segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Ao amigo/leitor


FELIZ ANO NOVO!


Hugo Chávez agoniza com agravamento de seu estado de saúde.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, teve "novas complicações" em seu estado de saúde, informou na noite deste domingo (30) o vice-presidente Nicolás Maduro em um comunicado pela televisão e rádio do país. Segundo Maduro, o estado de saúde do líder continua delicado e as complicações surgiram "como consequência da infecção respiratória já conhecida".
"As complicações estão sendo atendidas em um processo não isento de riscos", acrescentou o vice-presidente e herdeiro político nomeado por Chávez, que viajou na última sexta-feira a Havana para visitar o presidente.(G1)

domingo, 30 de dezembro de 2012

Bolsas suborno.


“Pode pagar que essa sociedade não reclama de nada. São todos uns ignorantes, idiotas, imbecis, corruptíveis ou subornáveis.” (Presidente de uma corruptocracia)
A Lei Geral da Copa editada em junho de 2013 – até agora sem nenhum suspiro de revolta coletiva sobre esse descalabro presidencial –, através de um dos seus artigos, concede aos jogadores de três copas do mundo um prêmio de R$ 100.000,00 (cem mil reais) – pagos imediatamente pelo Ministério dos Esportes, para titulares e reservas, além da garantia de uma aposentadoria pelo valor máximo que na época estava em torno de R$ 3800,00 (três mil e oitocentos reais), sendo esta aposentadoria extensiva ao dependente no caso de morte do beneficiado, antes ou depois da entrega da "bolsa suborno".
Considerando que muitos desses jogadores não precisam dessas “bolsas suborno”, diante da podridão moral e ética que assola o país, não nos surpreende que nenhum deles tenha se recusado a receber a “bolsa suborno”, o que, mais uma vez, demonstra o histórico nível de degeneração quase coletiva dos mais básicos valores que deveriam ser os fundamentos de uma sociedade séria, justa e digna.
Mesmo que alguns desses “felizardos” precisassem da grana dada, sem qualquer consulta a quem paga a conta dessa e de muitas outras sacanagens, isto é, os contribuintes, os beneficiados deveriam lembrar que milhões de cidadãos trabalham a vida toda para ganhar uma aposentadoria que mal lhes garante alimentação e nem o tratamento médico de que necessitam. É claro que isso seria pedir demais para alguns esportistas de uma sociedade que mantêm no poder os descarados e comprovados estelionatários da política que controlam o país através do assistencialismo, do suborno e da corrupção.
Pior ainda do que qualquer reação relevante da sociedade, principalmente da classe dos aposentados que passaram a vida trabalhando para ter direito ao benefício, é o silêncio do Ministério Público e do Parlamento, ambos parcialmente ou totalmente servis a um desgoverno fascista.
Está configurado no país o instrumento do suborno descarado ou disfarçado para o esporte, assim como para a classe dos artistas, tendo alguns tão felizes com a sacanagem com os contribuintes que até declaram que “roubar pode ser necessário para governar”, coisa de gente canalha.
Uma das desculpas oficiais para a concessão dessas “bolsas suborno” é que os jogadores beneficiados, titulares e reservas, trouxeram muitas alegrias ao povo brasileiro.
- Pode existir boçalidade vomitada por um representante do desgoverno petista maior do que essa?
Se o negócio é premiar com indenizações e aposentadorias para quem traz alegria ao povo então se justificam outras bolsas tipo “bolsas sambista”, “bolsas bunda carnavalesca”, “bolsas prostituta” para quem dorme com políticos – com valor maior para quem dorme com presidente líder de ignorantes, idiotas, imbecis e corruptos –, e por aí vai.
Interessante frisar que os contribuintes feitos de idiotas e palhaços do Circo do Retirante Pinóquio são os mesmos que lotam os estádios e os shows dos artistas, que compram seus cds ou seus dvds, e passam horas assistindo as novelas da TV Globo, dando audiência a essa absurda forma de propagação da degeneração de valores familiares, morais e éticos, sendo muitos desses lacaios do petismo subornados para distrair milhões de idiotas e imbecis escravos dessa corruptocracia fascista que controla o país.
Diante de um comportamento tão moralmente promíscuo de nossa sociedade, quem pode ainda levar o Brasil a sério? – Somente aqueles que estão se aproveitando de nossa covardia, omissão e passividade, para usufruir lucros através da cumplicidade com os desgovernos mais corruptos e safados de nossa história.
Como muito bem coloca Átila Nunes, isso é uma tapa na cara de todos os brasileiros que, quando se aposentam, depois de uma vida de trabalho, estão longe de ganhar o que agora está sendo presenteado pelo desgoverno petista aos atletas. Como nossa sociedade está demonstrando sua covardia e omissão por natureza é claro que todos vão oferecer o outro lado de sua face para muitos outros tapas da corruptocracia fascista que domina o país.
*Geraldo Almendra

Frei Beto, tal qual os demais da esquerda...

Frei Beto, durante o regime militar, foi um dos colaboradores das atividades terroristas de Marighela. Colaborador de terrorista, mesmo sendo um inocente útil, é terrorista também.
Mesmo que não tenha atirado em ninguém, assaltado banco ou explodido bomba com a intenção de causar danos e matar alguém. Não tem essa de dizer que não sabia.
Os terroristas, que combateram o regime militar, não lutavam pela democracia, mas para implantar no país um regime semelhante ao que vigorava então na União Soviética, Cuba, China e Coréia do Norte, como atestam hoje alguns dos terroristas daquela época. O Manual da guerrilha e terrorismo escrito por Marighela deixa isto bem claro.
Ele mantinha contato com Marighela não pelo telefone do Convento dos Dominicanos nas Perdizes, mas de uma livraria no centro de São Paulo. Ele foi preso com outro dominicano, que também colaborava com os terroristas, no dia em que Marighela foi morto na Alameda Casa Branca em São Paulo.
Tudo isto foi amplamente divulgado pelos jornais por ocasião da morte de Marighela e a prisão dos frades dominicanos.
Naquela época eu trabalhava no jornal O Estado de S. Paulo. Era um dos redatores do noticiário internacional.
*Wanderlan Gama, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática

sábado, 29 de dezembro de 2012

Um discurso hipócrita.

