sábado, 30 de junho de 2012

Clarissa Garotinho desmascara Cidinha Campos.

Razões para rejeitar as idéias deste tirano.

Perdeu Zé, perdeu!

Vou postar em código.
O chefe de uma sofisticada organização criminosa peitou um certo ministro de uma certa suprema corte para que ele sentasse em cima do processo que concedia tempo de TV para um novo partido político.
O chefe da SOC obedecia ordens de um chefe maior, que é o verdadeiro pai do esquemão.
Uma certa autoridade, que tem o mesmo peso do verdadeiro pai do esquemão, fez chegar ao ministro empata-foda que ele deveria liberar o tempo e o fundo partidário deste certo novo partido.
Entre um rei posto e uma rainha entronada, o ministro empata-foda achou por bem fazer o processo andar.
Pressionado, o juiz estafeta não aguenta o tranco.
O resultado está aí.
Venceu a rainha empossada, perdeu o rei posto e é assim que, lá nos bastidores, já existe uma luta surda por 2014, no reino dos bucaneiros.
Deu para entender?
Não deu?
Bem, mais não posso dizer.
Só posso dizer; perdeu, Zé, perdeu.
E em agosto tem mais!
*Por O EDITOR

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Lugo fora. Um impeachment legítimo.


"O corrupto e ex-bispo paraguaio foi cassado por um congresso que é o mais legitimo representante da vontade popular, e diga-se de passagem, um congresso independente, que não foi comprado pelo executivo, diferente do que acontece no Brasil. Isso para não falar da ingerência dos nossos hipócritas governantes, nos assuntos internos de um país soberano.
Nós, o que inclui a grande maioria dos verdes no Brasil, que somos 20% e compomos a sociedade esclarecida, não comprometida com esse governo corrupto, torcemos para que a lição de ética e moral dada pelos paraguaios contamine todo o continente Sul Americano e destrua de uma vez por todas essa excrescência, chamada Foro de São Paulo, criada pela múmia caribenha e pelo descobridor do Brasil.
Esta questão é por demais fundamental, pois o que assistimos hoje no Brasil é uma escalada da violência jamais vista, tal que hoje o Brasil se situa entre um dos países mais violentos do mundo, talvez só perdendo para países que então enfrentando graves conflitos internos."
*Trecho do artigo por  Gerhard Erich Boeheme

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Começa a estourar a "bolha" do Eike, o queridinho de Lula/Dilma.

Sabe aquele petróleo todo que Eike Batista prometia a seus investidores?
Não existe.
E,num só dia, as ações de suas empresas derreteram; estouro da bolha deveriacolocar em alerta o governo e a própria Petrobras, que já começavam a estudarparcerias com o bilionário popstar
Eike Batista corre o risco de entrar para a história das finanças como a maiorbolha financeira individual de todos os tempos.
Na história do capitalismo, já houve várias manias de investimento, seguidas decrashes e desilusões.
Bolhadas tulipas, bolha das ferrovias, bolha do ouro, bolha da internet...
Mas nunca houve uma bolha concentrada nas promessas de um único indivíduo. EikeBatista talvez abra este precedente.
Nanoite de ontem, a maior de suas empresas, a OGX comunicou ao mercado que todoaquele petróleo prometido não era tão grande quanto se imaginava.
As reservas do campo de Tubarão Azul tinham um terço do que se previa.
Resultado?
Asações da OGX caíram 25% no pregão desta quarta-feira.
Aqueda acumulada no ano já supera 55% e Eike tentava acalmar investidores, numaconferência programada para o início da noite.
Outras ações do “mundo X”, empresas de Eike Batista criadas com esta letra nonome por superstição, também sofreram no pregão desta quarta.
A LLX, que constrói o Porto do Açu, no Rio de Janeiro, caiu 7,88% - o tombo noano soma 52,6%.
A mineradora MMX desabou 6%, acumulando queda de 25% no ano.
E a OSX, empresa que de navegação, recuou 13%, somando retração 40% no ano.
O que há de comum a esses negócios é que estão em fase pré-operacional.
Não produzem, são apenas promessas. Ainda assim, Eike conseguiu vender a váriosinvestidores do Brasil e do mundo a promessa de que criaria uma nova Petrobrase uma nova Vale.
Enquanto isso, ele foi um dos mais ativos personagens da vida socialbrasileira. Passou dias no Twitter, participou de leilões beneficentes paraajudar projetos sociais de Madonna, comprou ternos usados pelo ex-presidenteLula e não dispensou capas de revistas de negócios, além de ter publicado umlivro de autoajuda.
Mas produzir o que havia prometido...
Há um dia, porém, que chega a hora da verdade. E, ao que tudo indica, este dia,para o mundo X foi esta quarta-feira.
Um problema apenas de quem comprou suas ações?
Nem tanto.
Como os investidores já estão escaldados para as promessas de Eike, obilionário de papel ronda cada vez mais os governos.
Num evento em que anunciou o início da produção da OGX, foi chamado de“orgulho do Brasil” pela presidente Dilma Rousseff.
Depois disso, a presidente da Petrobras, Graça Foster, deu entrevistas sinalizando que poderia fechar parcerias com Eike Batista.
Como se diz no jargão do mercado financeiro, as ações do mundo X estão micando.Espera-se que o mico, tal qual no jogo de cartas, não morra nas mãos do governo federal.

E Lula administrou mal a Petrobrás.

A Petrobrás sem Lula
Como a oposição - se é que ela existe - não vem sendo capaz de produzir um mínimo de crítica à política econômica do governo do PT, foi preciso que a própria diretoria da Petrobrás tomasse a iniciativa de apresentar a mais contundente denúncia das derrapadas administrativas registradas nos oito últimos anos da Petrobrás.
Foi o que fez segunda-feira a atual presidente, Graça Foster.
Ela admitiu que a diretoria anterior, presidida pelo baiano José Sérgio Gabrielli, foi marcada pela falta de realismo na definição de metas de produção e pela leniência com que acompanhou os cronogramas dos investimentos.
Além disso, apontou falta de cumprimento da sistemática de aprovação de projetos importantes e sugeriu a ocorrência de indisciplina na empresa, sabe-se lá em que proporção.
As obras da Refinaria Abreu e Lima, no Estado de Pernambuco, estão com atraso de três anos. Foram orçadas em US$ 2,3 bilhões em 2005 e não sairão por menos de US$ 20,1 bilhões, quase dez vezes mais.
"É uma história a ser aprendida, escrita, lida pela companhia, de tal forma que não seja repetida", disparou Graça Foster.
Ela não foi complacente com graves falhas de gestão do projeto do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Coperj), também atrasado e sem nova data para entrar em operação.
Em boa parte, esse desleixo administrativo é consequência da opção determinada ao longo do governo Lula que encarou a Petrobrás como território de aparelhamento partidário e loteou sua diretoria entre os próceres de sua base política.
Nessas condições, é impossível evitar desvios de patrimônio público.
O governo Dilma pretende dar racionalidade administrativa ao setor do petróleo. Mas o faz pela metade e não desiste das ingerências. Como esta Coluna avançou na edição de ontem, este governo está sendo incapaz de definir uma política coerente para a Petrobrás e para os preços dos combustíveis. Até agora não se sabe se o objetivo é dar continuidade às práticas populistas de combater a inflação por meio da manipulação do caixa da Petrobrás; se é ajudar a política industrial por meio de imposições de quocientes de conteúdo local na encomenda de equipamentos; ou se é observar um mínimo de capacidade de investimento da empresa de modo a puxar o crescimento econômico e a criação de empregos.
Graça Foster insiste agora em que é preciso uma "administração realista", algo que nunca deveria ter sido deixado para trás. No entanto, não dá para acreditar que prevaleça uma "administração realista" enquanto não for restabelecido o realismo dos preços.
A Petrobrás continua vendendo de 6% a 10% da gasolina consumida no mercado interno a preços mais baixos do que ela paga no mercado internacional.
E a administração da empresa não consegue do governo Dilma a observância de critérios de paridade aos preços internacionais.
Convém observar que o critério de preços tem de valer tanto na alta como na baixa. E, se for verdade que as cotações internacionais de petróleo podem despencar de volta para o nível dos US$ 60 por barril, um grande número de investimentos da Petrobrás poderá ficar inviável.
Isso significa que não basta uma administração realista de preços; tem de ser também uma administração austera.
Não é à toa que a Petrobrás vale hoje no mercado apenas 70% do valor patrimonial registrado em seus livros.
*Celso Ming - no O Estado de S.Paulo

