quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Venina Velosa, por ser honesta, foi DEMITIDA da PETROBRAS.

A geóloga Venina Velosa da Fonseca, ex-gerente da Petrobrás, por ter revelado que a presidente da estatal, Graça Foster sabia e acompanhava todos os lances da Organização Criminosa gerada pelo aparelhamento do PT - e, obviamente, por extensão, a senhora Dilma Roussef - está sob proteção da Polícia Federal – que seja aquela ala da Polícia Federal hoje a serviço do juiz federal Sérgio Moro.
Acima,os emails enviados por Venina à dona Graça Foster que provam que a presidente da empresa fora avisada e nada fez, muito pelo contrário, PUNIU a gerente, inicialmente com sua ex-patriação para Cingapura, e posteriormente com DEMISSÃO.É assim que o PT trata quem é honesto.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Justiça aceita denúncia contra executivos da Camargo Correa e irmão de ex-ministro.

Com a nova ação penal, 
já são 36 os réus relacionados a empreiteiras suspeitos de atuar no megaesquema de corrupção e lavagem de dinheiro que envolve a Petrobras.


Por Laryssa Borges, de Brasília

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o ministro do STF, Luiz Fux, são homenageados pelo Ministério Público Estadual do Paraná, através de seu procurador-geral, Gilberto Giacoia. Janot não quis comentar a apresentação das denúncias da operação Lava Jato. Fux, ao contrário, comentou sobre a operação que investiga o escândalo dos contratos da Petrobras - Juca Varella/Folhapress 

O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na Primeira Instância, aceitou denúncia nesta terça-feira contra executivos da construtora Camargo Correa, incluindo o presidente da companhia, Dalton Avancini, e contra Adarico Negromonte, irmão do ex-ministro das Cidades Mario Negromonte. O doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa também são acusados nesta ação, mas já são réus em outras ações penais. 


Com a nova ação penal, já são 36 os réus relacionados a empreiteiras suspeitos de atuar no megaesquema de corrupção e lavagem de dinheiro que envolve a Petrobras. Além da Camargo Correa, respondem a ações penais por participação no propinoduto dirigentes das empreiteiras UTC, Mendes Júnior,Galvão Engenhariada OAS e da Engevix



Funcionários e a alta cúpula da Galvão Engenharia, OAS e Engevix, que ao lado das outras empreiteiras são acusadas de formar um cartel para fraudar licitações e controlar as maiores obras de infraestrutura do país, também já haviam passado à condição de réus, situação na qual a Justiça considera haver indícios suficientes para a abertura de ação penal. Os próximos passos serão as oitivas de testemunhas de defesa e de acusação, previamente agendadas para fevereiro de 2015. 



De acordo com as investigações feitas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, o cartel de empreiteiras incluía OAS, Odebrecht, UTC, Camargo Correa, Techint, Andrade Gutierrez, Mendes Júnior, Promon, MPE, Skanska, Queiroz Galvão, IESA, Engevix, Setal, GDK e Galvão Engenharia e teria atuado de 2006 a 2014 nas maiores obras do país, como a construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). “As empreiteiras, reunidas em algo que denominavam de ‘Clube’, ajustavam previamente entre si qual delas iria sagrar-se vencedora das licitações da Petrobras, manipulando os preços apresentados no certame, com o que tinham condições de, sem concorrência real, serem contratadas pelo maior preço possível admitido pela Petrobras”, relatou o juiz em sua decisão. 



Para garantir que pudessem monopolizar as grandes obras de infraestrutura, a Camargo Correa e as demais empreiteiras destinavam uma percentagem de cada contrato com a Petrobras para o pagamento de propina. Segundo os investigadores, os dirigentes da Camargo Correa teriam destinado pelo menos 1% sobre o valor dos contratos e aditivos à Diretoria de Abastecimento da Petrobras, então comandada por Paulo Roberto Costa. “Em relação aos agentes da Camargo Correa, há diversas razões especificadas na denúncia para a imputação, como o depoimentos dos colaboradores, o envolvimento deles na celebração dos contratos fraudulentos, o fato de figurarem em comunicações eletrônicas com o grupo dirigido por Alberto Youssef ou o próprio resultado da busca e apreensão”, resume o juiz. 



