para quitá-las. Enquanto isso, o Estado de Pernambuco nada em dinheiro...
Pernambuco até merece, mas e os demais Estados? Também não?
Fala aí Dilma!!! Cadê teu pulso? Vai deixar de graça o reinado de Bezerra que age à sua revelia, ou vai assumir que permitiu a chuva de verbas disponíveis no ministério direcionada ao reduto político do Ministro?