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Bolivia: Policiais saem às ruas de La Paz em protesto; motim já dura cinco dias

O presidente comunista e cocaleiro em maus lençóis
O governo da Bolívia tenta resolver o violento motim policial que já dura cinco dias no país --um segundo conflito social grave, que ocorre na véspera da chegada a La Paz de uma marcha da oposição indígena.
Apesar de exibir cifras econômicas positivas, Morales, um líder indígena cocalero que denunciou uma conspiração por trás do motim, sofre um dos períodos de maior tensão de seu governo, com uma série de conflitos sociais, enquanto se aproxima de cumprir a metade de seu segundo mandato.
A negociação das reivindicações salariais e administrativas dos suboficiais e policiais rebeldes foi retomada assim que uma suposta maioria dos rebeldes rejeitou um acordo assinado no domingo e endureceu o protesto.
A praça Murillo de La Paz, onde ficam os palácios presidencial e legislativo, continuava tomada pelos amotinados, que gritam duros slogans contra Morales enquanto exibiam armas de fogo e armas anti-distúrbios.
*Aizar Raldes/France Presse

terça-feira, 26 de junho de 2012

O palhaço Hugo Chavez diz que Pataguai é uma ameaça...

HUGO CHAVEZ DIZ QUE O PARAGUAI É UMA AMEAÇA À VENEZUELA E A "NOSSA AMÉRICA"

* Texto por FRANCISCO VIANNA
Hugo Chávez num ato comemorativo ontem, em Caracas, onde anunciou a retirada de seu embaixador do Paraguai e a cessação "a partir deste instante" do envio de petróleo a esse país em repulsa à destituição de Fernando Lugo, a qual qualificou de "golpe de estado"
                A comunistada sulamericana está em polvorosa com a fulminante ação do Congresso e legitimação do Judiciário do Paraguai aprovando pelo acachapante placar de 39 a 4, com duas abstenções, o afastamento do Presidente Fernando Lugo.
                Hugo Chávez, advirtiu ontem que o que aconteceu no Paraguai não pode ser desconectado dos "planos que certamente estão sendo montados contra a Venesuela e outras nações da 'nossa' América". Na sua megalomania, o caudilho do norte considera a América do Sul, e possivelmente até a América latina toda, como sendo sua, ou seja, das camarilhas comunistas que tem proliferado ao sul do equador.
               O tiranete venezuelano está em cólicas para iniciar uma aventura militarista qualquer ao sul de seu país, uma intervenção que coloque o seu nome na história do subcontinente de vez, antes que baixe sepultura daqui a uns meses. Principalmente, por estar num ano eleitoral em seu país com forte cotação de seu adversário Capriles, em que pese o forte aparato capaz de fraudar as eleições como e quando quiser, o caudilho venezuelano vê o Paraguai, de fato, como uma repentina grande tentação para si e sua curriola vermelha.
             O discurso é típico de quem se prepara para uma grande besteira bélica, maior ainda que a cometida pela Argentina do Gal. Galtieri ao invadir o arquipélago britânico das Ilhas Falklands. Chávez conclamou "os organismos de segurança do estado venezuelano e o povo todo para se prepararem para neutralizar os planos do império"(EUA).
            A fala é típica de um militar alucinado e que está com um grande poderio bélico sob seu comando, adquirido a custa do endividamento estratosférico de seu país e da extrema carência de tudo a que submete seu povo altamente empobrecido ao londo dos seus governos socialistas. Resta contudo a esperança de que tudo seja apenas um jogo de cena, populista e demagógico, para estimular o falso nacionalismo do eleitorado venezuelano.
           Também aproveitou o discurso para fazer campanha política, acusando a "burguesia venezuelana" de "tentar desestabilizar" o país ao "denunciar aos gritos de fraude", os preparativos que a situação está fazendo para garantir a vitória nas urnas, custe o que custar, e para garantir assim um terceiro mandato presidencial consecutivo para si no período de 2013 a 2019.
           É preciso que fiquemos atentos ao que esse demente poderá fazer, pois, desgraçadamente conta com o apoio não menos demente de Brasília, da casa Rosada e de Havana. Como anunciei aqui, a esquerda sulamericana está se preparando para intervir no Paraguai, em que pese a conhecida cantilena brasileira de "não intervenção em assuntos externos de outros países".

segunda-feira, 25 de junho de 2012

O casal Ahmadinejah.

Eis Ahmadinejah e sua "esposa". Só uma maluca -tipo as petistas- pode bater palmas a um homem que trata com tanta humilhação uma mulher, ainda mais sua esposa.
Observe que ela mantém os olhos baixos, a cabeça curva, numa atitude de completa subserviência e tristeza.
Ah, é tradição lá! Sim, e há quantos anos as mulheres lutam por igualdade, muita justa e necessária?
*Foto: Por e-mail va Grupo Resistência Democrática

'Brasiguaios' comemoram a mudança no governo do Paraguai.

Agricultor brasiguaio (Foto: Roger Marques/RPCTV)Valdoir Kaufmann em sua fazenda em Santa Rita, no Paraguai (Foto: Roger Marques/RPCTV)
Os "brasiguaios" - agricultores brasileiros que vivem no Paraguai, na fronteira com o Brasil - ficaram satisfeitos com a saída de Fernando Lugo e a posse do novo presidente, Federico Franco. Para eles, a mudança no governo do Paraguai será benéfica para os produtores e ajudará a diminuir o conflito entre camponeses e fazendeiros.
“Nós estamos muito felizes. Isso é um avanço para a nossa agricultura”, diz ao G1 o produtor brasileiro Afonso Almiro Schuster, que mora há 39 anos em Santa Rosa del Monday.
Schuster (Foto: Roger Marques/RPCTV)
Afonso Schuster, que vive em Santa Rosa del
Monday, no Paraguai (Foto: Roger Marques/RPCTV)
Para o agricultor, a saída de Lugo “foi a melhor coisa que podia ter acontecido ao Paraguai". "Neste ano vamos avançar, estamos muito confiantes quanto a isso”, afirma.
Schuster acredita que, com o novo presidente, irão acabar os conflitos entre os campesinos paraguaios e os fazendeiros brasileiros. “Nós, em conjunto com o governo, vamos incentivá-los a trabalhar. A partir de agora, essas ocupações de terra vão ter que terminar”, afirma o produtor.

Para que isso aconteça, segundo Schuster, é preciso que o governo brasileiro reconheça o novo presidente. “Nós precisamos que ela [presidente Dilma Rousseff] diga sim a esse novo governo”, argumenta.
Já o agricultor Protásio José Konzen, de 63 anos, que mora em Santa Rita, diz que ainda é difícil precisar se foi justa a saída de Lugo e a posse de Federico Franco. “Com Lugo ou sem Lugo, tinha que haver uma mudança. Da maneira que estavam indo as coisas, não estava bem”, afirma o brasileiro.
Protásio José Konzen (Foto: Roger Marques/RPCTV)
Protásio José Konzen, agricultor brasileiro que vive em Santa Rita, no Paraguai (Foto: Roger Marques/RPCTV)
Para Konzen, Fernando Lugo "não tomava decisões sérias”. “Quando havia um problema, ele desconversava. Não tomava uma atitude”, reclama.

O brasileiro acredita que a nova mudança dará uma “amenizada” na situação dos conflitos entre fazendeiros e agricultores. “Acho que não se pode desprezar o campesino. O que o governo precisa fazer é tirar esses líderes que são violentos”, diz.