Na Camargo Correa, o presidente da empreiteira Dalton Avancini ainda assinou os contratos das obras nas quais as fraudes foram constatadas, além de ter celebrado contrato fraudulento com a empresa de Paulo Roberto Costa, a Costa Global, para dissimular o pagamento de propina. 

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Os incautos que formam a esquerda brasileira teme a verdade de Bolsonaro. São uns "cagões"!

A máfia não perdoa e Alberto Youssef que se cuide. Ele é um dos MAIS odiados pelos mafiosos e, possivelmente, não gozará os benefícios da delação premiada. 
A máfia gosta mesmo é  de indivíduos como  “ Renato Duque, o corrupto da Petrobras” que, mesmo citado em diversos depoimentos dos delatores, como o principal recebedor de propina, do dinheiro roubado, ficou quieto, negou todas acusações e em pouco tempo, foi resgatado. 
Hoje, leve e solto como alguns dos bandidos do mensalão, deve está rindo do povo e gozando da cara do Juiz Fernando Moro.

A provocação tem objetivo

Enquanto isso, o Deputado Jair Bolsonaro foi um dos mais votados na ultima eleição. Obteve mais de um milhão de votos e, entusiasmado, afirmou que pretendia se candidatar a presidente da republica.  Sabendo que ele tem o apoio da maioria dos militares fardados e da reserva. Tem o apoio das polícias estaduais e de uma enorme parcela da população brasileira. Ai o medo bateu à porta da máfia e ela não pode correr riscos. Eliminar obstáculo por obstáculo é a forma mais ousada dos corruptos e marginais de alta periculosidade. 
Tomando como base essas declarações, abaixo, proferidas pelo homem que tem coragem de enfrentar a bandidagem do país, o Congresso Nacional, possivelmente, deverá ser usado para tentar cassá-lo e, com isso, afastar o perigo iminente.

 Vejam o que aconteceu:

Segundo a imprensa. o deputado ao começar a falar, a deputada Maria do Rosário levantou-se a fim de ausentar-se do Plenário. Irritado Bolsonaro disse: “Não saia, não, Maria do Rosário, fique aí. Fique aí, Maria do Rosário. Há poucos dias você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que eu não estuprava você, porque você não merece. Fique aqui para ouvir — disse Bolsonaro. E continuando, afirmou: a Maria do Rosário saiu daqui agora correndo. Por que não falou da sua chefe, Dilma Rousseff, cujo primeiro marido sequestrou um avião e foi pra Cuba, participou da execução do major alemão? O segundo marido confessou publicamente que expropriava bancos, roubava bancos, pegava armas em quarteis e assaltava caminhões de carga na Baixada Fluminense. Por que não fala isso? Mentirosa, deslavada e covarde. Eu a ouvi falando aqui as asneiras dela. E fiquei aqui”.

Os termos são fortes, contudo, se eles cassarem Bolsonaro, outros Bolsonaros virão. Pois, no dia a dia o ectoplasma está se fortalecendo e é bem possível,  pelo que se lê e se ouve na imprensa,  que muito em breve ele tomará corpo.


Comissão da Farsa - Ignorar crimes das esquerdas é um erro, diz representante da Human Rights Watch.

Leitores, acabei ficando preso no Rio em razão de contratempos . Depois falo da maravilha que foi o lançamento de “Objeções de um Rottweiler Amoroso” na Livraria da Travessa. Escrevo no celular. Vamos lá.
Afirmei neste blog que é um absurdo a Comissão da Verdade ignorar os crimes das esquerdas. Os idiotas, como sempre, reagiram com idiotices. Agora, quem diz isso é uma das vozes mais respeitadas do mundo em defesa dos direitos humanos em entrevista à Folha. Tratarei do assunto nos Pingos nos Is. 
Leiam trecho. Volto depois.
*
O diagnóstico é contundente: o chileno José Miguel Vivanco, 53, diretor-executivo da divisão Américas da ONG Human Rights Watch, diz que o Brasil está atrasado e precisa de coragem para julgar os acusados, de ambos os lados, de crimes durante a ditadura militar (1964-1985).
Diz sobre a decisão de ignorar os crimes das esquerdas: “Foi um erro. Não pode haver dois pesos e duas medidas. Se houve abusos cometidos por grupos armados irregulares, isso deve constar de um informe dessa natureza. E também haveria servido para mostrar a magnitude dos abusos cometidos pelo Estado e a magnitude dos abusos dos grupos armados.”
*
Voltei
Não. Não concordo com Vivanco em tudo. Ele acha que a Lei da Anistia pode ser revista para ambos os lados, e eu, para nenhum. Demonstrarei que o Brasil está mais pacificado do que os países que ele usa como exemplo. Vou deixar claro que ele ignora o caso da África do Sul. Mas, no essencial, concordamos: direitos humanos não têm marca ideológica.
E agora? Chamarão Vivanco de “direitista” e agente da ditadura?
*Por Reinaldo Azevedo