 
O discurso de final de ano da presidente Dilma não teve como alvo pessoas sérias, honestas e dignas.
Foi talhado para ignorantes, imbecis, idiotas, cúmplices, omissos, covardes e canalhas esclarecidos.
É esse o público que, através do voto comprado com o assistencialismo, com a corrupção, e com o suborno, tem permitido que a Fraude da Abertura Democrática continuasse entregando o país a um regime fascista autoritário, explorador, e chantagista, principalmente, depois que o PT assumiu o poder.
Frases feitas, propaganda mentirosa, números falsos ou ilusórios, promessas que nunca irão se realizar em uma dimensão minimamente satisfatória – maioria das promessas já feitas durante os desgovernos petistas –, fazem parte da fórmula de um vinho entorpecente fascista oferecido no final do ano para que os qualificados como públicos alvos da presidente bebam com sofreguidão o sonho de uma vida fácil, em que a escravidão a um estado assistencialista-corrupto ou o aceno de novos caminhos para a prática do ilícito – protegido por togados vestidos de bandidos –, como quase tudo o que acontece nas relações públicas e privadas, continue com perspectivas cada vez mais promissoras.
Nenhuma palavra sobre a corrupção que avassala o poder público.
Nenhuma palavra sobre as bilionárias obras inacabadas ou não realizadas em gestões anteriores.
Nenhuma palavra sobre a falência da educação, do sistema de saúde e da segurança pública.
Nenhuma palavra sobre o fracasso econômico dos seus dois primeiros anos de desgoverno petista tendo em vista as mínimas necessidades do país.
Nenhuma palavra sobre a extorsão tributária que financia o poder público mais incompetente e corrupto de nossa história.
Nenhuma palavra sobre o absurdo crescimento da máquina do estado que, junto com suas empresas estatais, foram aparelhados e transformados em cabides de empregos de meliantes de todos os níveis.
Nenhuma palavra sobre as vergonhosas avaliações internacionais dos sistemas de ensino em nosso país seja o ensino básico ou o universitário.
Nenhuma palavra sobre o risco cada vez mais relevante do estrangulamento das contas públicas e do endividamento das pessoas físicas chegando ao limite, dando uma triste ilusão de crescimento econômico, mesmo que sendo pífio, foi obtido, não com o aumento da oferta de produtos ou de investimentos no parque industrial e de serviços, mas com a indução da sociedade a comprar sem perder de vista com um aumento de renda, não decorrente do trabalho, mas fundamentado nas centenas de bolsas e demais recursos assistencialistas que acabam disponibilizando renda para o consumo deixando para o contribuinte pagar a conta das “transferências de renda” com a extorsão tributária.
Enfim, novas promessas são feitas, esquecidas as antigas, e novas cifras bilionárias divulgadas para que a sociedade continue acreditando em Papai Noel, não aquele que as crianças acreditam, mas naquele “velhinho barbudo canalhaque inaugurou navio que continua sem poder navegar, e prometeu a transposição do Rio São Francisco, que já dobrou de custo com metade das obras no abandono, entre tantos outros “presentes” anunciados nos estelionatos eleitorais cujos pacotes estavam vazios quando abertos ou com muito menos do que era anunciado.
A sociedade ouvinte de tanta hipocrisia um dia terá que pagar a conta da sacanagem que as gangs que tomaram conta do poder público estão fazendo com o país.
*Geraldo Almendra, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Hugo Chávez se esvai...


O estado de saúde de Hugo Chávez Frias é praticamente irreversível.
O Presidente da Venezuela não terá condições de assumir seu próximo mandato porque está à beira da morte.

*Alerta Total,por Jorge Serrão

A vingança dos zumbis.




Mesmo sem ser simpática nem carismática, sem ter o dom da palavra e da comunicação, e com o País crescendo apenas 1% ao ano, a presidente Dilma Rousseff obteve índices espetaculares de confiança e aprovação pessoal na pesquisa do Ibope. 

Mas como os pesquisados de todo o Brasil se informaram sobre o dia a dia de Dilma e do País, sobre suas ideias, ações e resultados? 

Ora, pela "mídia golpista", que divulgou nacionalmente os fatos, versões e opiniões que a população avaliou para julgar Dilma. 

Os mesmos veículos informaram os 83% que tiveram opinião favorável a Lula no fim do seu governo, já que a influência da mídia estatizada e dos "blogs progressistas" no universo pesquisado é mínima. 

Claro, a maciça propaganda do governo também ajuda muito, mas só se potencializa quando é veiculada nas maiores redes de televisão e rádio, nos jornais, revistas e sites de maior audiência e credibilidade no País - que no seu conjunto formam o que eles chamam de "mídia golpista". 

Mas que golpismo de araque é esse que tanto contribui para divulgar os feitos, as qualidades e a força popular do objeto de seu suposto golpe? 

Por que a mesma mídia só tem credibilidade quando contribui para a popularidade de Lula e Dilma e não quando denuncia os escândalos do governo e o julgamento do mensalão? 

A conta não fecha, mas eles insistem. 

Zé Dirceu e Rui Falcão já avisaram que a vingança dos zumbis do mensalão e do "Rosegate" vai ser a regulamentação da mídia, como na Argentina e na Venezuela, culpando o mensageiro pela mensagem. 

No Brasil democrático todo mundo tem voz, fala o que quer, ouve quem quiser. 

Mas eles querem "pluralizar" a mídia, denunciando monopólios e ignorando a concorrência acirrada em todos os segmentos do mercado multibilionário da comunicação de massa, em que ganham mais os que têm mais credibilidade e popularidade. 

Mas o Brasil não é a Argentina e Dilma não é Cristina. Além da cobertura nacional que tanto contribui para sua boa exposição e avaliação pública, ela deveria agradecer à mídia por revelar os malfeitos que lhe permitiram fazer uma faxina no seu quintal. 
*Nelson Motta, no Estadão

Sem anestesista, mãe e filha morrem em hospital do PA.


A gestante Ana Carolina chegou com dores a Maternidade Modelo de Ananindeua, em Belém, na noite de Natal. Mas não pode realizar a operação cesariana por não haver um anestesista no hospital. Apenas duas horas após o primeiro atendimento, a gestante foi levada à Santa Casa de Belém onde a criança chegou morta e Ana Carolina não resistiu a hemorragia e também morreu. Reportagem exibida no SBT Brasil. Visite o UOL Notícias

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Os marxistas.


Rosemary, a mulher do ano.

 

A representante da Presidência da República em São Paulo fez exatamente o que Dilma fez em Brasília: cacifada por Lula, passou a reger o parasitismo do PT
 
POR GUILHERME FIUZA
Nesses tempos de devoção às minorias, não é justo deixar de destacar a contribuição de Rosemary Noronha para a causa feminina. O Brasil progressista explode de orgulho por ser governado por uma mulher — que aliás deu a Rosemary sua chance de brilhar — e não pode agora se esquecer de reverenciar mais uma expoente do gênero. Assim como Dilma, Rose chegou lá. O fato de estar enrolada com a polícia é um detalhe.