O agricultor também afirma que a maioria dos brasiguaios está “animada e pensando positivo”. “Não é nem pelo novo presidente, mas pela mudança”, complementa.

De acordo com o brasileiro Valdoir Kaufmann, de 39 anos, as primeiras palavras de Franco os deixaram “aliviados”. “Olha, a maioria do pessoal aqui não conhece o novo presidente, mas, pela situação em que estavámos, pior não vamos ficar. Acreditamos que tudo vai melhorar muito”, comenta o agricultor, que vive em Santa Rita há 20 anos.
*Transcrito do Portal G1

domingo, 24 de junho de 2012

Texto do TCU fulmina fama de gestora de Dilma.

O navio que não navega...

Júlia Rodrigues
Você ainda acredita no futuro deste país? Você ainda acredita nos lacaios que nos governam? Você ainda acredita?? Até a 4ª geração vai ter que pagar a conta dos desmandos e das falcatruas do governo Lula e, agora, da Dilma! Não é só este fiasco de petroleiro que está afundando, é o próprio Brasil dos teus filhos, netos e tataranetos... É só uma questão de tempo, cumpanhêro...
Em 7 de maio de 2010, ao lado da sucessora que escolhera e do governador pernambucano Eduardo Campos, o presidente Lula estrelou no Porto de Suape um comício convocado para festejar muito mais que o lançamento de um navio: primeiro a ser construído no país em 14 anos, o petroleiro João Cândido fora promovido a símbolo da ressurreição da indústria naval brasileira.Produzida pelo Estaleiro Atlântico Sul (EAS), incorporada ao Programa de Modernização e Expansão de Frota da Transperto (Promef) e incluída no ranking das proezas históricas do PAC, a embarcação com 274 metros de comprimento e capacidade para carregar até um milhão de barris de petróleo havia consumido a bolada de R$ 336 milhões – o dobro do valor orçado no mercado internacional ! ! !
Destacavam-se na plateia operários enfeitados com adesivos que registravam sua participação no parto de mais uma façanha do Brasil Maravilha. Seria uma festa perfeita se o colosso batizado em homenagem ao marinheiro que liderou em 1910 a Revolta da Chibata não tivesse colidido com a pressa dos políticos e a incompetência dos técnicos. Assim que o comício terminou, o petroleiro foi recolhido ao estaleiro antes que afundasse ─ e nunca mais tentou flutuar na superfície do Atlântico.
O vistoso casco do João Cândido camuflava soldas defeituosas e tubulações que não se encaixavam, além de um rombo cujas dimensões prenunciavam o desastre iminente. Se permanecesse mais meia hora no mar, Lula seria transformado no primeiro presidente a inaugurar um naufrágio. Estacionado no litoral pernambucano desde o dia do nascimento, nem por isso o navio "deixou de percorrer o país inteiro" (de mentirinha). Durante a campanha presidencial, transportado pela imaginação da candidata Dilma Rousseff, fez escala em todos os palanques e foi apresentado ao eleitorado como mais uma realização da super gerente que Lula inventou.
A assessoria de imprensa da Transpetro se limita a informar que não sabe quando o João Cândido vai navegar de verdade. O Estaleiro Atlântico Sul,criado com dinheiro dos pagadores de impostos, não tem nada a dizer. Nem sobre o petroleiro avariado nem sobre os outros 21 encomendados pelo governo. No fim de 2011, o EAS adiou pela terceira vez a entrega do navio. A Petrobras, que controla a Transpetro, alegou que os defeitos de fabricação só podem ser consertados no exterior. PODE??!!
Quando o presidente era Nilo Peçanha, João Cândido comandou uma rebelião que exigia a abolição dos castigos físicos impostos aos marinheiros.Passados 102 anos, Dilma e Lula resolveram castigá-lo moralmente com a associação de seu nome a outro espanto da Era da Mediocridade: depois do trem-bala invisível, o governo inventou o navio que não navega.
P.S. - Mas o pior de tudo é que ainda há um povinho de merda que endeusa este lixo e vota nele...

sábado, 23 de junho de 2012

A farsa.

Clique na imagem para ampliar

A lição paraguaia.

Lugo, incompetente, antidemocrático, cai...demorou demais!
O Congresso Paraguaio deu um grande exemplo de independência, dignidade e democracia ao enxotar o comunista., ex-bispo, e tarado, Fernando Lugo do poder.
Lugo foi destituido do cargo por mau desempoenho de suas funções. Aliás, demorou muito. Lugo nunca desempenhou suas funções constitucionais com dignidade e capacidade.
Ao defenestrar Lugo o Congresso Paraguaio dá um exemplo aos demais Congressos da América Latina, repletos de comunistas vazios e de paralamentares servis que não sabem sequer sua linha de conduta política, e mantém-se obedientes ao poderoso da hora.
É o caso do Brasil, cujos membros do Congresso, servís a Luiz da Silva - um ignorante, irresponsável e inconsequente - e a Dilma uma preposta do primeiro.
Isto sem falar em Hugo Chávez ( que já fora barrado pelo Congresso Paraguaio no Mercosul ) e outros incompetentes e imbecís, a exemplo do presidente do Equador, que chafurdam na lama do poder corrupto em busca do poder absoluto, em detrimento da democracia e dos valores que deveriam permear sua atividade política.
A democracia na América Latina está apodrecendo. E com ela as instituições.
Frederico Franco assume a Presidência do Paraguai
Mas não é que no fundo do túnel surge uma luz e eis o Paraguai dando exemplo democrático para o mundo que chafurda no lodaçal politicamente correto, ecochato e comunista?
O  vice-presidente, Frederico Franco, já assumiu o cargo. Coincidentemente também é Franco como Itamar, que aproveitou a oportunidade e deu uma guinada no Brasil abrindo condições para o desenvolvimento e consolidando a democracia.
No Paraguai, assim como no Brasil, a grande imprensa dominada pelos comunistas e gayzistas devem continuar apoiando "os coveiros da democracia".
A imprensa brasileira age da mesma forma. Ameniza a incompetência e ação antidemocrática de Lugo.
O exemplo que vem do paraguai mostra como um país pequeno, pobre e tão debochado pelos brasileiros, demonstra sabedoria e respeito a democracia e a Constituição.
É admirável a inteligência emocional e amor ao seu país demonstrado pelo Congresso Paraguaio, que assim, dá um exemplo e um banho de dignidade, sabedoria, competência e independência a um servil e burro Congresso Brasileiro que além de chafurdar, num mar de lama e corrupção, não resiste a uma simples sabatina do CQC.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

A obsessão de Lula.