Lula tem que ser indiciado.

Entre as denúncias que Marcos Valério fez ao Ministério Público está o pagamento que o PT e Lula fizeram ao chantagista Ronan Maria Pinto, que com a grana hoje é dono do Diário do Grande ABC. Na época a denúncia foi rechaçada pelo próprio Ronan. Mas nos mandados de busca da Operação Lava Jato, a PF descobriu no escritório da contadora do doleiro Alberto Youssef, Mary Pozza, o comprovante da transferência de R$ 6 milhões de uma empresa de Marcos Valério para uma empresa do chantagista.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

De novo atrasada, CGU anuncia ação contra compra de Pasadena.

Jorge Hage faz caras e bocas de seriedade, mas sua CGU só atua a reboque dos fatos, e apenas nove meses depois, vai agir contra o superfaturamento de Pasadena, e logo quando está "caindo fora" com confortável aposentadoria.
Nove meses depois da deflagração da Operação Lava Jato e pelo menos um ano e meio após as primeiras denúncias da compra superfaturada da refinaria de Pasadena (Texas), nos Estados Unidos, o ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), Jorge Hage, afirmou que a Controladoria “vai processar os responsáveis” na Petrobras. O ministro revelou ao programa Fantástio que o relatório concluído pela CGU na semana passada confirmou o que todos já sabiam: houve prejuízo para a estatal e para o País na transação.
Criada para prevenir a corrupção, daí sua denominação, a Controladoria-Geral da União (CGU), comandada pelo velho militante petista Jorge Hage, somente toma providência a reboque de denúncias já tornadas públicas e objeto de investigações na Justiça, no Ministério Público Fedferal e na Polícia Federal. No caso da Lava Jato, a CGU permaneceu à margem durante meses, enquanto se seguiam as espantosas revelações sobre o maior escândalo de ladroagem da História.
“O relatório está concluído, foi concluído essa semana, a Petrobras já se manifestou sobre ele. Infelizmente não podemos aceitar a maioria das justificativas, estamos confirmando que houve prejuízo e estamos abrindo os processos contra os responsáveis”, afirmou Hage ao Fantástico.
A conclusão da Controladoria é diferente da revelada pela CPMI da Petrobras no Congresso, que em relatório final divulgado na semana passada, afirmou que mesmo que tenha ocorrido pagamento de propina na compra da refinaria de Pasadena, tal compra ocorreu dentro dos parâmetros do mercado.
O ministro afirmou que o Brasil pode baixar os níveis de corrupção e ressaltou que a impunidade no País “começou a acabar”. “A corrupção causa males em todos os níveis e em todos os tamanhos. Não importa que ela seja de bilhões ou que ela seja alguns milhares lá na ponta, em uma prefeitura onde nós costumamos fiscalizar”, disse Hage. O ministro pediu demissão da CGU e deve deixar o cargo no dia 31 de dezembro.
* Com  Spit - balaios [Grupo Resistencia Democrática]

Preocupado em escapar do Petrolão, Lula volta a falar uma porção de bobagens.