Rose e Dilma escreveram seus nomes na história do Brasil por serem, ambas, utensílios de Lula. A finalidade de cada uma para o ex-presidente não vem ao caso. O que importa é que ambas funcionaram muito bem. Como se nota pelo ufanismo nacional em torno de Dilma, não se espera mais da mulher moderna opinião própria, autonomia e iniciativa. Basta botar um tailleur vermelho, um colar de pérolas e decorar suas falas. E muito importante: falar o mínimo, para errar pouco. Até outro dia isso era piada entre Miguel Falabella e Marisa Orth (“cala a boca, Magda!”). Hoje é sinal de poder.

O grande símbolo feminino brasileiro da atualidade, que desperta a admiração de Jane Fonda — que tempos! — não tinha feito nada de extraordinário na vida até ser levada pela mão do padrinho ao topo. O feminismo realmente mudou muito.

Lá chegando, seu maior mérito foi usar vestido e não ser o Lula (para os que não suportavam mais o ogro bravateiro), ou ser o Lula de vestido (para os que seguem venerando o filho do Brasil). Sem nenhum plano de governo, com um ministério fisiológico de cabo a rabo, sem um mísero ato de estadista em dois anos de mandato, Dilma se destaca por ser ou não ser Lula, dependendo do ponto de vista. É a apoteose da nulidade, que o Brasil progressista e feminista consagra com aprovação recorde.

Diante desses novos valores, seria injusto não consagrar Rosemary também. A representante da Presidência da República em São Paulo fez exatamente o que Dilma fez em Brasília: cacifada por Lula, passou a reger o parasitismo do PT, cuidando da nomeação de companheiros e dando blindagem política às suas peripécias para sucção do Estado.

No caso de Dilma, a grande orquestra fisiológica foi desmoronando ao vivo, com nada menos que sete ministros nomeados (e protegidos até o fim) por ela caindo de podres, graças à ação da imprensa. A mulher-modelo de Jane Fonda ainda havia parido uma Erenice, a quem preparava para ser a dama de ferro de seu governo (Jane não pode imaginar o que seria isso) — derrubada por fazer na Casa Civil algo muito parecido com as operações fantásticas de Rosemary. Até o uso da Anac como balcão de negócios se repetiu. Por que só Dilma é ícone feminino, se Rosemary mostrou ser um prodígio da mesma escola?

Por algum mistério insondável, a Polícia Federal não fez escutas nos telefones de Rose, ou diz que não fez. As conversas da mulher que regia uma quadrilha grudada em Lula, se apresentando como sua namorada, e que tramou até sabotagem ao julgamento do mensalão — o mesmo que Lula tentara com Gilmar Mendes — não interessou aos investigadores. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que não havia motivos para grampear Rosemary — uma suspeita que está impedida pela Justiça de sair de sua cidade. Esses ministros farsescos do PT podiam ao menos ser mais criativos. Mas não precisa, porque o Brasil engole qualquer coisa.

Marcos Valério disse que Lula teve despesas pagas pelo esquema do mensalão e autorizou operações bancárias do valerioduto. É comovente a desimportância atual dessas declarações. Lula é o líder de um projeto político montado para a permanência no poder a qualquer custo — e essa fraude está exaustivamente demonstrada pelo mensalão, por Dirceu, Erenice, Palocci, Pimentel, aloprados, Rosemary e praticamente todo o estado-maior petista, tanto de Lula quanto de Dilma, flagrados em tráfico de influência para se aferrar ao poder na marra. O que mais é preciso denunciar?

O eleitor brasileiro está brincando com fogo. Enquanto o desemprego estiver baixo, vai continuar afiançando a fraude que finge não ver. O país vai sendo empurrado com a barriga pelos fisiológicos — e essa conta vai chegar. O governo desistiu de controlar a inflação, que vai se afastando da meta (apesar da mudança de cálculo que reduziu o índice). A gastança pública é disfarçada com truques contábeis para esconder o déficit. A arrecadação brutal banca a farra dos companheiros, sem sobra para investimentos decentes — e tome literatura de trem-bala e tarifas mentirosas de energia, que já multiplicam os apagões por manutenção precária.

Como se viu na funesta CPI do Cachoeira, a mafiosa Delta comandava o planejamento da infraestrutura terrestre.

Mas está tudo bem, e oito governadores podem ir de cara limpa prestigiar Lula e sua democracia de aluguel. Se este é o país que queremos, Rosemary é a mulher do ano.
*GUILHERME FIUZA é escritor.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Brasil gastou mais de R$ 1,8 milhão com a manutenção de tropas no Haiti

Segundo o Ministério da Defesa, a manutenção das tropas brasileiras na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti já custou R$ 1,892 bilhão aos cofres públicos. O Brasil enviou seus homens ao país em 2004, durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sob a justificativa de restabelecê-lo depois da guerra civil e os manteve, após um terremoto de grande magnitude. À época, o governo acreditava que a ação lhe garantiria um assento permanente no Conselho de Segurança. A ONU reembolsou o Brasil em $ 556,5 milhões, mas não o admitiu como conselheiro. O governo pretende diminuir o efetivo no Haiti, de 1.910 homens para 1.200, em 2013.

Direto ao ponto.


O berreiro dos cardeais, os uivos dos apóstolos, a choradeira dos devotos, as lamentações das carpideiras ─ nada disso vai adiantar. Nenhuma espécie de chilique da seita lulopetista impedirá que o mestre seja obrigado a quebrar a mudez malandra. Desde 23 de novembro, quando a Operação Porto Seguro tornou nacionalmente conhecida uma certa Rosemary Noronha, Lula foge de comentários sobre a quadrilheira de estimação. O silêncio que começou há mais de um mês pode até estender-se por duas, três semanas. A trégua do Ano Novo ajuda. Mas o ex-presidente não escapará da hora da verdade.

A menos que todos os jornalistas resolvam perder definitivamente a voz, o homem que nunca sabe de nada será confrontado com perguntas e cobranças que exigirão álibis menos bisonhos e respostas mais criativas. Se repetir, por exemplo, que se sente “apunhalado pelas costas”, Lula se arriscará a ouvir de volta uma desmoralizante gargalhada nacional. Se confirmar que “não se surpreendeu” com o que houve, como balbuciou em Berlim, terá de ser menos ambíguo: não se surpreendeu com as gatunagens de Rose, com o atrevimento do bando, com a eficiência da Polícia Federal ou com o quê?