A foto que incomodou Luiza Erundina e chocou o país, do ex-presidente Lula ao lado de Paulo Maluf para fechar um acordo político de apoio ao candidato petista à prefeitura paulistana (o nome dele pouco importa a essa altura), é simbólica de um momento muito especial da infalibilidade política de Lula.
Sua obsessão pela vitória em São Paulo é tamanha que ele não está mais evitando riscos de contaminação como o que está assumindo com o malufismo, certo de que tudo pode para manter ou ampliar o seu poder político.
O choque causado por esse movimento radical pouco importará se a vitória vier em outubro. Mas se sobrevier uma derrota, a foto nos jardins da mansão daquele que não pode sair do país porque está na lista dos mais procurados pela Interpol será a marca da decadência política de Lula, que estará então encerrando um largo ciclo político em que foi considerado insuperável na estratégia eleitoral.
Até o momento, as alianças políticas com Maluf eram feitas por baixo dos panos, de maneira envergonhada, como a negociação em que o PSDB paulista fechava um acordo com o PP em busca de seu 1m30s de tempo de propaganda eleitoral.
A própria Erundina disse, candidamente, que o que a incomodara foi o excesso de exposição do acordo partidário.
Maluf, do seu ponto de vista, agiu com a esperteza que sempre o caracterizou, mas com requintes de crueldade.
Ao exigir que Lula fosse à sua casa para selar o acordo, e chamar a imprensa para registrar o momento glorioso para ele e infame para grande parte dos petistas, ele estava se aproveitando da fragilidade momentânea do PT, que tem um candidato desconhecido que precisa ser exposto ao eleitorado para tentar se eleger.
Lula, como se esse fosse o último reduto eleitoral que lhe falta controlar, está fazendo qualquer negócio para viabilizar a candidatura que inventou.
Já se entregara ao PSD do prefeito Gilberto Kassab, provocando um racha no PT talvez tão grande quanto o de agora, e acabou levando uma rasteira que já prenunciava que talvez o rei estivesse nu.
Agora, quem lhe deu a rasteira foi uma dupla irreconciliável, que Lula tentou colocar no mesmo saco sem nem ao menos ter se dado ao trabalho de conversar antes: Luiza Erundina, que um dia foi afastada do PT por ter aceitado um ministério no governo de coalizão nacional de Itamar Franco, agora se afasta do PT malufista.
E Maluf, que vinha minguando como força política, viu a possibilidade de recuperar a importância estratégica em São Paulo no pouco mais de um minuto de televisão que o PP detém por força de lei.
A sucessão de erros políticos que Lula parece vir cometendo nos últimos meses — a escolha de Haddad, o encontro com Gilmar Mendes, a CPI do Cachoeira, o acordo com Maluf — só será superada se acontecer o que hoje parece improvável, uma vitória de Fernando Haddad.
No resto do país, o PT está submetendo os aliados a seus interesses paulistas, fazendo acordos diversos para garantir em São Paulo uma aliança viável.
A foto de Lula confraternizando com Maluf tem mais um aspecto terrível para a biografia do ex-presidente: ela explicita uma maneira de fazer política que não tem barreiras morais e contagiou toda a política partidária, deteriorando o que já era podre.
As alianças políticas entre Lula, José Sarney, Fernando Collor e Maluf colocam no mesmo barco políticos que já estiveram em posições antagônicas fazendo a História do Brasil, e hoje fazem uma farsa histórica.
Em 1989, José Sarney era presidente da República depois de ter enfrentado Paulo Maluf no PDS. Ante uma previsível vitória do grupo de Maluf derrotando o de Mario Andreazza, Sarney rompeu com partido que presidia, ajudou a fundar a Frente Liberal (PFL) e foi vice de chapa de Tancredo.
Na campanha presidencial da sucessão de Sarney, Lula disse o seguinte dos hoje aliados Sarney e Maluf: “A Nova República é pior do que a velha, porque antigamente era o militar que vinha na TV e falava, e hoje o militar não precisa mais falar porque o Sarney fala pelos militares e os militares falam pelo Sarney. Nós sabemos que antigamente se dizia que o Adhemar de Barros era ladrão, que o Maluf era ladrão. Pois bem: Adhemar de Barros e Maluf poderiam ser ladrão (sic), mas eles são trombadinhas perto do grande ladrão que é o governante da Nova República, perto dos assaltos que se faz”.
Na mesma campanha, Collor não deixou por menos: chamou o então presidente Sarney de “corrupto, incompetente e safado”.
Durante a campanha das Diretas Já, Lula se referiu assim a Maluf: “O símbolo da pouca-vergonha nacional está dizendo que quer ser presidente da República. Daremos a nossa própria vida para impedir que Paulo Maluf seja presidente”.
Maluf e Collor tinham a mesma opinião sobre o PT até recentemente. Em 2005, quando Maluf foi preso e Lula festejou, recebeu a seguinte resposta: “(…) se ele quiser realmente começar a prender os culpados comece por Brasília. Tenho certeza de que o número de presos dá a volta no quarteirão, e a maioria é do partido dele, do PT".
Já em 2006, em plena campanha presidencial marcada pelo mensalão, Collor disse que foi vítima de um “golpe parlamentar”, do qual teriam participado José Genoino e José Dirceu, “enterrados até o pescoço no maior assalto aos cofres públicos já praticado nessa nação”.
E garantiu: “Quadrilha quem montou foi ele (Lula)”, citando ainda Luiz Gushiken, Antonio Palocci, Paulo Okamotto, Duda Mendonça, Jorge Mattoso e Fábio Luiz Lula da Silva, o filho do presidente.
*Texto por Merval Pereira – Em O Globo

Um país paralisado pela corrupção.

Deu no Radar On Line:
A Presidência da República contratou o escritório de engenharia de Oscar Niemeyer para elaborar o projeto executivo, de arquitetura e engenharia de uma guarita do Palácio do Planalto. Pelo contrato firmado em 14 de maio, a guarita assinada por Niemeyer custará 57 500 aos cofres da União, alguns reais mais caro que os cerca de 46 000 reais gastos pelo governo para construir uma casa do programa Minha Casa, Minha Vida.
Embora não tenha ficado claro se o valor a ser pago é só pelo projeto ou pela obra pronta, o valor é absurdo. A comparação com o custo de uma casa do programa Minha Casa, Minha Vida, dá a exata dimensão de que esse governo de cretinos define como prioridade.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

A foto mostra a cara de um Brasil que não sabe o que é honra e perdeu a vergonha.

“O símbolo da pouca vergonha nacional está dizendo que quer ser presidente. Daremos a nossa vida para impedir que Paulo Maluf seja presidente.”
(LULA, junho de 1984)

“Como Maluf pode prometer acabar com ladrão na rua enquanto ele continua solto?”
(LULA, setembro de 1986)

“Os administradores do PT são como nuvens de gafanhotos.”
(PAULO MALUF, março de 1993)

“Maluf esquece de seu passado de ave de rapina. O que ameaça o Brasil não são nuvens de gafanhotos, mas nuvens de ladrões. Maluf não passa de um bobo alegre, um bobo da corte, um bufão que fica querendo assustar as elites acenando com o perigo do PT. Maluf é igualzinho ao Collor, só que mais velho e mais profissional. Por isso é mais perigoso.”
(LULA, março de 1993)

“Ave de rapina é o Lula, que não trabalha há 15 anos e não explica como vive. Ave de rapina é o PT, que rouba 30% de seus filiados que ocupam cargos de confiança na administração. Se o Lula acha que há ladrões à solta, que os procure no PT, principalmente os que patrocinaram a municipalização do transporte coletivo de São Paulo”.
(MALUF, março de 1993)

A foto abaixo informa que, em 18 de junho de 2012, os dois velhos inimigos se juntaram para vender ao eleitorado paulistano a criatura que Lula contempla com o olhar orgulhoso de criador e Maluf acaricia com o olhar guloso de quem vê mais um filão a explorar.
À esquerda, o risonho Rui Falcão confraterniza com o que há de pior na direita.
À direita, o vereador Wadih Mutran avalia minuciosamente quanto vale um Fernando Haddad fantasiado de nova esquerda.
É uma foto que merece ser guardada.
Desnuda a cara de um Brasil que não sabe o que é honra nem tem vergonha de nada.
E resume exemplarmente a Era da Impunidade.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Defesa de Carlinhos Cachoeira insiste na mesma tese.

A advogada Dora Cavalcanti, uma das defensoras do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, disse nesta segunda-feira que insistirá na tese de que as escutas telefônicas das operações Monte Carlo e Vegas são ilegais.
Ela informou que recorrerá da decisão do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1), que manteve hoje, por dois votos a um, a validade das interceptações.
O julgamento começou na última terça-feira, a partir de um habeas-corpus da defesa de Cachoeira.
Os advogados alegaram que as escutas eram ilegais porque partiram de denúncia anônima. (Portal Terra)

domingo, 17 de junho de 2012

União do atraso.

Vice de Haddad, Erundina diz que eleição é luta de classes, prega o socialismo, ataca a mídia e defende Cristina Kirchner (!), que tenta censurar a imprensa na Argentina.
Por Bernardo Mello Franco e Diógenes Campanha, na Folha.
Volto depois.
Ao ser anunciada candidata a vice-prefeita de São Paulo na chapa de Fernando Haddad (PT), a deputada Luiza Erundina (PSB) comparou ontem a eleição de São Paulo à luta de classes e disse que defenderá os pobres no embate com José Serra (PSDB). A ex-prefeita também prometeu buscar o apoio da senadora Marta Suplicy (PT-SP), que faltou a mais um ato da campanha petista. Em discurso de forte teor ideológico, Erundina prometeu retomar o projeto “democrático e popular” iniciado com sua eleição em 1988, quando ainda era do PT. “A sociedade de classes continua tão forte, conflitante, contraditória e antagônica como sempre esteve.”
Ela defendeu a implantação do modelo socialista no país, disse que a classe trabalhadora não deve disputar apenas “espaço de poder no Estado burguês” e afirmou que percorrerá “favelas e cortiços” para pedir votos. “É o socialismo que garante a realização plena do ser humano. É em nome dessa utopia que estamos aqui.”
A ex-prefeita também criticou os meios de comunicação brasileiros e elogiou o governo de Cristina Kirchner na Argentina — que, segundo ela, “avançou significativamente no enfrentamento aos poderosos da mídia”. Haddad, que discursou em seguida, exaltou a escolha da vice. “É um quadro que consegue perceber com muita nitidez as ameaças do obscurantismo que estão sempre espreitando esse país.”
(…)
Voltei
Tudo saindo como quer o PT, Erundina terá Paulo Maluf como companheiro na defesa do socialismo e nas perorações sobre a luta de classes.
*Por Reinaldo Azevedo

Amizade petista.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Dilma não parece entender o que acontece na economia

O jornal O Estado de São Paulo tem insistido muito nas confusões que a presidente Dilma Roussef vem produzindo, todas elas ligadas a sua pretensa competência na administração da economia.
. Dilma Roussef é economista, sim, mas há muitos e muitos anos não exerce funções na área. Além disto, seu conhecimento limita-se a uma mera graduação, porque não conseguiu levar adiante os cursos de mestrado e doutorado que começou.
. Como gerentona do PAC, Dilma Roussef não produziu resultados apreciáveis, a não ser o fato de ter concentrado 40% das obras nas mãos de uma única empreiteira, a Delta Construções.
. O PAC foi uma belíssima sacada política dos marqueteiros de Lula.
. Nos pronunciamentos desta semana, a presidente misturou duas questões muito diferentes, segundo o jornal:
- A incorporação de milhões de famílias pobres ao mercado de consumo e o desafio de remover obstáculos à expansão da economia nacional. Detalhe inquietante: a autora dessa confusão tem um diploma de economista.
. Ora, os números demonstram que a indústria brasileira vai de mal a pior e perte espaço nos mercados interno e externo, o que, claro, reduz gravemente o número de empregos. Assim, eis o que ensina o jornal:
- É um disparate, portanto, atribuir os problemas da indústria - mais precisamente, do segmento de transformação - a uma retração dos consumidores. A participação de bens importados no mercado brasileiro de consumo atingiu 22%, um recorde, nos quatro trimestres encerrados em março e essa tendência, ao que tudo indica, se mantém.
. Mais adiante, ensina O Estadão:
- Não basta dispor de fábricas para produzi-los. A indústria tem de ser capaz de produzi-los com preços e qualidade compatíveis com os padrões internacionais. Recorrer ao protecionismo é apenas uma forma de empurrar o problema para a frente e - pior que isso - de abrir espaço para problemas adicionais, como a elevação de preços e a estagnação da capacidade produtiva. Muitos brasileiros devem ter aprendido essa lição. A presidente parece tê-la esquecido.
. O governo tem ignorado a questão mais séria de todas para os atuais problemas da economia, que são os casos dos investimentos escassos e da diminuição da capacidade produtiva, o que não depende apenas dos juros altos, mas relaciona-se gravemente com o chamado Custo Brasil.
.......
* Polibio Braga

quinta-feira, 14 de junho de 2012

STF independente?

Circula pela internet a informação de que o STF anunciará sentenças do Mensalão na véspera do dia da Independência.

Os ministros do STF bateram martelo e irão anunciar as sentenças do Mensalão na quinta-feira, 6 de setembro, às vésperas do Dia da Independência. É uma forma de demonstrar que a mais alta corte do país está agindo em defesa da própria independência, depois das abomináveis pressões feitas pelo PT e por Lula. Que pesem a mão e entrem para a história do Brasil. (Blog Coturno Noturno)

Quem compra drogas...

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Para mostrar a força da tropa, Dirceu planeja a Marcha pela Impunidade dos Bandidos.

“O PT não róba nem deixa robá”
Vencido pelo padeiro de Ibiúna em 1968, paralisado pelo medo nos anos 70, debilitado pela arrogância crescente nas décadas seguintes, José Dirceu foi definitivamente derrotado pelo tamanho do prontuário em 2005, quando se descobriu que o chefe da Casa Civil do governo Lula também chefiava a quadrilha do mensalão.
Mas o revolucionário de araque está sempre pronto para perder mais uma, constatou o post publicado neste espaço em junho de 2010.
Continua o mesmo, avisa a discurseira beligerante no congresso nacional de uma certa União da Juventude Socialista.
Assustado com a aproximação de 1° de agosto, quando o Supremo Tribunal Federal começará a decidir o destino dos mensaleiros, Dirceu pediu à plateia, como Fernando Collor às vésperas da queda, que não o deixe só. “Todos sabem que este julgamento é uma batalha política”, fantasiou o réu soterrado por provas que permitem condená-lo por corrupção ativa e formação de quadrilha.
Depois de tirar do armário o trabuco imaginário, declarou-se pronto para mais um combate. “Essa batalha deve ser travada nas ruas também, porque senão a gente só vai ouvir uma voz, a voz pedindo a condenação, mesmo sem provas”, caprichou Dirceu na pose de inocente injustiçado.
“É a voz do monopólio da mídia. Eu preciso do apoio de vocês”.
O guerrilheiro de festim não se emenda. Ele vive repetindo o blefe que inaugurou em 2005, logo depois de perder o emprego por excesso de patifarias.
”Vou percorrer o país para mobilizar militantes do PT, dos sindicatos e dos movimentos sociais”, preveniu o então deputado federal num encontro do partido em São Paulo.
”Temos de defender o governo de esquerda do presidente Lula do golpe branco tramado pela elite e por conservadores do PSDB e do PFL”.
Passou as semanas seguintes mendigando socorro até aos contínuos da Câmara, teve o mandato cassado em dezembro e deixou o Congresso chamando o porteiro de “Vossa Excelência”.
Passados sete anos, o sessentão que finge perseguir o socialismo enquanto caça capitalistas com negócios a facilitar assumiu formalmente o comando do regimento de mensaleiros que luta para livrar-se da cadeia. Sempre dedilhando a lira do delírio, promete liderar mais uma ofensiva do que chama de “forças progressistas e movimentos populares”, codinome que abrange os pelegos da União Nacional dos Estudantes Amestrados, os vigaristas das centrais sindicais, os blogueiros estatizados e outras aberrações que só esbanjam competência no assalto aos cofres públicos.
E que ninguém se atreva a acionar os instrumentos de defesa do Estado de Direito, previne. Como informa a novilíngua do stalinismo farofeiro, usar a polícia para conter badernas é “repressão política”.
Lembrar que, por determinação constitucional, figura entre as atribuições das Forças Armadas a neutralização de ameaças à ordem democrática é coisa de golpista.
No país que Lula inventou, a corrupção institucionalizada só existe na imaginação da mídia golpista.
Nesse Brasil Maravilha, Erenice Guerra é uma dama de reputação ilibada, Antonio Palocci prosperou honestamente, Dilma Rousseff é uma pensadora, Lula é o gênio da raça e o partido segue honrando a frase que Dirceu declamava fantasiado de vestal: “O PT não róba nem deixa robá”.
O mensalão, claro, é uma farsa montada pela imprensa. E os que ousam defender a lei não sabem com quem estão falando.
“Como se trata de uma batalha política, mostraremos nossa força”, blefou de novo o guerrilheiro que nunca lidou com balas de chumbo. O mais recente surto do mitômano sem cura reafirma que, para ele, o País do Carnaval não consegue enxerrgar diferenças entre fato e fantasia.
Como não para de repetir-se, faço questão de repetir-me: um ataque de tropas comandadas por um Zé Dirceu só consegue matar de rir.
Qualquer torcida organizada de time de futebol mobiliza mais militantes que o PT. As assembleias sindicais são tão concorridas quanto uma reunião de condomínio. Sem as duplas sertanejas, os brindes e a comida de graça, as comemorações do 1° de Maio juntariam menos gente que quermesse de lugarejo.
Os movimentos sociais morreriam de inanição uma semana depois de suprimida a mesada federal.
“Guerreiro do povo brasileiro!”, berram algumas dezenas de milicianos durante os palavrórios do general da banda podre.
Estão todos convidados a exibir seu poder de fogo com um desfile paramilitar na Avenida Paulista, aberto pelo revolucionário de festim e engrossado por todos os integrantes do exército fora-da-lei. Seria a primeira Marcha pela Impunidade dos Bandidos desde o Dia da Criação.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Dirceu e a juventude socialista querem pressionar o STF.

Dirceu , participando do 16o Congresso Nacional da União da Juventude Socialista, ligada ao PCdoB,convocou a Une e a juventude socialista a irem às ruas em sua defesa durante o julgamento do processo do mensalão que começa no dia 1o de agosto. O quadrilheiro se diz injustiçado quando , segundo ele, a voz da mídia   clama por sua condenação "sem provas"...e diz:" preciso do apoio de vocês"..., peço a vocês, hoje aqui, fiquem vigilantes. Não permitam julgamento político. Não permitam julgamentos fora dos autos (do processo). A única coisa que nós pedimos é o julgamento nos autos e que a Justiça cumpra o seu papel.”  A data do julgamento foi estabelecida pelos ministros do STF, e os votos dos juízes serão revelados a partir do dia 15 de agosto, coincidindo com o início das campanhas para as eleições municipais,  e os petistas logo se declararam muito insatisfeitos com tal fato dizendo temer que o resultado prejudique o PT nas eleições. Pois eu acho que eles dizem uma coisa mas pensam justamente o contrário: já contam com o resultado do julgamento do STF para favorecer o PT nas eleições. Afinal, não por acaso Dirceu pede que seja julgado apenas pelo que contém os autos do processo ( como se o STF pudesse julgá-lo fora dos autos?) Ah...como eu gostaria de entender "juridiquês" para tentar encontrar as brechas legais através das quais Dirceu et caterva já contam escapar da condenação...
*Mara Montezuma Assaf, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática

Uma verdade incoveniente, para os estão no poder.

domingo, 10 de junho de 2012

UNE: A base estudantil alugada.

Enquanto a UNE rouba os cofres públicos, fraudando convênios, a sede de R$ 30 milhões não sai do chão.


Ontem a UNE foi manchete no jornal O Globo e matéria destacada no Jornal Nacional. Quase 10 milhões de fraudes em convênios. Roubo descarado. Roubo escancarado. Em 2010, Lula deu R$ 30 milhões para que a sede da entidade fosse reconstruída. Até agora, os R$ 30 milhões são apenas um tapume na Praia do Flamengo, 132.  A foto é de hoje. A pergunta que não quer calar é: será que o dinheiro ainda existe ou virou vodka, cachaça, celular e conta de restaurante, como os quase R$ 10 milhões dos convênios fraudados pela União Nacional dos Estelionatários?
* Blog Coturno Noturno

sábado, 9 de junho de 2012

Os desdentados financiam a cachaça dos comunistas.

UNE: Idealismo é com os liberais; comunista gosta mesmo é de dinheiro… dos outros!!! Ou: Desdentados financiam a cachaça dos comunas.
A UNE (União Nacional dos Estudantes) há muito se tornou um ajuntamento de pelegos, mera repartição pública financiada pelo erário. Reportagem de Demétrio Weber e Regina Alvarez, no Globo, revela mais uma lambança da turma envolvendo dinheiro público. Nota-se a semelhança entre os métodos empregados pela entidade e aqueles que vigiam no Ministério dos Esportes. A UNE, a exemplo do ministério, é comandada pelos “camaradas” do PC do B. Leiam trechos da reportagem. Volto para arrematar.
TCU investiga convênios da UNE com o governo federal
Por Demétrio Weber e Regina Alvarez:
Investigação do Ministério Público aponta indícios de irregularidades graves em convênios do governo federal com a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Municipal dos Estudantes Secundaristas (UMES) de São Paulo. Entre 2006 e 2010, essas entidades receberam cerca de R$ 12 milhões dos cofres públicos destinados à capacitação de estudantes e promoção de eventos culturais e esportivos. No caso da UNE, o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) Marinus Marsico identificou o uso de notas fiscais frias para comprovar gastos. E detectou que parte dos recursos liberados pelo governo federal foi usada na compra de bebidas alcoólicas e outras despesas sem vínculo aparente com o objeto conveniado.
Ao analisar as prestações de contas do convênio do Ministério da Cultura com a UNE para apoio ao projeto Atividades de Cultura e Arte da UNE, o procurador Marsico constatou gastos com a compra de cerveja, vinho, cachaça, uísque e vodca, compra de búzios, velas, celular, freezer, ventilador e tanquinho, pagamento de faturas de energia elétrica, dedetização da sede da entidade, limpeza de cisterna e impressão do jornal da UNE. Além disso, encontrou diversas notas emitidas por bares em que há apenas a expressão “despesas” na descrição do gasto.
No fim de maio, o procurador formalizou representação ao Tribunal de Contas da União (TCU) para que a Corte investigue o uso dos recursos federais repassados à UNE e à UMES, entre 2006 e 2010. O alvo da representação são 11 convênios, seis da UNE e cinco da UMES, celebrados com os seguintes ministérios: Cultura, Saúde, Esporte e Turismo. O valor total desses convênios é de R$ 8 milhões, destinados a projetos variados que vão desde a capacitação de estudantes de ensino médio até a realização de duas edições da Bienal de Artes, Ciência e Cultura da UNE. Marsico deu destaque a sete convênios - seis da UNE e um da UMES - no valor de R$ 6,5 milhões, que, segundo ele, concentram os “principais achados”.
Esporte demora a cobrar contas
As notas fiscais frias foram localizadas na prestação de contas que a UNE entregou ao Ministério da Saúde, referente ao convênio de número 623789, de R$ 2,8 milhões, encerrado em 2009. Esse convênio bancou a Caravana Estudantil da Saúde, em que universitários percorreram as 27 unidades da Federação para discutir saúde pública, com a oferta de testes rápidos de HIV e conscientização sobre a importância de doar sangue.
Marsico informa na representação que quatro notas da empresa WK Produções Cinematográficas Ltda. são “inidôneas”, com base em informações da Secretaria Municipal de Finanças de São Paulo, que não reconheceu a autenticidade dos documentos. Há suspeita de que outras oito notas emitidas por diferentes empresas também não sejam válidas, o que estaria sob apuração da secretaria municipal, de acordo com o procurador. Ele menciona ainda o caso de uma nota fiscal de R$ 91.500, da gráfica e editora Salum&Proença, de Jandira (SP), que teria sido cancelada pela empresa, embora os serviços constem na prestação de contas da UNE.
Outro indício de irregularidade apontado pelo procurador nesse mesmo convênio é a elevação dos gastos previstos com assessoria jurídica de R$ 20 mil para R$ 200 mil, sem justificativa nos autos. Marsico aponta ainda duplicidade de pagamentos, imprecisão do objeto do convênio e a transferência dos recursos da conta oficial para contas bancárias dos produtores da caravana. Para Marsico, os dados sugerem “possíveis atentados aos princípios da moralidade, da legalidade, da legitimidade e da economicidade, além de evidenciarem possíveis danos ao Erário Público”, segundo destacou na representação ao TCU. “É lamentável, especialmente pela história de lutas dessas entidades. Elas teriam que ser as primeiras a dar o exemplo à sociedade de zelo no uso do dinheiro público”, afirmou o procurador.
Ele chama a atenção para a demora do Ministério do Esporte em cobrar a prestação de contas da UNE no convênio de número 702422, de 2008, no valor de R$ 250 mil. A pasta comandada pelo PCdoB, mesmo partido que controla a UNE, fomentou a “implantação de atividades esportivas e debates” na 6ª Bienal de Artes, Ciência e Cultura. “Quase dois anos após o fim do prazo para a prestação de contas, os documentos ainda não haviam sido encaminhados”, observou Marsico na representação ao TCU, registrando que, “somente após receber o ofício enviado pelo MP/TCU, o órgão (Ministério do Esporte) notificou a UNE sobre a omissão”. “Há erro dos dois lados. De quem recebeu os recursos e dos órgãos que liberaram. Se não fosse eu requerer, em alguns casos não haveria sequer a prestação de contas”, disse o procurador do MP.”
No caso dos convênios com a UMES, o procurador destacou o que trata do auxílio ao Projeto Cine Clube UMES da Saúde, concluído em março de 2010, no valor de R$ 234, 8 mil. De acordo com Marciso, as quantias previstas no plano de trabalho eram as mesmas posteriormente contratadas. “Como era possível saber o valor exato das propostas vencedoras nas licitações?”, questionou. Ele observou também a falta da relação de escolas beneficiadas e de cópias dos processos licitatórios ou justificativas para a dispensa de licitação. “Algumas das impropriedades apuradas, como a utilização de recursos públicos para a compra de bebidas alcoólicas, são de extrema gravidade e parecem-nos capazes de justificar a atuação dessa Corte de Contas”, disse Marsico na representação.
Entidade reafirma zelo com recursos
Procurada pelo GLOBO para se manifestar sobre as irregularidades, a UNE respondeu, em nota da assessoria de imprensa, que “reafirma seu compromisso de zelo com os recursos públicos e, se comprovado qualquer tipo de irregularidade, compromete-se a saná-las de acordo com o que a lei determina, inclusive, se for o caso, com a devolução de recursos”.
(…)
Voltei
O mais encantador nesses caras é que eles se dizem “socialistas” porque consideram que o capitalismo é, entre outras coisas, um sistema muito pouco ético… O fato não é novo na história brasileira. Se vocês estão atrás de idealismo, de pessoas apegadas a princípios, a valores, convém falar com os liberais. Comunistas são muito práticos: gostam mesmo é de dinheiro! E necessariamente do dinheiro alheio, já que eles consideram que produzir é coisa de burguês.
Vejam lá! Há muito tempo os desdentados financiam a cachaça comunista!
* Texto por Reinaldo Azevedo