O ex-presidente, palestrante e ator Lula da Silva voltou ao picadeiro e com aquela mesma conversa de que  a elite não aceita o PT porque o partido cometeu o "crime" de melhorar a vida da *população e, na oportunidade, conclamou a tropa de choque  a sair da defensiva e  ir a luta para ajudar  a presidente Dilma Rousseff, que, na sua avaliação, enfrenta uma tentativa de golpe. Na abertura da segunda etapa do 5º Congresso do PT, em Brasília, Lula disse que o partido é a "bola da vez", previu tempos difíceis pela frente e afirmou que ninguém deve pensar agora na eleição de 2018. Deve está com medo. 
Lula criticou a elite e os meios de comunicação e pediu aos petistas que não aceitem a pecha de corruptos. "Agora, a bola da vez somos nós", disse, ao falar sobre o escândalo da Petrobras. Para ele, a imprensa já condenou o PT, seja qual for o resultado da Operação Lava Jato.
Das duas uma: ou Lula é doido o se faz, porque não é possível! Que  diante de tantas provas de corrupção, roubo e falta de vergonha, ele ainda venha a público para dizer tantos disparates. Na verdade, em um país sério ou em um país onde o povo tivesse  “sangue no olho”, esse cidadão, se é que devemos chama-lo assim, já estaria a muito tempo na cadeia ou na calada da noite, fugido para Cuba.
Será que tudo que o Ministério Público vem revelando é mentira? Será que passado o Mensalão e agora, o vergonhoso Petrolão, Lula Dilma e Cia, são inocentes? Se forem, a incompetência é tanta que se deixá-los continuar a frente do país, brevemente, teremos  o espirito de RUI BARBOSA tomando um corpo qualquer e gritando como um louco:  eu avisei que, “de tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”.
*População para Ele deve ser: as empreiteiras; Paulo Roberto, vulgo, Paulinho da Petrobras; o doleiro Alberto Youssef e mais um bando de políticos corruptos que se vende e guarda para  si, o dinheiro do contribuinte nos paraísos fiscais.  
AQUIETA-TE  LULA! NINGUÉM É INFALÍVEL  E A MENTIRA TEM PERNAS CURTAS. BREVEMENTE,  VÃO CHEGAR ATÉ VOCÊ.

domingo, 14 de dezembro de 2014

O que a tal "comissão da verdade" deseja é uma ditadura cubana...

Enquanto isso, no modelo pretendido pelos “democratas” treinados e financiados por Cuba, que dizem que “lutaram” pela democracia no Brasil:
- 56.212 fuzilados no "paredón";
- 1.163 assassinados extrajudicialmente;
- 1.081 presos políticos mortos no cárcere por maus tratos, falta de assistência médica ou causas naturais; 
- 77.824 mortos ou desaparecidos em tentativas de fuga pelo mar.
Total: 136.288 cubanos mortos pela ditadura de Fidel Castro.

SAIBA MUITO MAIS: in “O democrata Fidel e os Direitos Humanos”.
http://www.conteudo.com.br/…/o-democrata-fidel-e-os-direi…/… cubana
http://www.fiu.edu/~fcf/polpr.html (lista de prisioneiros políticos)
Ainda, na atualidade: Detenidos activistas en Cuba en el Día de los Derechos Humanos

Inquietações...

Já tinha batido super mal em meus ouvidos essa história dos promotores do Paraná descreverem como “vítima” essa Petrobras que se deixa gostosamente roubar na denuncia oferecida ontem contra 36 envolvidos na roubalheira do século. Essa Petrobras que deixa-se roubar mas é implacável com todos quantos traem a “omerttá” que se exige dos “da casa” e ousam denunciar de dentro essa bandalheira, como foi o caso dessa Venina Velosa da Fonseca, demitida em 19 de novembro, agora, que está hoje no Valor mostrando farta documentação que prova que todo mundo foi avisado na atual diretoria blindada por dona Dilma desde pelo menos 2008, não só das falcatruas já conhecidas graças à Lava Jato mas também de outras que ela teve oportunidade de descobrir no exílio que pagou em Cingapura por ter insistido candidamente em pedir providências contra a ladroagem a Sérgio Gabrielli, Graça Foster e, finalmente, o fresquíssimo Jose Carlos Cosenza, substituto de Paulo Roberto Costa.
A história dela é de longe a mais arrasadora publicada até agora pois dá provas de como os criminosos não apenas perseveraram no crime como desdobraram-se em mais e mais manobras para seguir praticando-os enquanto a polícia corria atrás deles, o Ministério Público estava enfiado dentro da empresa e o país “se convulsionava”, para usarmos a expressão do Procurador Geral, Rodrigo Janot, com o que lhe ia sendo dado a conhecer.
Para a denunciante, abordagens na rua, à noite, "arma na cabeça", ameaças à sua vida e às de suas filhas...
Não ha limites para essa gente e nada autoriza ilusões quanto a que tipo de afronta às instituições e ao próprio regime eles serão capazes de recorrer para continuar eternamente em condições de se lambuzar.

Daí o grau de alarme que me sobe ao constatar que todos os vícios e mentiras fundamentais do “sistema” que roubou o futuro à minha geração aparecem reafirmados, de alguma forma, neste que tantos querem que venha a ser o ataque que finalmente lhe quebrará as pernas.
Estão lá, indisfarçavelmente presentes, não só no que vem das autoridades judiciárias envolvidas mas também no modo como a imprensa descreve o que se tem passado, um ranço primitivo de “luta de classes” no tratamento inversamente “privilegiado” dispensado aos empreiteiros ladrões face aos políticos e funcionários ladrões ainda que estejam todos democraticamente irmanados no mesmíssimo crime; está lá a intocabilidade dos amigos do rei transfigurada no absoluto silêncio em relação aos políticos de cujos proventos os empreiteiros faturam meras comissões; está lá o privilégio dos amigos dos amigos do rei na persistente blindagem dos funcionários envolvidos, exceção feita aos “traidores” que denunciam a roubalheira que, estes sim, são execrados.

Resume todos esses maus sinais a severidade dos juízes e procuradores autorizados a lidar com a “gentalha” aqui de fora do Estado posta ao lado do silêncio obsequioso, só interrompido por ordens de soltura e proibições de acesso aos fatos, dos juízes encarregados de julgar e acusar as “excelências”, ou seja, os pau-mandantes sem o comando dos quais rigorosamente nada desse monumento ao escracho poderia sequer sonhar com instalar-se no seio da República e em todas as intersecções dela com o dinheiro grosso.
E tudo isso apesar de já nem os “da casa” merecerem o perdão dos ladrões pois há ramos da quadrilha situados nas mais altas instâncias do partido no poder especializados em roubar a poupança dos funcionários aposentados depositadas em fundos de pensão, em golpear empregados do Estado cooperados para comprar casa própria e até, em tungar antigos “sem-terra” contemplados com lotes que hoje estão no meio de áreas valorizadas.
Tudo isso o país e sua imprensa tragam, não direi já sem o escândalo que seria de esperar, mas sem sequer identificar tais “nuances” claramente como o que são, o que autoriza os criminosos a negar o crime diante da prova do crime ou até, a apresentar a prova do seu próprio crime como uma espécie de álibi, como se estivéssemos vivendo um sonho sem sentido.
a10
Sim, ok, dizem que a coisa virá por etapas sucessivas e que chegará a vez das matrizes depois da execração pública e das condenações das filiais, e eu acredito mesmo que entre os supostos paladinos do MP haja paladinos de fato. Mas a persistência desse “respeito” a essa hierarquia dos bandalhos não me desce pela garganta sem engasgar.
Não é tanto a defesa intransigente dos diretores que se deixaram roubar porque isso é bandido segurando as pontas de bandido. Mas é o condenado que continua sendo “excelência” até durante as seções de acusação e a leitura da sentença; é essa rigorosa “ordem na fila” dos bandidos segundo a sua “estirpe”, como nos tempos do feudalismo, que me dizem que os poucos meses de prisão para os zés dirceus e genoínos contra os 40 anos dos marcos valérios podem não ser a última bofetada na cara dos brasileiros que ganham o pão com o suor do seu rosto.
Queira deus, mesmo não sendo brasileiro como já provou que não é, que desta vez eu esteja errado!

*Via Vespeiro

sábado, 13 de dezembro de 2014

Esta é a "democracia" que os petistas e Dilma querem para o Brasil.


Ao ver e ouvir um petista falar em controle ou "regulação" da mídia e das redes sociais, saibam que nada mais é do que o objetivo tão sonhado pelos petistas: estabelecer uma ditadura comunista no Brasil começando pela censura e concluindo pela prisão e/ou morte daqueles que defendem a liberdade e a democracia.
Os petistas tem se mostrado políticos e gestores incapazes e, em um número cada vez infindável, oportunistas, exploradores do erário, da fé do povo incauto e/ou ignorante, e muitos, comprovadamente, corruptos.