O colecionador de escândalos já deveria ter aprendido que nenhuma patifaria de grosso calibre deixa de existir ou fica menor só porque o protagonista da história finge ignorá-la. Atropelado pelas apurações da PF, passou as duas primeiras semanas enfurnado no Instituto Lula, de onde só saiu para uma festa no Rio e uma discurseira para catadores de papel em São Paulo. Sempre cercado por muros humanos, não concedeu aos repórteres um único segundo de sua preciosa atenção. Depois, viajou para longe do Brasil e passou uma semana driblando jornalistas com saídas pelos fundos e escapadas pela cozinha. Para quê? Para nada.

Se já era de bom tamanho quando partiu, a encrenca ficara um pouco maior quando voltou. Indiciada pela Polícia Federal, Rosemary Noronha foi em seguida denunciada pelo Ministério Público por formação de quadrilha, corrupção passiva, tráfico de influência e falsidade ideológica. Entre os comparsas incluídos na denúncia figuram os irmãos Paulo Vieira, ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Rubens Vieira, ex-diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), e Marcelo Vieira, que vive de expedientes. Os três bebês de Rosemary são os líderes da máfia dos pareceres técnicos forjados.

Os lucros da organização criminosa aumentaram extraordinariamente depois do recrutamento da chefe de gabinete do escritório paulista da Presidência. Rose apresentava-se aos interlocutores conforme o grau de intimidade. Para os íntimos, era a mulher do Lula. Para o resto, a namorada do presidente. Nas reuniões com subordinados, declamava o primeiro verso do hino dos novos-ricos: “Aqui tudo é chique”. Parecia-lhe especialmente chique a decoração do escritório na esquina da Paulista com a Augusta. Numa das paredes, um imenso pôster mostra Lula (com a camisa do Corinthians) batendo um pênalti.

Enquanto esteve acampada na casa da filha Mirele, também demitida da Anac, Rose pôde contabilizar os estragos causados pela brusca tempestade. De um dia para o outro, perdeu o emprego oficial, o posto de primeira-dama oficiosa, o escritório, o salário superior a R$ 10 mil, os amigos e o namorado. Acabou a vida mansa proporcionada pelos lucros da quadrilha. Acabaram as viagens internacionais ou mesmo domésticas: excluída das comitivas presidenciais desde a posse de Dilma Rousseff, agora não pode sequer sonhar com outro cruzeiro no mar de lhabela, ao som da dupla sertaneja Bruno e Marrone.
Sempre à beira de um ataque de nervos, Rose acha que os companheiros do PT não lhe estenderam a mão na hora da tormenta. É uma caixa-preta até aqui de mágoa. Tão perigosa quanto Paulo Vieira, que anda sondando o Ministério Público sobre as vantagens da delação premiada. Nesta segunda-feira, a sindicância aberta pelo Planalto para apurar o envolvimento de funcionários públicos com a quadrilha foi prorrogada por dez dias. Talvez dê em nada. Mas o processo judicial começou a andar. E o desfecho do julgamento do mensalão avisou que ninguém mais deve considerar-se condenado à perpétua impunidade.

Nos escândalos anteriores, havia entre Lula e os meliantes em ação um comando formado por companheiros ─ que funcionou como um oportuníssimo airbag na hora do estrondo. Desta vez nâo há intermediários entre o candidato a inimputável e a turma da delinquente que protege há quase 20 anos. As impressões digitais do ex-presidente estão por toda parte. Foi Lula quem instalou Rosemary Noronha no gabinete em São Paulo e pediu a Dilma que a mantivesse no cargo
Foi Lula quem, a pedido de Rose, transformou os irmãos Vieira em diretores de agências reguladoras. Sem Lula, Rose não se teria juntado à comitiva presidencial em 23 viagens internacionais. Sem Lula, uma alpinista social de subúrbio jamais teria feito carreira como traficante de influência. Era Lula a fonte de poder da quadrilha, que não teria existido sem ele. Pouco importam os balidos do rebanho, a vassalagem dos governadores ou as genuflexões de Dilma Rousseff (que conhecia muito bem a representante da Presidência em São Paulo).

Rose é um caso de polícia criado por Lula. Todos são iguais perante a lei. Ele que trate de encontrar explicações ─ se é que existe alguma.

*Augusto Nunes

sábado, 22 de dezembro de 2012

De repente...

De repente parou a matança de policiais em São Paulo. Bastou encerrarem-se as eleições.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

A cruel realidade cubana.

 
Hélio Dias Viana
Enquanto no Brasil a esquerda exige a apuração de toda a verdade sobre o sucedido no passado aos seus militantes que através da luta armada queriam transformar nossa Pátria em uma nova Cuba, nesta mesma Cuba, em pleno mês de maio de 2011 e até o momento sem protesto da referida esquerda, um opositor do regime morre pouco depois de ser violentamente espancado em um parque público por agentes da tirania de Fidel Castro. Eis o que a este propósito publicou o importante jornal madrilense ABC (9/5/2011):
Opositor cubano morto após espancamento policial advertiu ter recebido ameaças
Perseguem-me constantemente, sei que estão me vigiando, responsabilizo a segurança do Estado cubano e a polícia repressiva pelo que possa me acontecer de agora em adiante”. Esta foi a mensagem deixada ao mundo por Juan Wilfredo Soto, o opositor do regime castrista que morreu após receber espancamento policial na última quinta-feira.
Na gravação, que pode ser ouvida na Internet e cuja data se desconhece, o dissidente denuncia ser vítima da vigilância das forças de segurança, com “elementos” postados inclusive diante de sua própria casa, e demonstra temor de represálias do regime contra ele por defender a causa do também dissidente cubano e prêmio Sakharov Guillermo Farinas. “Os quinze dias que passaste apoiando o Coco (apelido de Farinas) te vão repercutir. Atente para as conseqüências do que te possa acontecer”, assegura Soto ter ouvido de um oficial de segurança.
Juan Wilfredo Soto, de 46 anos, foi espancado na quinta-feira última por quatro agentes da Polícia castrista, segundo denunciou a dissidência cubana. Depois morreu num hospital. A versão oficial do regime foi de que se tratou de uma pancreatite, mas a oposição cubana crê que “o mataram”. Guillemo Fariñas indicou que Soto padecia de várias patologias como hipertensão arterial, insuficiência cardíaca, transtornos circulatórios e diabete. Soube, através dos médicos que o atenderam no hospital, que ele “teve uma descompensação e finalmente sofreu ‘uma parada cardíaca’”.
Para Elizardo Sánchez, presidente da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, “não há dúvida de que existe uma relação causa-efeito entre a sova que sofreu na quinta-feira e sua morte”, razão pela qual solicitou a abertura de uma investigação.
O enterro de Juan Wilfredo Soto também se converteu em um ato de reivindicação pela dissidência e se desenvolveu em ambiente “muito tenso”, embora sem incidentes.