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Desgoverno.

...
Sabemos como os comunistas são tão bonzinhos, como foram  com suas mais de cento e ciquenta milhões de vítimas...

A canalha comunista e terrorista queria derrubar o governo militar da Contra-revolução e iniciou uma guerrilha que, se deixada agir livremente, acabaria numa guerra civil.  E guerra é guerra, cada grupo de contendores quer apenas a vitória, matando os inimigos. Quem a iniciou foram Goulart e Brizola, tentando implantar uma ditadura comunista e sindical, do tipo e com a ajuda de Cuba, da URSS e da China comunista.

Por isso, Pinochet, grande militar, matou sete mil, deu cabo dos inimigos e no fim permitiu a redemocratização. Por isso o Chile é hoje, disparado, o melhor país da América LatRina. Enquanto aqui os comuno-fascisto-terroristas voltaram e nos desgovernam.

* Álvaro Pedreira de Cerqueira, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática.

Falso dilema: agropecuár​ia X meio-ambie​nte.

Você sabia que ...
... O Brasil é um dos países ecologicamente mais bem preservados do mundo e que mantém ainda 69% de sua vegetação natural e 28,3% das florestas originais do planeta?
... A Amazônia tem 86% de vegetação nativa preservada e o Pantanal 80%?
... O Brasil possui a maior área protegida do mundo?
Entre parques, reservas e terras indígenas, as áreas protegidas ocupam hoje 30% do território nacional, quando a média mundial é de 10%.
... O mundo emitiu 31,5 bilhões de toneladas de gás de origem fóssil em 2008?
E que a China respondeu por 21% das emissões mundiais (6,5 bilhões de toneladas), seguida pelos EUA (19%), Rússia (5,5%), Índia (4,8%) e Japão (3,9%)?
... Esses cinco países somam 53,4% das emissões planetárias. E o Brasil
– quinto maior país do mundo – emitiu apenas 1,4%.
... A agricultura exerce um papel gigantesco na preservação ambiental?
Ela é capaz de apresentar soluções para conservação da água e da biodiversidade. Além de alimentos e fibras, ela garante uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo. 47,3% da energia brasileira
provém de fontes renováveis (cana-de-açúcar, hidrelétricas, lenha,biodiesel, etc.), em comparação com a média mundial de 18,6%.
... A produção de grãos aumentou 273% no Brasil enquanto a área plantada cresceu apenas 27%, (entre 1976 e 2010)?  Em um mesmo hectare o agricultor produz, em média, duas vezes e meia mais milho,trigo, arroz, soja e feijão.
... Em 1970, um agricultor brasileiro produzia alimentos para 73 pessoas, e, em2010, o número saltou para 155 pessoas?
... A sustentabilidade é uma questão técnica, e não de crença ou boa vontade? Em 30 anos, o país deixou a posição de importador de alimentos para tornar-se um dos maiores exportadores mundiais de produtos agrícolas, graças aos ganhos constantes de produtividade.
E, portanto, opor a agropecuária ao meio-ambiente é um falso dilema? A preservação do meio-ambiente não somente é compatível com o desenvolvimento agropecuário, mas este último vem tendo um papel
insubstituível nesta tarefa.
* http://gpsdoagronegocio.blogspot.com/

Governo petista corta ponto de professores em greve.

Com o corte de ponto anunciado pelo governo do Estado em meados de abril, os professores da rede estadual de ensino, em greve há 57 dias, têm se virado pelo avesso para pagar as contas sem abrir mão da paralisação. A receita inclui corte de gastos, um pouco de solidariedade, mais um tanto de jogo de cintura e, se tiver sorte, empréstimos bancários. Os colegas Evando de Oliveira e Betânia Carneiro, que lecionam língua portuguesa em escolas de Riachão do Jacuípe, fizeram as contas e encararam três horas de estrada para participar da assembleia da categoria, realizada nesta terça-feira (5), em frente à Secretaria Estadual de Educação, em Salvador. A dupla e outros 20 conterrâneos compartilham as dificuldades de viver sem o vencimento mensal. “Sem salário, não tem margem para empréstimo bancário. Para conseguir dinheiro no banco, só se for amigo do gerente. As famílias estão ajudando. Os amigos estão ajudando. Nós estamos sobrevivendo com a ajuda dos outros. Se não tiver ajuda nós morremos de fome”, relatou Evando, em entrevista ao Bahia Notícias. “Não temos margem nem para comprar na Cesta do Povo. O cartão está sem limite”, completou Betânia. E o que fazer quando toda a renda da casa vem do trabalho nas salas de aulas das escolas estaduais? O professor Luís Nascimento, casado há quase dez anos com uma colega, dá a dica. “A gente sempre economizou, então temos uma reserva, mas estamos fazendo contorcionismo para não ficar no vermelho. O mais importante é não deixar se abater e continuar a luta”, contou.
Apesar dos relatos de dificuldades financeiras, os docentes não aceitaram a proposta reapresentada pelo governador Jaques Wagner, que prevê a antecipação de ganhos escalonados de 3% e 4% para novembro deste ano e abril de 2013. “Não foi uma reapresentação de proposta. O que ele está dando é uma coisa que já existe na lei para professores certificados e que só atinge 10% da categoria”, argumenta Jaqueline Correia, que atua em uma unidade de ensino do bairro de Paripe, em Salvador. A promessa é que, sem o reajuste linear de 22,22% que garantiria o piso nacional, não tem volta ao trabalho. “Não queremos parede, teto, nem migalhas. Queremos o piso. Se ele não vem fazemos vaquinhas, fazemos bazar, vamos nos ajudando”, conclui Jaqueline. A notícia de que o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) havia determinado o restabelecimento imediato do pagamento dos salários trouxe um alento para a categoria, mas apenas passageiro, já que o governo promete recorrer à decisão e, enquanto isso, os docentes seguem na expectativa e prometem não ceder.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Venezuela em crise com escassez de medicamentos.

O presidente Hugo Chávez na inauguração de um laboratório farmacêutico em Caracas
Apesar da ‘atenção médica’ ser citada pelos socialistas como a ‘grande conquista’ do Socialismo do Século XXI, a Venezuela atravessa uma escassez aguda de medicamentos que põe em risco a vida de milhares de seus cidadãos, muitos dos quais estão apelando desesperadamente para as redes sociais na tentativa de obter os remédios que não conseguem comprar nas farmácias.
"Ainda não consegui o EUTHYROX de 100 mg para minha mãe. Caso alguém tenha informação, agradecemos de antemão", escreveu @Lawyer21 no Twitter, referindo-se ao medicamento utilizado para tratar hipotireoidismo.
"Precisa-se com URGÊNCIA do medicamento ANGELIG", escreveu @ZapoteAmargo sobre o medicamento utilizado para tratar menopausa, que não encontrou nas farmácias de Caracas (imaginem em cidades do interior...).
Centenas de mensagens foram transmitidas na segunda feira através da conta do ativista cibernético @LucioQuincioC, que em poucas semanas se converteu na Meca de quem peregrina pela Web em busca de medicamentos.
A conta do Twitter, criada em fevereiro, já tem mais de 61 mil seguidores, muitos dos quais participam ativamente de uma rede de informação entre si sobre as farmácias onde se podem conseguir os fármacos. Tais esforços, de fato, nem sempre conseguem salvar vidas.
Um recém-nascido morreu na segunda feira não obstante as desenfreados tentativas de seus familiares para conseguir o remédio ALPROSTADIL (Prostaglandina), medicamento normalmente utilizado para a disfunção erétil, mas que também está indicado para tratar problemas cardíacos congênitos em recém-natos. Centenas de mensagens foram enviadas no domingo por pessoas que se comoveram, mas o remédio não pode ser conseguido a tempo. "Sofremos muito com a morte do bebê e consideramos que ele foi assassinado indiretamente pelo desprezível regime político implantado na Venezuela. Não pudemos acudi-lo. Uma mãe nos pedia desesperada este medicamento especial, para seu filho de quatro dias de nascido, e lamentavelmente nós não pudemos fazer nada", comentou numa entrevista telefônica @LucioQuincioC, que falou sob a condição de anonimato.
El hecho de que medicamentos como estos sean difíciles de encontrar en el país petrolero son una muestra adicional de las dificultades que los venezolanos enfrentan gracias al estricto control cambiario impuesto por el régimen de Hugo Chávez y la implementación de medidas que desalientan la inversión privada.
As medidas de Hugo Chávez postas em vigor para impulsionar a economia centralizada que o caudilho vê como ‘socialismo’, têm levado as empresas do setor a depender cada vez mais das importações para suprir o mercado local; enquanto que as dificuldades para a obtenção de dólares e as travas burocráticas entorpecem cada vez mais as operações para trazer medicamentos do exterior. "A Venezuela atravessa uma crise médico-hospitalar pela falta de medicamentos e as medidas tomadas pelo governo são errôneas e ao invés de superá-la apenas a agravam", disse recentemente à imprensa local o presidente da Associação Farmacêutica do Leste (AFE), Rafael Fumero.
"Medicamentos de consumo massivo, como antigripais, edulcorantes artificiais SPLENDA e SUCARYL, EUTHYROX, GLUCOFAGE (antidiabéticos), antipsicóticos e antidepressivos começam a desaparecer das prateleiras das farmácias", assinalou.
Em função dessa escassez, algumas farmácias já começaram a preencher as lacunas de suas prateleiras com produtos básicos da cesta familiar como bebidas, doces, óleos e até feijão para não se verem obrigadas a fechar suas portas.
Roberto León Parilli, presidente da Associação Nacional de Usuários e Consumidores, disse que sua organização tem recebido centenas de reclamações de pessoas que não estão conseguindo nas farmácias os remédios que necessitam.
Mas as deficiências não se limitam apenas aos medicamentos, comentou León. "O fenômeno de desabastecimento também engloba as equipes médicas e os insumos que tais equipes usam no dia a dia. Há denúncias de pessoas que se queixam de práticas que violam todas as normas de saúde, como o uso de seringas para armazenar sangue, ante a falta de tubos de coleta apropriados e normalmente usados para tal em hospitais e laboratórios de analises clínicas, e a reciclagem de bolsas utilizadas para recolher dejetos durante diálise peritoneal e bolsas de colostomia, pelo fato da indisponibilidade de material novo", acrescentou León.
Tais práticas, que certa vez os venezuelanos já sofreram em hospitais públicos por faltas de recursos estatais, agora ocorrem nas clínicas privadas devido ao fato dos produtos não estarem disponíveis ara a aquisição, independentemente do poder aquisitivo do paciente. A escassez de medicamentos ocorre a pesar da insistência governamental obstinada e mentirosa em afirmar que a ‘Revolução Bolivariana’ tem melhorado a rede de assistência médica e hospitalar no país, com a colaboração de milhares de profissionais médicos cubanos, que participam da famigerada "Missão Bairro Adentro".
Segundo estimativas privadas, a Venezuela paga a Cuba dezenas de milhares de milhões de dólares pela ‘colaboração’ de médicos cubanos, que operam em centenas de centros assistenciais em todo o país (onde cuidam, paralelamente, de fazer a catequese marxista da população).
O governo chavezista, no entanto, não parece contar com divisas suficientes de sua renda com o petróleo para suprir as necessidades das empresas que ainda atuam no setor industrial. Carlos Larrazábal, presidente da Confederação Venezuelana de Industriais, afirmou que a Comissão de Administração de Divisas (CADIVI), entidade estatal encarregada de administrar o ‘controle do cambio’ no país, não está outorgando os dólares que o setor industrial necessita, ainda que este, juntamente com o de gêneros alimentícios, seja considerado como "prioritário" entre todos os demais setores industriais.
"Nossa enquete de conjuntura tem relatado que os atrasos da CADIVI, em termos gerais, para a liquidação de divisas, estão em 96 dias em média para os pagamentos aos provedores de todos os setores", comentou Larrázabal. Tais demoras significam atrasos nos recebimentos dos medicamentos importados, mas os poucos que são produzidos no país também estão sendo afetados, uma vez que a matéria prima para a quase totalidade deles é importada.
De acordo com León, o CADIVI tem repassado à indústria um montante anual de divisas 40 por cento menor do que o repassado no ano anterior, o que é um dos fatores determinantes da atual escassez. "Vê-se às vezes numa farmácia uma longa fila como se algo estivesse sendo racionado e quando se pergunta que fila é aquela dizem que é porque chegou algum remédio em falta. Os doentes estão sendo obrigados a peregrinar de farmácia em farmácia para conseguir o que necessitam, e a colocar seus nomes em listas para serem chamados assim que o remédio chegar", comentou León.
Trata-se da velha prática de indolência burocrática governamental que está pondo em risco a saúde de milhares de venezuelanos, sublinhou. "Aqui na Venezuela de hoje, um paciente não pode esperar pelo CADIVI para que repasse uns dólares para poder se tratar de una enfermidade. O regime de controle de câmbio é que causa tudo isso, uma enorme vergonha em relação ao país que tínhamos há poucos anos atrás", enfatizou.
A Venezuela está cada vez mais parecida com Cuba, com o agravante de que não existe qualquer bloqueio comercial americano contra Caracas.
*Fonte: http://www.elnuevoherald.com/2012/06/06/1221312_p2/venezuela-enfrenta-escasez-de.html -Tradução de FraciscoVianna