Covil de bandidos.

Gente hipócrita!!!
Esta senhora deveria se curvar diante de Joaquim Barbosa e não destilar seu ódio contra quem não subverte o Poder Público.


“Não aguento mais receber pedidos da Dilma e do Gilberto Carvalho para fazer dossiês. (...) Eu quase fui preso como um dos aloprados.”

Palavras de Pedro Abramovay, secretário nacional de Justiça do governo federal no segundo mandato de Lula, em conversa com seu antecessor, Romeu Tuma Júnior, às vésperas da eleição de 2010, quando o poste ganhou do cagão do Serra.
*Geraldo Almendra, por e-mail, via Grupo resistência Democrática.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Continua a falácia do desarmamento.

Existem no nosso país mais hipócritas, farsantes, mentirosos e  levianos do que se poderia imaginar, principalmente esses agentes do fascismo petista que defendem o desarmamento das pessoas de bem.

No Brasil a campanha do desarmamento somente tem um objetivo: evitar uma reação quando os canalhas fascistas transformarem o país em uma Cuba Continental. O narcotráfico continua armado até os dentes pois o desgoverno é incompetente para desarmar o crime organizado.

O cidadão de bem tem dois inimigos: o desgoverno fascista que o quer desarmar e o bandido - maior cria da histórica degeneração moral o país e da falência da educação - que está em cada esquina de tocaia para lhe roubar ou assassinar.

Enquanto nos EUA os massacres, que não são sistemáticos, obedecem a uma lógica de exceções bem caracterizadas, no Brasil são massacrados diariamente mais de 150 pessoas em que o maior assassino é quem quer desarmar, o desgoverno
e seus corruptos de plantão que roubam bilhões todos os anos enquanto o oder público não cumpre suas mínimas obrigações sociais.

Enquanto isso milhões de idiotas e imbecis ficam se sensibilizando com a campanha de desarmamento tupiniquim paga pelo mais corrupto desgoverno de nossa história.
*Geraldo Almendra

Se tem sujeira, tem PT

PT DO RIO GRANDE DO SUL E GOVERNOS TARSO GENRO E DILMA ROUSSEFF JÁ RECEBEM O CORRUPTO E QUADRILHEIRO JOSÉ DIRCEU COMO "HERÓI DO POVO BRASILEIRO"
A meteórica passagem do subchefe do Mensalão do PT por Porto Alegre, no sábado, foi marcada por uma série de atos simbólicos que demonstram de que modo o PT, o governo Dilma e o governo do peremptório Tarso Genro passaram a comprometer-se com a organização criminosa que roubou dinheiro público para corromper eleitores e parlamentares, visando perpetuar-se no Poder. Sobre o apoio do partido – Apesar das restrições que mantinha até há pouco em relação ao quadrilheiro do Mensalão do PT, o presidente petista Raul Pont foi até a igreja da Pompéia para o beija-mão ao corrupto e quadrilheiro José Dirceu. Apoio do governo Tarso – O peremptório governador petista ainda não conseguiu superar suas diferenças com o subchefe do Mensalão do PT, mas enviou mensagem ao ato de uma das frações do PT, lideradas pelo deputado federal Paulo Ferreira. Apoio do governo Dilma Rousseff – O almoço de filé ao molho de camarão que o quadrilheiro do Mensalão do PT traçou na casa do ex-deputado Carlos Araújo, só tem importância porque o anfitrião é uma espécie de eminência parda do governo da ex-mulher, Dilma Rousseff. E a presença do prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, no almoço, é amplamente lastimável. Lá esteve representando os moradores da cidade, como se estes estivessem apoiando o quadrilheiro e corrupto José Dirceu.
*De: Varlei Disiuta

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Mais um do saco de gatos dos aloprados.


“Não aguento mais receber pedidos da Dilma e do Gilberto Carvalho para fazer dossiês. (...) Eu quase fui preso como um dos aloprados.”
Pedro Abramovay, secretário nacional de Justiça do governo federal no segundo mandato de Lula, em conversa com seu antecessor, Romeu Tuma Júnior, às vésperas da eleição de 2010, quando o poste ganhou do cagão do Serra.

Agora, Abramovay, o aloprado que não aguentou mais tanto pedido da Dilma e do Lula, não tendo mais o que fazer, resolveu ser mais um a aderir à causa petista contra o estado de direito botando mais lenha no fogo em artigo em sua coluna na Folha, reproduzido abaixo.

“O Supremo Tribunal Federal decidiu ontem, por 5 votos a 4, que os parlamentares condenados definitivamente no processo do mensalão perdem automaticamente seus mandatos. À Câmara caberá apenas cumprir a decisão. Com decisão de ontem a questão está encerrada?

Não. O julgamento acabou. Mas ainda pode haver recursos. O regimento do STF afirma que, em uma ação penal, se há 4 votos em favor do réu, ele tem direito a um novo julgamento. São os chamados embargos infringentes.

Assim, é possível que os deputados condenados entrem com este recurso para tentar reverter a decisão de ontem. Se isto ocorrer, a questão não será mais votada apenas pelos mesmos ministros que participaram até agora do processo. Tanto Teori Zavascki, indicado recentemente, quanto o ministro que vier a suceder Carlos Ayres Britto -que se aposentou no mês passado-, votarão.

Zavascki tem, inclusive, um artigo publicado -citado pelo ministro Lewandowski no julgamento- no qual defende que a decisão de cassar mandato é do Parlamento. O ministro Celso de Mello foi enfático ao dizer que, no equilíbrio entre os Poderes da República, cabe ao STF a palavra final. Mas pode ser que a palavra final ainda não tenha sido dada.”

Ah, sim. Esse aloprado é membro da editoria do site de debates Observador Político, patrocinado pelo Instituto Fernando Henrique Cardoso. É mole?
 
( Gracias la vida, por e-mail, via Grupo Resistência Demovrática)
A falta de limite entre o público e o privado ficou patente já nos primeiros acordes do governo do PT quando a estrela vermelha virou adorno dos jardins de Palácio da Alvorada, a fox terrier Michelle era transportada em carro oficial e 14 amigos dos filhos do então presidente Lula passavam duas semanas de férias em Brasília com direito a carona em avião da FAB, hospedagem no Alvorada, churrasco na Granja do Torto, tudo pago pela União.

De lá para cá ocorreram episódios bem mais graves de apropriação indevida da coisa pública, seja no campo da política partidária ou no terreno da ilegalidade comprovada.

Nada para o PT tem importância, todas as críticas a essa falta de cerimônia são vistas como manifestação de mesquinharia ou como evidências de conspiração.

Resultado: banalizaram-se os valores, derrubaram-se as divisas entre o certo e o errado, interditou-se o exercício do contraditório.

Ao PT, a Lula e companhia tudo passou a ser permitido porque ganham eleições e são vítimas de "preconceito". Intocáveis, não se sentem obrigados a respeitar coisa alguma nem a pensar antes de falar.

Ao ponto de um ministro, Gilberto Carvalho, deixar de lado a liturgia do cargo e convocar às ruas a militância, avisando que 2013 será um ano "brabo" durante o qual "o bicho vai pegar".

Pode-se alegar que o meio para a transmissão da mensagem foi o site do PT, agremiação de natureza particular. Mas a autoridade de um ministro é de Estado, delegada pela Presidência, sua voz tem abrangência, diz respeito a todo o País.

Nessa perspectiva, tal convocação em tom provocativo e de conteúdo intimidador é indevida e significa uma apropriação de prerrogativa pública para uso partidário.

Seria diferente se o ministro alertasse que o ano de 2013 será "brabo" tendo em vista o cenário difícil da economia. Mas, não, na visão dele, o "bicho vai pegar" devido às agruras de seu partido e à necessidade de preservar a mítica da figura de Lula.

Aflições que nem a todos brasileiros comovem e, portanto, não faz sentido que o ministro tome a parte pelo todo e confunda o Brasil com o PT.

É de se perguntar o que afinal de contas Gilberto Carvalho quis dizer com isso. Se ele fez uma ameaça, abusou do poder. Se o caso foi de pura bravata, perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado.

Cumpra-se. Na conclusão do processo do mensalão, o ministro Celso de Mello como sempre foi definitivo. Lembrou em seu voto decisivo sobre a perda de mandatos dos condenados que o monopólio da palavra final em matéria constitucional pertence ao Supremo Tribunal Federal.

Condição esta conferida pelo Congresso reunido em Assembleia Nacional Constituinte, nos anos de 1987 e 1988.

Portanto, não há crise em decorrência desse assunto. Se a Câmara quiser reagir, aguarde os embargos infringentes e aposte na alteração da composição da Corte quando do julgamento dos recursos que terá, então, mais dois ministros em condição de votar.

Qualquer atitude diferente é, para citar outra vez Celso de Mello, "politicamente equivocada e juridicamente inaceitável".

A conferir. Em princípio, Paulo Vieira, demitido da Agência Nacional de Águas por suspeita de chefiar um esquema de pareceres técnicos fraudulentos, fala com conhecimento de causa: "ANA é um dos maiores cabides de emprego e cargos comissionados do governo, um orçamento milionário, gasto com ONG, a maioria sem licitação".
O governo desqualifica, mas daria uma resposta mais qualificada se demonstrasse que Vieira, cuja indicação para a agência mereceu do Planalto a mobilização de mundos e fundos no Senado, mente.


Os bandidos estão tentando se reorganizar...

OS BANDIDOS ESTÃO TENTANDO SE REORGANIZAR NO SUBMUNDO FASCISTA DA “REPÚBLICA” DO PT.
No momento em que a presidente Dilma coloca a máquina pública para defender Lula, abre mão das responsabilidades maiores do seu cargo e, de maneira irresponsável e inconsequente, formaliza, perante a sociedade, que o poder público foi aparelhado e privatizado para defender os interesses do PT e de seu projeto fascista de poder perpétuo. O papel da gestão petista do poder público no desgoverno Dilma não está mais associado às responsabilidades constitucionais da presidência da República, mesmo que o país se apresente em condições sociais e econômicas caracterizadas pelas falências da educação, da cultura, da segurança pública, do saneamento e da infraestrutura econômica, o que está nos conduzindo para o caminho de uma grave crise econômica e social.
Que esses canalhas prestem atenção, pois mesmo com todas as humilhações impostas às nossas Forças Armadas, cometerão um erro fatal se acham que podem tomar o controle do país com um golpe fascista assassinando militares ou seus familiares, e colocando seus meliantes nas ruas depois que o STF condenou a gang que transformou o poder público em um covil de bandidos, e depois que esse brasileiro que dignifica nossa cidadania, chamado Joaquim Barbosa, decidir pela prisão imediata desses bandidos, corruptos e subornadores já condenados.
Que os prostitutos da política, os corruptos e os subornadores, entendam, também, que as bandas boas da Polícia Federal e das Polícias Civil e Militar – que são majoritárias – estão do lado de nossa pátria e de quem tem a responsabilidade maior de defender o país do fascismo genocida do PT, isto é, do lado das Forças Armadas e de todos os cidadãos honestos e dignos que estão pagando a conta da corrupção e do suborno sem controle no país.
O STF depois de confirmar a cassação imediata do mandato dos parlamentares condenados no julgamento do “Mensalão” precisa impor com sua autoridade constitucional a prisão imediata de todos os condenados que estão publicamente promovendo uma subversão política no país sob o comando daquele acusado como o verdadeiro chefe do “Mensalão”, agora com a cumplicidade da própria presidente da República.
Não há mais saída para o PT. O estado político-terminal do seu guru da corrupção e do suborno levará todos de roldão. Essa gente sórdida precisa pagar de forma exemplar por ter enganado milhões de brasileiros com seus estelionatos eleitorais e com o bilionário roubo dos contribuintes.
O escândalo Rose demonstrou - mesmo com todas as reticências da Polícia Federal e do Procurador Geral da República impostas pela presidência da República - para a sociedade, o verdadeiro e sórdido caráter do Retirante Pinóquio, um velhaco da política que prostituiu as relações públicas e privadas durante os desgovernos petistas. Esse traidor da nossa pátria já continua se apresentando, impunimente, como uma qualificada fraude política e uma fraude humana, que afirma de cara limpa, para uma plateia de idiotas e imbecis fora do Brasil, que introduziu 40 milhões de brasileiros na classe média.
O frontal desafio do presidente da Câmara ao STF com a cumplicidade do presidente do Senado que qualifica um bandido como “patrimônio nacional”, desafio esse devidamente respondido pelo Ministro Celso de Melo, é apenas a ponta do iceberg da agitação que os subversivos do PT começam a promover para livrar a cara do verdadeiro chefe do mensalão, que está sendo vergonhosamente desmascarado com a divulgação de sucessivos escândalos que têm sua participação direta e indireta.
Um ex-presidente que passou alguns anos usando seu cargo para desfrutar em suas viagens presidenciais da companhia de uma amante – qualificada funcionária da presidência da República – já indiciada em vários crimes, não merece mais qualquer respeito da sociedade e precisa ser duramente punido pelos seus gravíssimos desvios de conduta legal, moral e ética.
O último desafio-provocação dos subversivos foi feito pelo Secretário Geral da Presidência da República declarando que o “bicho vai pegar” uma inconsequente e irresponsável convocação indireta para que os meliantes militantes do PT saiam às ruas para defender os bandidos da corrupção e do suborno condenados no julgamento do “Mensalão”, principalmente, o verdadeiro chefe da gang que está na fronteira de tornar-se réu de um julgamento por corrupção ativa, corrupção passiva, formação de quadrilha e peculato, entre outros crimes. Ele deverá ser o recordista de processos aplicados pela Justiça aos canalhas que estão destruindo o país.
A presidente Dilma, se não mostrar sua responsabilidade de chefe da Nação, mas sim como meliante a serviço do PT, estará validando o início de confrontos no país que poderão resultar no início de uma guerra civil que será prontamente rechaçada pelas Forças Armadas, que não terão outra saída senão a destituição do atual desgoverno, promovendo uma nova intervenção militar no país para nos livrar de um genocídio provocado pelos fascistas a serviço do PT e da transformação do país em um corruptocracia fascista.
É importante que esses canalhas entendam que apenas pouco comandantes corrompidos e subornados pelo PT não serão suficientes para estancar uma revolta nas casernas que estão apodrecendo na penúria provocada pelos desgovernos petistas. Somente uma minoria de comandantes se acovardou e se tornaram cúmplices das gangs que controlam o poder público, existindo ainda uma significativa parcela das Forças Armadas dispostas a repetir 1964 – sem incompetências – para recuperar o poder público transformado em um Covil de Bandidos pelo projeto de poder perpétuo do PT.
O desgoverno Dilma ao bancar uma afronta ao poder legal do STF e aos escandalosos fatos e denúncias que comprometem criminalmente seu padrinho, estará levando o país a uma desordem jurídica que somente poderá ser controlada com sua própria destituição.
Como diz um idiota e imbecil defensor do Retirante Pinóquio “o bicho vai pegar”.
*Geraldo Almendra, por e-mail, via Grupo rRsistêcia Democrática

Os muçulmanos não estão felizes.


· Eles não estão felizes em Gaza.
· Eles não estão felizes na Cisjordânia.
· Eles não estão felizes em Jerusalém ..
· Eles não estão felizes em Israel.
· Eles não estão felizes no Egito.
· Eles não estão felizes na Líbia.
· Eles não estão felizes na Argélia.
· Eles não estão felizes em Tunis ...
· Eles não estão felizes em Marrocos.
· Eles não estão felizes no Iêmen.
· Eles não estão felizes no Iraque.
· Eles não estão felizes no Afeganistão.
· Eles não estão felizes na Síria.
· Eles não estão felizes no Líbano.
· Eles não estão felizes no Sudão.
· Eles não estão felizes na Jordânia ...
· Eles não estão felizes no Irã.
Onde os muçulmanos estão felizes?
Eles estão felizes na Inglaterra.
Eles estão felizes na França.
Eles estão felizes na Itália.
Eles estão felizes na Alemanha.
Eles estão felizes na Suécia.
Eles estão felizes na Holanda.
Eles estão felizes na Dinamarca.
Eles estão felizes na Bélgica.
Eles estão felizes na Noruega.
Eles estão felizes em U.S.A.
Eles estão felizes no Canadá.

Eles estão felizes na Romenia.
Eles estão felizes na Hungria.
Eles estão felizes na Austrália.
Eles estão felizes na Nova Zelândia.
Eles estão felizes em qualquer outro país no mundo que não está sob um governo muçulmano.
E quem eles culpam?
· Não o Islam.
· Não a liderança deles.
· Não a si mesmos.
Culpam os países onde estão vivendo livremente e bem.
Isso é tão verdadeiro ... A democracia é realmente boa para eles:
Em uma democracia que eles podem viver confortavelmente, aproveitar a alta qualidade de vida que eles não construíram e nem trabalharam para ter. Podem manter seus costumes, desobedecem às leis, exploram os serviços sociais, fazem paródias de nossa política e de nossos tribunais. Geralmente, mordem a mão que os alimenta.
A questão é contraditória, paradoxal ! Eles tentam trazer seu sistema de vida falido e querem transformar os países que os acolheram no país que abandonaram em busca de uma vida melhor ....?
Dá para entender???????????

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O perigo que ameaça e democracia.

As ameaças descaradas de cunho sociopolítico criminoso emitidas pelo 'porta voz' da quadrilha são claras.
O fato é que a ameaça neopopulista na America Latina, de viés comunista – se configura em lideranças gestadas a partir da Ilha Cárcere – de viés messiânico, suprainstitucional e com uma articulação de massas em corporações ou‘movimentos’, organizados a partir do Estado, subtraem a representação parlamentar, sustentam-se com verba pública e obrama serviço da “causa” (deles); organizam (“constroem”) e estimulam conflitos, simulam lutar contra‘conspirações’; se erigem em defensores dos direitos humanos, da justiça ‘social’, da igualdade, ou seja, do povo ameaçado, e em seu nome cerceiam as liberdades para combater o suposto mal criado (por eles mesmos).
Os objetivos, primeiro, como é natural entre eles, são os meios de comunicação, o instrumento que Mariano Grondona, jornalista argentino chama de“hipnocracia”, onde a mensagens se repetem e dominam, dominam e reiteram, eliminando a pluralidade democrática com o discurso/pensamento único e inconstestável; segundo – o domínio total, ou seja, o totalitarismo.
*Rivadávia Rosa, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O golpe de uma esquerda fascista e vingativa.

JÁ ESTAMOS PRESENCIANDO O GOLPE DE UMA ESQUERDA FASCISTA E VINGATIVA
Os seguintes fatos obrigam os comandantes das Forças Armadas que se recusam a serem lacaios de comunistas, a se unirem aos civis honestos, honrados, dignos e patriotas de todas as classes sociais, para não permitirem a transformação do Brasil em uma corruptocracia fascista:
- o assassinato de um combatente do Regime Militar, o primeiro dos que ainda poderão acontecer;
- com a cada vez mais violenta perseguição às Forças Armadas pela Comissão da Mentira;
- com as cada vez maiores e explícitas ameaças aos oficiais da reserva no próprio local de suas residências e de suas famílias;
- com a intencional e criminosa desqualificação moral e operacional das Forças Armadas pela esquerda fascista perante a sociedade;
- com a blindagem pela presidente da República do mais sórdido político do país que fez milhões de eleitores palhaços dos seus estelionatos eleitorais e do seu circo do assistencialismo comprador de votos;
- com a degeneração sem controle das relações públicas e privadas;
- com o agressivo incentivo oficial ao homossexualismo de crianças e adolescentes;
- com a falência do Sistema de Saúde;
- com a morte de mais de 150 pessoas por dia por força do não cumprimento por parte do poder público de suas mais elementares obrigações;
- com a falência da educação básica e a progressiva desorganização do ensino superior público no país pelas cotas racistas e destruidoras do mérito acadêmico;
- com a intervenção branca dentro das famílias que estão perdendo o direito de educar seus próprios filhos;
- com o público desafio feito ao STF pelo presidente da Câmara dos Deputados;
- com togados lacaios do PT assumindo o papel de advogados de defesa dos bandidos da corrupção e do suborno dentro do STF;
- com togados do STF sendo pressionados a mudarem seus votos pelo submundo da Justiça controlado pelos canalhas da corrupção e do suborno;
- com a proibição da divulgação das comunicações entre Lula e sua namorada Rose;
- com as limitações às investigações da Polícia Federal de outros muitos crimes de suborno e corrupção, limitações impostas por hierarquias subordinadas aos lacaios do PT e à presidência da República;
- com o medo já demonstrado pelo Procurador Geral da República de denunciar o maior responsável pela transformação do poder público em um Covil de Bandidos apesar das evidências e provas de que dispõe;
- pelo covarde e vergonhoso “segredo de justiça” de investigações que envolvem o ex-presidente Lula;
- com a já prevista falência da economia do país;
- com o cerceamento dos meios de comunicação, cada vez mais evidente, e com a falência da segurança pública que grassa em todo o país, não há mais como não reagir ao patente golpe da esquerda fascista que toma sua forma final durante a gestão da presidente Dilma;
Apesar da condenação da gang do Mensalão – que dificilmente serão presos – a Justiça do país, com a descoberta do caso “Rose”, cuja investigação poderia trazer à tona, definitivamente, os crimes associados ao ex-presidente Lula, e a verdade que está por detrás do projeto de poder do PT, está sendo vergonhosamente bloqueada para que, apesar das denúncias e evidências, não coloque no banco dos réus o verdadeiro chefe do mensalão, denunciado com provas e evidências por um condenado e que já estão em poder da Justiça, que se recusa a reconhecer sua relevância mantendo-se acovardada e omissa diante de suas obrigações com a sociedade.
Esperar agora, por novos fatos, diante de um quadro evidente de golpe, significa capitular, entregando sem resistência o país ao comando definitivo da esquerda fascista formada pelos integrantes do PT e seus meliantes espalhados pelo país.
Estamos na fronteira de sermos transformados em um “novo” país: uma Cuba Continental fascista.
*Geraldo Almendra

domingo, 16 de dezembro de 2012

Lula, o símbolo da maior fraude política da história do país.


O que está em jogo com a “descoberta pública” do verdadeiro caráter do Retirante Pinóquio é o projeto de poder do PT que, se a Justiça Eleitoral cumprisse o seu papel legal, já estaria formalmente denunciado e perdido seu registro, sabendo-se que o STE já tem tudo o que necessário para tomar esta compulsória providência moral perante milhões de eleitorais vítimas de estelionatos eleitorais. A preocupação maior do desgoverno Dilma não é mais o correto exercício de seu cargo, mas sim ordenar que os poderes da República tentem, a qualquer custo, blindar Lula.
Escrever sobre os escândalos denunciados durante os desgovernos de Lula e, mais recentemente, entre outros que estão para explodir no seu colo, seu relacionamento formal, informal e amoroso com a sua ex-secretária que tomava conta do escritório da Presidência da República em SP, passa a ser redundante, diante de tantas descaradas evidências que podem provar seus inúmeros desvios de conduta pessoal, política e legal. A única novidade é que o denunciado como chefe maior das gangs da corrupção e do suborno que controlam ainda o poder público continua solto e zombando de todos, sendo descaradamente blindado pela presidente Dilma.
Esse escritório, o da Rose, autodenominada como namorada de Lula, agora é evidente, foi usado como local onde o Retirante Pinóquio exercia seu terceiro mandato comandando o submundo do desgoverno Dilma, a quem orientava como conduzir o país nas questões que considerava estratégicas para seu projeto de poder junto com o PT: transformar o país em uma corruptocracia fascista aguardando 2014 para o golpe final.
É importante frisar que a Procuradoria Geral da República, assim como a Polícia Federal, conforme amplamente noticiado, já têm tudo o que é juridicamente necessário para que Lula seja denunciado, investigado, julgado e preso. Se não o fazem é porque os telhados de vidro de quem tem obrigações legais, morais e éticas a cumprir com os contribuintes são muito maiores do que estamos pensando.
O problema agora não é mais discutir se Lula é honesto ou não, porque efetivamente ele não é.
Com certeza é de sua total responsabilidade a transformação do poder público em um Covil de Bandidos durante suas duas gestões, missão dada às suas gangs da corrupção e do suborno, diga-se de passagem, com a cumplicidade omissa da presidente Dilma - considerando sua estreita ligação com Lula e pelo cargo que ocupava como “chefe” da Casa Civil. Depois, como apadrinhada de Lula, foi feita presidente por ele em um estelionato eleitoral digno de um prêmio Nobel da sacanagem política.
Perante o mundo não é somente nossa economia que dá sinais evidentes de sintomas de falência.
Os podres poderes da República foram rigorosamente loteados para o PT e para sua base aliada, tendo como resultado o apodrecimento do poder público mais corrupto de nossa história e o seu quase total controle por gangs da corrupção e do suborno.
Se Lula não for indiciado e investigado, o poder Judiciário será considerado pela opinião pública mundial, um poder de nossa República protetor de Lula e claramente cúmplice da degeneração moral das relações públicas e privadas, um cenário social-jurídico que começa a afastar rapidamente investidores do país pela insegurança jurídica e pela total exposição a situações de corrupção e suborno explícitos para poderem desempenhar suas atividades empresariais.
Diante das evidentes hesitações da Procuradoria Geral da República e da Polícia Federal em colocar o denunciado verdadeiro chefe do mensalão nos holofotes da sociedade como investigado, esperamos que, agora, os bois de piranha escolhidos por essa fraude de ser humano e política para serem condenados enquanto ele continua livre, leve e solto, entreguem suas provas contra Lula e seus asseclas para a mídia não comprometida com esse desgoverno espúrio.
Esperamos que Marcos, Rose e Carlinhos não aceitem serem os maiores sacrificados - serem queimados na fogueira da impunidade de Lula e companhia - no lugar daqueles que os contrataram para fazer o serviço podre de destruição moral e legal do nosso país.
*Geraldo Almendra, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática