sexta-feira, 30 de novembro de 2012

PT, PCC e FARC

Os fatos abaixo elencados podem ser conferidos nos sites abaixo copiados e seus respectivos links (com exceção do item 5). Tudo isto é impressionante - e preocupante !
1. O conhecido Juiz Federal Odilon de Oliveira, do MT, afirma que o PCC vai investir no terrorismo para expandir seus domínios com o tráfico de drogas e armas, em razão do declínio da FARC.
2. Segundo o juiz, o PCC atua com os narcoterroristas das FARC e do EPP do Paraguai, contando, para isso, com mais de 400 "ex-guerrilheiros", ora asilados no Brasil, como tal recebidos pelo Brasil durante o Governo Lula.
3. Inclusive a esposa de um dos maiores líderes das FARC, Olivério Medina, trabalha no Ministério da Pesca, ligado a Casa Civil do Governo, para onde foi transferida durante a gestão da então Chefe da Casa Civil Dilma Roussef.
4. Como consta do artigo abaixo, de Reinaldo Azevedo, - "Nos computadores de Raúl Reyes, o terrorista morto pelos soldados colombianos, foi encontrada uma mensagem de Olivério Medina em que ele dizia poder contar com o apoio da “cúpula do governo” brasileiro, em particular com o ministro Celso Amorim."
5. Na CPI dos Correios, um dos assessores de Palocci contou ter ido em avião particular buscar uma caixa com dólares remetida pela FARC para financiamento da eleição do Lula, em 2.003, se não me engano contendo cerca de 3,5 milhões de US$.
6. Os ataques ora cometidos pelas organizações criminosas contra os policiais e a população civil, só estão acontecendo nos estados dirigidos por políticos da oposição, ou seja, SP, MG e SC !
7. Ao mesmo tempo que se tenta instalar o terror nesses estados,Dias Toffoli, o Ministro do STF, ex-advogado de José Dirceu e do PT, lança no julgamento do Mensalão a tese de que somente os " crimes de sangue" devem ser punidos com cadeia, aplicando-se aos casos de desvio de dinheiro público a imposição de multas pecuniárias...
8. Outras autoridades do governo federal já estão pleiteando mudanças na legislação prisional, com suposta finalidade de diminuir a população carcerária.
9. Que todos fiquem alertas, pois possivelmente o governo irá indultar os cumpanheros Zé Dirceu e Genoino ou então prolatar alguma medida alterando a legislação prisional, como fizeram recentemente com medida provisória tornando legal a retenção, pelas agencias de publicidade, dos bônus de volume, inclusive com efeitos retroativos e alcançando até mesmo os contratos liquidados. - Com isso, o governo tentou legalizar os contratos do mensalão e Lula colocou no Tribunal de Contas da União a Ana Arrais,que utilizou esse dispositivo ilegal e indecente, feito sob encomenda, e fez aprovar esses contratos - felizmente desconsiderados pelo STF durante o julgamento. 
* ( Claudio Humberto, Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi ) 

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Nenhum crédito ao PT.

Com o PT em transparente crise , eis que aparecem os amigos de sempre na mídia para enaltecer o partido e pintar um PT que só existiu na cartilha. Dizer, como afirmou Eugênio Bucci em seu artigo "O inferno astral da estrela branca" - (Estadão - A2 - 29/11)) que o PT foi o principal construtor do Estado de Direito por ter ajudado na derrubada da ditadura é de uma imprecisão histórica a que ele não tem direito .
A verdade é que em 1985 o PT votou contra Tancredo Neves , se recusou a assinar a Constituinte de 88, em 93 o PT recusou o convite do presidente Itamar Franco para participar de um governo de união nacional ;em 94 Itamar e seu ministro FHC lançam o Plano Real e o PT recusou-se a votar afirmando ser um plano eleitoreiro.
O PT foi contra a privatização da Vale do Rio Doce, da Embraer, das empresas telefônicas e hoje se sabe que é porque esperava que sob um governo petista tais empresas se transformassem em cabide de emprego de militantes como hoje acontece com a Petrobrás ...aliás, em declínio crescente. Fico preocupada quando vejo um jornalista e professor do calibre de Eugenio Bucci sofrer lapsos de memória deste tipo, e por outro lado , em tom lacrimejante lembrar a lenda de que quem costurou a primeira bandeira do PT foi dona Marisa Letícia...esquecendo que esta mesma senhora plantou flores nos jardins do Palácio do Alvorada formando o desenho da estrela branca com fundo vermelho, não atinando ela com o fato de que a residência onde morava pertencia e sempre pertencerá ao Estado Brasileiro e nunca ao PT.
*Texto por Mara Montezuma Assaf, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática

Uma mulher corajosa.

video
Depoimento de Wafa Sultan, socióloga Arabe-americana na TV Al-Jazeera (imperdível! que coragem...).
A mulher mais corajosa que já vi...e que grandes verdades falou, ao vivo!!! É nítido o constrangimento de seu colega jornalista e interlocutor.
Imperdível!
Será que ainda está viva????



terça-feira, 27 de novembro de 2012

Operação Porto Seguro mostra a proximidade de Lula e Rosemary.

Polícia Federal teria gravado também 122 telefonemas entre a ex-chefe de gabinete e Lula, de março a outubro de 2011 – uma média de cinco por dia.
(AE e Reuters)
Segundo PF, Rose e Lula se falavam ao telefone cerca de cinco vezes ao dia
 
A ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo indiciada por corrupção na Operação Porto Seguro, Rosemary Nóvoa de Noronha, afirmou, em e-mail interceptado pela Polícia Federal em março deste ano, que conversava "todos os dias" com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A mensagem foi enviada por Rose a Paulo Vieira, diretor afastado da Agência Nacional de Águas (ANA), apontado por investigadores como chefe de uma quadrilha que comprava pareceres técnicos de órgãos públicos para beneficiar empresas. Paulo foi afastado da função.
"Mandei uma notícia de ultima hora sobre a alta do PR (presidente da República) e vc nao falou nada... Tenho falado com ele todos os dias, agora ele já está voltando a política e logo vou resolver se fico no Gabinete" (sic), escreveu Rose a Paulo Vieira. A sigla PR é usada no Palácio do Planalto para identificar presidentes. O e-mail foi enviado em 29 de março, um dia depois que a equipe médica do Hospital Sírio-Libanês confirmou a remissão total de um tumor na laringe do ex-presidente. Na ocasião, Lula divulgou um vídeo em que dizia "voltar à vida política".
Telefonemas – A operação da Polícia Federal também teria gravado 122 telefonemas entre o ex-presidente e Rose entre março de 2011 e outubro deste ano, segundo reportagem publicada pelo jornal Metro. A média seria de cinco ligações por dia. A oposição cobrou explicações de Lula sobre a nomeação de Rose, e sobre os contatos entre ela e o ex-presidente. "Qual o motivo desses contatos, uma vez que ele não estava mais na Presidência?", indagou o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP).
A assessoria do Instituto Lula, que representa o ex-presidente, não se manifestou sobre o caso.
Os partidos também querem ouvir explicações dos diretores de agências nomeados por Rose. Os parlamentares ainda pedirão esclarecimentos ao advogado-geral da União, Luís Adams, sobre o envolvimento de seu subordinado José Weber Holanda, advogado-geral adjunto, no esquema.

*Veja.com e Estadão

Cadê tu, ó Cardozo?

Por onde anda o Zé Eduardo Cardozo, ministro da Justiça de Dilma Vana, nessas horas em que a Polícia Federal grampeia os telefonemas de Lula com Rosemary e desbarata uma gangue no escritório da Presidência da República em São Paulo? Ele também foi apunhalado pelas costas, ou não tem como controlar a Operação Eliot Ness dos nossos Intocáveis que querem aumento e não levam? Desse jeito vai deixar de ser "um dos três porquinhos da Dilma" já que anda mais perdido que cachorro que cai do caminhão de mudanças.(sanatóriodanoticia)
 

A profecia.


PCC festeja o retorno da "Tattoland​ia" em São Paulo.

Fernando Haddad (PT), prefeito recém-eleito, antes mesmo de sua posse já demonstra exatamente a que veio na cidade.
Num período quase que de guerra civil entra a Polícia de São Paulo e o PCC, o novo Prefeito coloca um dos ídolos da bandidagem num dos cargos mais rentáveis de seu Governo.
A nomeação de Jilmar Tatto para a Secretaria de Transportes é, além de um verdadeiro um tapa na cara da sociedade, uma afronta aos policiais da capital, que lutam diariamente contra o grupo defendido pelo petista.
É de conhecimento público que por intermédio do novo Secretário, quando ainda estava no Governo Marta Suplicy, que as Vans e Lotações de São Paulo passaram a ser comandadas por gente ligada ao PCC.
E estão, até hoje, na mesma situação.
Indiscutivelmente, é a fonte de renda mais lucrativa da criminalidade, a que proporciona compra de armas, drogas, políticos, entre outras necessidades básicas do “partido”.
Fala-se a boca pequena que Tatto recebeu R$ 500 mil à vista para facilitar a entrada do PCC no ramo das vans, e que receberia, até hoje, algum tipo de comissionamento.
Fora ainda desse impressionante e perigoso currículo, o novo secretário de Haddad, respondeu ainda a 15 inquéritos no MP por fraudes e irregularidades administrativas, o que, por si, já o desqualificariam para a função.
Nunca houve dúvidas entre as cabeças mais bem informadas de que Haddad, pelo seu perfil de subserviência, se prestaria aos joguetes da alta cúpula do PT, boa parte dela ligada aos mensaleiros.
Mas não há como qualificar o “crime” a ser cometido contra a população, que acaba de lhe dar voto de confiança, ao reintroduzir a “Tattolandia” em São Paulo.
Sem contar, além disso, que outro braço dessa gente, o “comunista” Netinho de Paula (PCdoB), também será agraciado com uma secretaria, abrindo vaga, então, na vereança, ao ex-Ministro dos Esportes, Orlando Silva Junior, recém demitido do Governo Federal por diversos indícios de corrupção.
Uma verdadeira farra do crime que se inicia na cidade mais importante do Brasil, e que, tudo indica, terá desdobramentos trágicos nos anos que estão por vir.
 
 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

O eterno "apunhalado".

 
  • “Eu me senti apunhalado pelas costas. Tenho muito orgulho do escritório da Presidência, onde eram feitos encontros com empresários para projetos de interesse do País”, acaba de declarar o ex-presidente Lula, segundo pessoas a ele ligadas, referindo-se à Operação Porto Seguro, que resultou na prisão de alguns membros do Governo e exoneração da chefe do gabinete do Escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa Noronha, a Rose, nomeada para o cargo pelo ex-presidente Lula, e mantida no cargo pela presidente Dilma Rousseff, a pedido de Lula, e do segundo na hierarquia da Advocacia-Geral da União (AGU), José Weber Holanda;
  • Outra vez essa ladainha? Será que o ex-presidente Lula continua achando que o povo é o mesmo de sete anos passados, que acreditou nele, quando deu entrevista fora do País, longe da imprensa local, desculpando-se do 'malfeito' praticado sob o comando de José Dirceu caracterizado como o 'Mensalão do PT' e que levou seu antigo chefe da Casa Civil a ser condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a mais de 10 anos de prisão, acompanhado de grande número de outros petistas e também de integrantes da 'base aliada' do Governo no Congresso e ainda banqueiros e empresários;
  • Já é tempo de Lula mudar o disco. Chega de desculpa esfarrapada! Não dá para acreditar que todas sujeiras praticadas por pessoas próximas de dele não são do seu conhecimento. Será que ele prefere fazer o papel de bobo da corte? Ou de boneco de ventríloquo? Seus 'companheiros' de confiança fazem o que bem querem nas suas barbas (quando ele ainda as tinha) e ele nada vê nem sabe? Não dá mais para enganar ninguém. Tudo não passa de um bem engendrado processo de despistar a opinião pública, coisa que deu muito certo há sete anos, mas que agora pode se transformar num autêntico tiro pela culatra, algo que já começa a se transparecer como na pesquisa feita nos últimos dias apontando Dilma Rousseff como favorita numa possível eleição para Presidente, com 28% de preferência, vindo Lula em segundo, com 19%, fato que nunca antes ocorrera.

domingo, 25 de novembro de 2012

Mais um crime de Zé dirceu.


O PT rasga a fantasia: “Negro filho da mãe! Negro traidor! Negro que não carrega bandeira! Negro vira-casaca! Negro ingrato! Negro negro!”

A questão sempre rondou as más consciências, era enunciada de modo oblíquo, falada nos cantos, nos becos, nas bocas, nas tocas — como diria o sambista… Era sugerida, mas jamais pronunciada. Ontem, finalmente, o ainda deputado João Paulo Cunha (PT-SP), condenado por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, rasgou a fantasia e o verbo, revelou o que realmente pensa o PT, deixou aflorar seu [do partido] racismo asqueroso e primitivo. Inconformado com a atuação do ministro Joaquim Barbosa, que assumiu nesta quinta a presidência do STF, Cunha mandou ver: “[Barbosa] Chegou [ao Supremo] porque era compromisso nosso, do PT e do Lula, de reparar um pedaço da injustiça histórica com os negros”.
Que nojo de João Paulo Cunha!
Já explico onde estava este senhor quando vomitou o racismo de seu partido. Quero me ater um pouquinho ao conteúdo de suas palavras porque elas provam, por A mais B, algumas considerações que andei fazendo neste blog, ao longo dos anos, sobre a questão racial.
No dia 11 de outubro de 2011, escrevi um texto sobre a relação que o PT mantém com as chamadas minorias. Lá se pode ler este trecho (em azul):
Será mesmo o PT um partido especialmente afeito à defesa das mulheres, dos negros, dos gays, dos direitos humanos – de grupos e temas, enfim, que seriam discriminados pela sociedade “reacionária”? Uma ova! Essa gente tem é um desprezo solene por todas essas causas e só as utiliza como instrumento de sua luta pelo poder. O PT defende, sim, o negro, desde que esse negro carregue a bandeira do partido – se não for assim, o sujeito é acusado de “preto de alma branca”. O PT defende, sim, a mulher, desde que ela carregue a bandeira do partido – se não for assim, ela é acusada de agente de machismo. O PT defende, sim, os gays, desde que o gay carregue a bandeira do partido; se não for assim, ele será acusado de bicha reacionária.
Bingo!
Pensemos na enormidade da fala de João Paulo, que representa o pensamento da ampla maioria do PT e de Lula — que também já andou cochichando essa ignomínia por aí em versos, trovas e palavrões, como é de seu hábito.
Na formulação petista, Joaquim Barbosa não chegou ao Supremo por seus méritos, mas porque é preto. Assim, quem o nomeou ministro foi a vontade de Lula, que lhe teria prestado, então, um favor, fazendo uma concessão a uma “raça” — afinal, sabem como é, o PT é contra as injustiças… Mais: por ser negro, Barbosa estaria impedido de julgar segundo os autos, as leis e a sua consciência. A cor da pele lhe imporia, logo à partida, um determinado conteúdo. É por isso, ministro Joaquim Barbosa, que critiquei tão duramente a resposta que Vossa Excelência deu a um repórter. Ainda que ele pudesse estar fazendo uma provocação, condicionar a visão de mundo das pessoas à cor de sua pele é manifestação do mundo das trevas intelectuais, que é de onde parte a fala de João Paulo.
Lula, o PT e os petistas esperavam um negro grato, de joelhos, beijando a mãos dos nhonhôs. Queriam um Joaquim Barbosa doce como uma negro forro, que se desfizesse em amabilidades com o seu ex-senhor e se sentisse feliz por ter sido um dos escolhidos da senzala para receber o galardão da liberdade. Em vez disso, o que se tem, na visão dos petistas, é um negro ingrato, que decidiu olhar a lei, não quem o nomeou; que decidiu se ater aos crimes cometidos pelos réus, não à cor de sua própria pele; que decidiu seguir as regras do estado democrático e de direito, não o projeto de poder de um partido.
Negro filho da mãe!
Negro traidor!
Negro que não carrega bandeira!
Negro vira-casaca!
Negro ingrato!
Negro negro!
Não é de hoje, certamente, que Barbosa recebe pressões. Agora entendo com mais precisão uma resposta que deu numa entrevista concedida à Folha em 2008:
“Engano pensar que sou uma pessoa que tem dificuldade de relacionamento, uma pessoa difícil. Eu sou uma pessoa altiva, independente e que diz tudo que quer. Se enganaram os que pensavam que, com a minha chegada ao Supremo Tribunal Federal, a Corte iria ter um negro submisso. Isso eu não sou e nunca fui desde a mais tenra idade. E tenho certeza de que é isso que desagrada a tanta gente. No Brasil, o que as pessoas esperam de um negro é exatamente esse comportamento subserviente, submisso. Isso eu combato com todas as armas.”
Voltemos a João Paulo e aos petistas. Assim como um escravo dependia da boa vontade de seu dono para obter a alforria, esses meliantes morais estão a dizer que Barbosa dependeu da boa vontade de Lula para ascender ao Supremo. Como ele ousa jogar a lei na cara daquele que tem a certeza de que lhe fez um favor e uma concessão?
Raramente um negro foi tão ofendido por um partido! Raramente os negros como um todo foram tratados com tanto desdém. Que desastre moral para boa parte dos movimentos negros, que certamente se calarão porque funcionam como esbirros do petismo! Este, se querem saber, é o pior de todos os racismos. A besta ao quadrado que sai por aí a vomitar injúrias raciais de modo explícito não é, ao menos, cínica. Os que cobram de um negro a fatura por tê-lo nomeado para a corte suprema do país — onde a única coisa decente a fazer é ser independente — deixam claro que usam as causas apenas como instrumento de poder.
O PT é craque nisso! Lembrem-se que campanhas eleitorais de Lula e de Dilma reuniram cotistas e bolsistas do ProUni — um programa federal, que não pertence ao governo, mas ao Estado — para que expressassem a sua gratidão a seus “benfeitores”, a seus “donos”, a seus nhonhôs… O país do PT não é aquele dos homens livres. O partido só entende a linguagem da ordem e do pau-mandado, como sabe o relator da CPI do Cachoeira, Odair Cunha (PT-MG), que entrega a redação do relatório ao comando de seu partido para que tente as suas vendetas.
Barbosa que se cuide! O ódio dessa gente não é pequeno. A qualquer momento a sua reputação pode ser alvo de um franco-atirador do mundo das denúncias.
Achincalhe da Justiça
João Paulo disse aquela enormidade numa “plenária” feita em Osasco para satanizar o STF e declarar a inocência dos mensaleiros, a que compareceram José Dirceu e José Genoino. Rui Falcão, presidente do PT, e os deputados Jilmar Tatto (SP), líder do PT na Câmara, e Arlindo Chinaglia (SP), líder do governo na Casa, faltaram.
Dirceu pregou abertamente o confronto com o Supremo. Mais do que isso: segundo entendi, quer o tribunal submetido a júri popular, à moda maoísta: segundo ele, o PT deve ir às ruas para “fazer o julgamento do julgamento”. Huuummm… Quanto mais trela lhe dá o jornalismo que lhe serve de porta-voz, mais valente ele fica. Daqui a pouco, o Marcola e o Fernandinho Beira-Mar também proporão formas de luta contra o Judiciário.
Dirceu deixou claro que não aceita as decisões da Justiça de seu país. Conclamou: “É preciso ir as ruas, discutir, debater o que esta acontecendo. Não aceitamos. Estamos revoltados e indignados e somos vítimas de um julgamento injusto”. É evidente que o homem ultrapassou a linha da crítica e do direito a manifestações. Está pregando abertamente a resistência a uma decisão da Justiça. E isso, como sabem, é crime!
*Por Reinaldo Azevedo

Um "poste" é sempre um poste.

Frieza com um homem que orgulha o Brasil

A foto de Dida Sampaio é mais que o registro do momento em que Dilma Rousseff, presidente da República há quase dois anos, cumprimentou o ministro Joaquim Barbosa, que acabara de assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal.
A imagem documenta a colisão frontal, consumada em estridente silêncio, entre um homem e uma mulher assaltados por sentimentos opostos e movidos por antagônicos estados de ânimo.
O chefe do Poder Judiciário está feliz, de bem com a vida. A chefe do Poder Executivo está contrafeita, nas fímbrias da amargura.
Joaquim Barbosa é o anfitrião de uma festa.
Dilma Rousseff é a convidada que nada tem a festejar.
Está lá por não ter conseguido livrar-se do convite.
Ele se sente em casa e pensa no que fará daqui por diante. Ela pensa no que ele fez e anda fazendo. E se sente obrigada a enviar um recado fisionômico ao padrinho e aos condenados no julgamento do mensalão: se pudesse, estaria longe dali.
Só ele sorri.
O sorriso contido informa que o ministro não é homem de exuberâncias e derramamentos.
Mas é um sorriso.
Os músculos faciais se distenderam, os dentes estão expostos, o movimento da pálpebra escavou rugas nas cercanias do olho esquerdo.
A presidente não sorri.
Abraços e beijos em quem não nos orgulha em nada
 
(O companheiro ministro Ricardo Lewandowski foi premiado com sorriso e dois ósculos).
Na foto, o que se vê no rosto da presidente é um esgar.
A musculatura contraída multiplica os vincos na face direita, junta os lábios num bico pronunciado e assimétrico, faz o olhar passar ao largo do homem à sua frente.
O descompasso das almas é sublinhado pelas mãos que não se apertam.
A dele ao menos se abre.
A dela, nem isso.
Dilma apenas toca Joaquim com a metade dos quatro dedos.

Ele a cumprimenta como quem acabou de chegar.
Ela esboça um cumprimento de quem não vê a hora de partir.

Conjugados, tais detalhes sugerem que, se Joaquim Barbosa sabe que chefia um dos três Poderes independentes e soberanos, Dilma Rousseff imagina chefiar um Poder que dá ordens aos outros.
Ela já deveria ter aprendido com o julgamento do mensalão que as coisas não são assim.
A maioria dos ministros é imune a esgares.
Ministros do STF que temem carrancas nem precisam vê-las para atender aos interesses do governo.
Não são juízes.
São companheiros.
Por enquanto, são dois.

sábado, 24 de novembro de 2012

Polícia Federal chega a porta da corrupção na Presidência da República.



 
''Entre os locais visitados pela Polícia Federal na operação Porto Seguro está o escritório da Presidência da República em São Paulo, que fica no 17.ª andar do prédio do Banco do Brasil, na avenida Paulista.

O alvo da apuração é Rosemary Nóvoa de Noronha, chefe de gabinete do escritório. A PF a acusa de corrupção ativa.
E quem é Rosemary? Eis o busílis. Trata-se de pessoa da mais absoluta e estrita confiança de… Luiz Inácio Lula da Silva. Poucos se lembram, mas a mulher integrou as comitivas do Apedeuta mundo afora e tinha, em seu governo, um razoável controle sobre nomeações para o segundo e terceiro escalões — incluindo as agências reguladoras. Uma delas, a de Águas, está sendo investigada agora.
E como é que Rose chegou a Lula? Tchan,tchan, tchan… Por intermédio de José Dirceu, de quem foi assessora por longos 12 anos. Rose conseguiu emplacar o próprio marido, José Cláudio de Noronha, na assessoria especial da Infraero, em São Paulo.
Quando estourou o escândalo dos cartões corporativos, descobriu-se que Rosemary era uma das funcionárias com direito a “gastos secretos”, como se, sei lá, operasse com questões que dissessem respeito à segurança nacional…
Chegou ao topo pelas mãos de Dirceu e lá foi mantida na cota pessoal de Lula.
*Por Reinaldo Azevedo

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Para os comunas que criticam privatizações e concessões.

Este homem sabe muito sobre as falctruas do Pt e companhia
Esse saco tem fundo?
O principal beneficiado com os pedágios em todo o Brasil chama-se Sérgio Andrade, primo Marília Andrade, também herdeira milionária do império Andrade Gutierrez, que foi casada com Luis Favre em 1980, além de custear na época a estadia de Lurian, a filha de Lula, em Paris. Luis Favre naquela época era diretor da seção trotisquista de Paris e se indispôs ideologicamente com seus correligionários ao defender o oportunismo político, dissolver a corrente libelú para favorecer o controle do PT centralizado ferreamente nas mãos do grupo de Lula. A partir de então ele passou a ser um conselheiro do PT e muito tempo depois viria a se casar com Marta Suplicy. Aliás todas as 5 mulheres do revoluvionário Luis Favre foram mulheres ricas e da alta sociedade local.
Favre teria usado Marta para se aproximar do PT e ganhar mais grana
Graças a esse livre transito na família Lula, Sérgio Lins Andrade pasou a ser não só o rei da cocada dos pedágios como também abocanhou uma boa fatia do mercado das Teles, tomando de Geireissatti o controle da Oi. E também por coincidência a Oi acaba de doar 300.000 reais para Bia, neta de Lula, montar a peça, a megera domada de Shakespeare (que talento).
Mundo pequeno esse.
Portanto, quando um petista se queixar de pedágio deve dar nome aos principais bois do curral:
Sérgio Lins Andrade, Marília Andrade, Luis Favre, Lurian, Lula, Bia, Marta Suplicy, Libelú, PT.
Eles estão lá no fundo do saco.
*Francisco José , por e-mail,via Grupo Resistência Democrática.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

E não é piada...


A Comissão de Educação e Cultura da Câmara, presidida pelo deputado Newton Lima ( PT-SP) concede o prêmio Darcy Ribeiro a Lula.
Segundo o presidente da Câmara: “Lula investiu na ampliação dos recursos da Educação e colocou em funcionamento um conjunto considerável de programas, tais como a ampliação do número de creches, a multiplicação das oportunidades tanto na escola técnica quanto no ensino superior, a recriação do Fundeb, entre outras dezenas de medidas”, justificou o petralha..........Newton Lima.
A arte do humorismo está perdendo um cômico de futuro!!!

Aluno do Haddad.


quarta-feira, 21 de novembro de 2012

As contradições de Zé Dirceu.


Falso discurso
Em discurso na Câmara (16/10/2001), o deputado paulista do PT José Dirceu combateu, sem apartes, a corrupção no Congresso, em especial no Senado. Tal pronunciamento foi-me dado por um colega da Câmara, que me enviou, agora, as notas taquigráficas do discurso.
Dirceu iniciou pela cassação do senador Luiz Estevão, devido ao contrato irregular de obras no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, de R$ 468 milhões. Tratou da renúncia dos senadores Antonio Carlos Magalhães e José Roberto Arruda, por violarem o segredo da votação dessa matéria e, depois, contou, como disse, a novela do senador Jader Barbalho.
"Tais senadores" — disse Dirceu — "violaram os preceitos éticos. É o fim de uma era, de uma forma de fazer da elite política. Esta vem comandando a coalizão que governa o Brasil nos últimos 20 anos."
"Como foi possível eleger Luiz Estevão? O PMDB ignorava quem era ele? Há quantos anos Jader Barbalho enriquece ilicitamente? É a primeira vez que ACM faz o que fez no Senado ou o Brasil ignora o que ele fez na Bahia? O senador Arruda já havia sido denunciado no primeiro governo Roriz e eram graves as acusações."
"Qual é o retrato do Senado, hoje? A incrível eleição de Ramez Tebet, para presidi-lo, mas sem fazê-lo funcionar, apesar dos protestos da oposição, que exige obediência ao regimento interno do Congresso Nacional. A Câmara, a Voz do Povo, é que precisa de mais poder."
"O problema está nos partidos e nas elites políticas, que convivem com a corrupção. O sistema precisa de reforma política institucional. Os eleitores e a cidadania devem pressionar neste sentido e derrotar, em 2002, a coalizão conservadora (PSDB, PFL e PMDB), que governa desde 1985. A decadência dos costumes políticos aumentou a corrupção e a impunidade, ambas de responsabilidade da maioria conservadora."
E termina: "A nova maioria de partidos da oposição (2001) garante a reforma política institucional. Os candidatos devem comprometer-se com a democracia, a ética e contra a corrupção".
Para o ex-ministro Mangabeira Unger, "o mensalão foi o maior escândalo da História do Brasil". Em 2007, ele pediu o impeachment de Lula. Mas, disso, deputado José Dirceu, só o chefão é responsável.

Um novo socialismo substituin​do o comunismo.

 O comunismo na forma antiga terminou, foi uma utopia que fracassou. Veja o que estão planejando para o mundo e que já está se tornando concreto no Brasil, o programa do PT (*) assumir o poder permanente através de um partido nacional, as ações de parte de nosso Congresso, os politicamente corretos, a lei de homofobia, proteção aos gays, divisão brancos e negros, divisão homens e mulheres, índios e brancos, defender minorias e excluídos, etc., faz parte da nova investida. Pense nisso e divulgue.
(*) motivo de muitos ilustres estarem deixando o PT

Lewandowski e os camarões.

Vejam a "capacidade" de avaliação do ministro "amigo" dos petralhas. Condenou um pescador que "pescou" 12 camarões na época do defeso mas INOCENTOU os petralhas do mensalão. Incrível, não?
Acreditem, é o mesmo Magistrado. Parece mentira, mas é verdade!!!
É o mesmo Lewandowski que inocentou João Paulo Cunha. Demonstrando a dureza de seus votos quando não se trata dos Petralhas, negou, como relator do caso, um Habeas Corpus a um pescador condenado a
um ano e dois meses de prisão por pescar 12 camarões em época de defeso.
Vejam a diferença de tratamento:
Tudo por causa de uma dúzia de camarões
Chega ao STF um "crime ambiental" contra catarinense que pescou durante a "época do defeso".

Nem só de mensalão vive o STF. Anteontem (21) à tarde, os ministros participaram de julgamentos das turmas do tribunal, examinando casos prosaicos. Na 2ª Turma do STF, coube ao ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo do mensalão, proferir "votos duros".
Na pauta estava o caso de um homem condenado por ter pescado 12 camarões com uma rede irregular, em época de defeso, na Baía de Babitonga, em Santa Catarina. O pedido de habeas corpus foi feito pela Defensoria Pública da União, em Joinville.Relator do caso, Lewandowski admitiu que, possivelmente, seria vencido pelos colegas, mas quis expor seu ponto de vista.
"A rede tinha uma malha finíssima, a pena é razoável, e há antecedentes" - disse o ministro, ressaltando a importância das leis ambientais para a vida no planeta e defendendo que o pescador cumprisse a pena.A sentença estabeleceu um ano e dois meses de detenção; depois, ela foi reduzida pelo TJ-SC para uma pena restritiva de direitos.

O ministro Cezar Peluso enrugou a testa, fez um sinal negativo com a cabeça, e proclamou seu voto em seguida. "Ah, não, com 12 camarões, não" - disse ele, favorável ao pedido de habeas corpus.

Gilmar Mendes concordou com Peluso, e, assim, o pescador será solto. No pedido, o defensor público diz que é despropositada a afirmação de que a retirada de uma dúzia de camarões seja suficiente para desestabilizar o ecossistema.
E vencido ficou o Lewandowski, grande amigo dos Petralhas, que absolve um político corrupto mas condena um pescador por doze camarões.
*Texto por Ligia Costa Tavares - Advogada - por e-mail via Grupo Resistência Democrática.



terça-feira, 20 de novembro de 2012

Mulheres negras são maioria entre jovens que não trabalham nem estudam.

Foto: parananoticias.com.br
Mulheres pretas, pardas e indígenas são a maioria entre os 5,3 milhões de jovens de 18 a 25 anos que não trabalham nem estudam no país, a chamada “geração nem nem”. Cruzamento de dados inédito feito pelo Iesp (Instituto de Estudos Sociais e Políticos) da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), a pedido da Agência Brasil, revela que elas somam 2,2 milhões, ou seja, 41,5% desse grupo. Do total de jovens brasileiros nessa faixa etária (27,3 milhões), as negras e indígenas representam 8% - enquanto as brancas na mesma situação chegam a 5% (1,3 milhão).
Para o coordenador do levantamento, Adalberto Cardoso, que fez a pesquisa com base nos dados do Censo 2010, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), várias razões explicam o abandono da educação formal e do mercado de trabalho por jovens. Entre elas, o casamento e a necessidade de começar a trabalhar cedo para sustentar a família. Cerca de 70% dos jovens “nem nem” estão entre os 40% mais pobres do país. A gravidez precoce é o principal motivo do abandono, uma vez que mais da metade das jovens nessa situação têm filhos.
É o caso de Elma Luiza Celestina, 24 anos, moradora da Estrutural, na periferia de Brasília. A jovem deixou de estudar aos 16 anos, com o nascimento do primeiro filho. Ela continuou frequentando as aulas até terminar o 6o ano do ensino fundamental, mas engravidou novamente meses depois. Com isso, precisou adiar a volta às salas de aula. Desde então, dedica-se quase exclusivamente aos filhos, conseguindo, raramente, alguns bicos como faxineira. Há sete meses, no entanto, quando o terceiro filho nasceu, não assume nenhum compromisso profissional e vive com dificuldade financeira.
“Como só tenho o 6º ano, não conseguia coisa muito boa, que ganhasse um bom dinheiro. Era mais para fazer faxina mesmo. Mas, agora, não tenho como [trabalhar]. Com três filhos é difícil sair para fazer qualquer coisa.”
Elma vive apenas com a ajuda da mãe, 57 anos, para sustentar as três crianças. Os dois ex-maridos estão presos e não podem reforçar a renda da casa. “O problema é que agora ela [minha mãe] também não está podendo trabalhar, porque está com problema no joelho. E, sem a ajuda dos pais das crianças, está bem difícil”, conta a jovem que não consegue fazer planos para o futuro.
“Se eu quiser coisa melhor, tenho que voltar a estudar, mas não sei se vou conseguir, porque com esses filhos todos como vou fazer?”, disse. Ela acredita que engravidou cedo por falta de orientação familiar. “Minha mãe não sabe nem escrever, não tinha como me orientar. Eu acabei engravidando, não me cuidei e engravidei de novo.”
A gravidez na adolescência também levou Lucineide Apolinário a abandonar os estudos. Aos 25 anos, a moradora da Estrutural está grávida do quarto filho e, sem ter com quem deixar as crianças, desistiu de trabalhar. O atual marido, que é pai apenas do bebê que ainda vai nascer, é ajudante de obras e, mesmo sem ter emprego fixo, assume sozinho as despesas da casa. O primeiro marido morreu há cerca de dois anos. A jovem cursou até a 7º ano do ensino fundamental e lamenta o casamento e a gravidez precoces.
“Parei de estudar por causa das crianças. Casei aos 15 anos, arrumei filho muito cedo e veio um atrás do outro. Estava apaixonada, era ilusão de adolescente. O problema é que sobra muito para a mulher. A gente tem que se dividir em mil para dar conta dos filhos e da casa e não consegue pensar na gente”, diz.
Enquanto se prepara para dar à luz a mais um menino nos próximos dias, Lucineide diz que sonha em retomar os estudos “algum dia”. Ela espera que os filhos tenham uma história diferente da sua.
“Ainda vai demorar um pouco, mas algum dia eu volto a estudar. Para conseguir um emprego melhor tem que estar pelo menos no 1º ano [do ensino médio] e eu quero voltar a trabalhar para poder dar um futuro melhor para os meus filhos, uma história bem diferente da minha”, diz.
Moradora do Morro do Juramento, na zona norte do Rio de Janeiro, Jéssica Regina Martelo, 22 anos, parou de estudar no 6º ano, quando passou a achar a escola menos interessante do que a vida real. A jovem conta que “era chato” ir à escola e que preferia ficar com as amigas. Órfã de pai e mãe, ela foi criada pelas irmãs e teve a primeira filha aos 17 anos. Envolvido com o tráfico, o companheiro morreu assassinado logo depois do nascimento da menina. Como não pôde contar com o apoio do pai da criança, acabou tendo que trabalhar para se sustentar.
Aos 19 anos, Jéssica teve a segunda filha, da união com Jony Felipe Coli, 24 anos, que também não estuda e já tinha dois filhos ao conhecê-la. Ele também não tem emprego formal tampouco estuda, embora cuide dos filhos do relacionamento anterior e que agora fazem parte da nova família. Para sustentar a casa, Jéssica faz bico. “Prefiro ser manicure por conta própria porque tenho mais tempo para cuidar das meninas e o dinheiro fica comigo e com elas, não com o salão.”
Além da gravidez, outro fator de peso para o abandono da escola, segundo o pesquisador da Uerj, é a falta de perspectiva de vida de jovens pretos, pardos e indígenas, maioria nas escolas públicas, em geral, de menor qualidade. Ele acredita que o estímulo à educação é fundamental para mudar a realidade desse grupo.
“Uma coisa perversa no sistema educacional do Brasil é o fato de pessoas deixarem a escola porque não têm a perspectiva de chegar ao ensino superior”, diz. “As ações afirmativas são importantes por isso. Têm o efeito de alimentar aspirações de pessoas que viam a universidade como uma barreira, mas que vão se sentir estimuladas a permanecer no ensino”, destaca.
Ao analisar os dados do levantamento, a professora da Universidade Federal da Bahia (UFBA) Rosângela Araújo diz que é preciso entender o que está por trás do comportamento das meninas. “Não é falta de informação. Tenho certeza de que a maioria conhece um preservativo. Mas tem uma questão da mudança de status, de menina para mulher. Elas podem não ver [o abandono escolar] como um passo atrás, mas no futuro, pode pesar.”
Segundo o levantamento, embora a taxa de jovens da “geração nem nem” no Brasil seja considerada alta (19,5% do total de pessoas de 18 a 25 anos), o índice não está distante do verificado em países com características demográficas semelhantes onde é comum que a mulher deixe de trabalhar e estudar para se casar. É o caso da Turquia e do México, segundo estudos da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), citados pelo pesquisador da Uerj.
A pesquisa também identificou entre os “nem nem” jovens com deficiência física grave e os que saíram da faculdade, mas ainda não estão empregados. Os dados completos constam do estudo Juventude, Desigualdade e o Futuro do Rio de Janeiro, financiado pela Faperj (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) e deve ter um capítulo publicado em 2013.
*Fonte: estadão

Marcos Valério e o Mensalão: O Okamoto era o contato ele.



Confissões de Marcos Valério à VEJA:
MEU CONTATO ERA O OKAMOTO - Marcos Valério tinha um pacto com o PT, e Paulo Okamoto [tesoureiro informal da família Lula, ex-presidente do Sebrae e atual assessor de Lula no instituto que ele comanda] era o fiador desse pacto. "O papel dele era me acalmar", explica Valério. O empresário conta que conheceu Okamoto na véspera do seu primeiro depoimento à CPI que investigava o mensalão. "A conversa foi na casa de uma funcionária minha. Era para dizer que eu não devia falar na CPI", relembra. O pedido era óbvio. Okamoto queria evitar que Valério implicasse Lula no escândalo. Deu certo durante muito tempo.
Em troca do silêncio de Valério, o PT, por intermédio de Okamoto, prometia dinheiro e proteção. A relação se tornaria duradoura, mas nunca foi pacífica. (...) Quando Valério foi preso pela primeira vez, sua mulher viajou a São Paulo com a filha para falar com Okamoto. Renilda Santiago queria que o assessor de Lula desse um jeito de tirar seu marido da cadeia. Disse que ele estava preso injustamente e que o PT precisava resolver a situação. A reação de Okamoto causa revolta até hoje em Valério. "Ele deu um safanão na minha esposa. Ela foi correndo para o banheiro, chorando.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Deuses e demônios.


 A condenação do ex-ministro José Dirceu a uma pena que implica regime de prisão fechada desencadeou uma onda de protestos por parte dos seus seguidores que está revelando os instintos mais perversos de um grupo político radicalizado, que se vê de repente atingido por uma mancha moral de que dificilmente se livrará na História.

Além do território da internet, onde tudo é permitido e muitos espaços pagos para uma propaganda política ignóbil, lê-se na imprensa tradicional, que os petistas tentam desqualificar, mas à qual recorrem para dar legitimidade às suas teses, ora que é preciso rever a pena dada a Dirceu por corrupção ativa e formação de quadrilha porque nesse último item houve uma suposta divisão do plenário do STF, ora que os juízes do Supremo não têm estatura moral para condenar um herói nacional, que colocou a vida em risco na luta pela democracia.

Ou que a condenação de Dirceu, Genoino e Delúbio não significa que os poderosos estão sendo alcançados pela Justiça, pois eles não seriam tão poderosos assim.

Fora a patética tentativa de transformar os membros do núcleo político petista em meros mequetrefes, ou simples ladrões sem intenções políticas de controlar o Congresso, é espantoso que tentem ainda agora, depois de mais de três meses em que foram revelados os detalhes do golpe armado de dentro do Palácio do Planalto, fazer de Dirceu um herói nacional, intocável por seu passado político de resistência à ditadura.

Um conhecido intelectual orgânico petista teve o desplante de escrever que enquanto Dirceu lutava contra a ditadura, os ministros do STF viviam suas vidas burguesas à sombra do governo ditatorial, seguindo uma vidinha medíocre que acabou levando-os ao Supremo.

Outro, citando um artigo do historiador Keneth Maxwell, comparando o julgamento do mensalão ao dos inconfidentes pela Alçada criada por d. Maria, assumiu a absurda comparação como fato.

Maxwell escreveu que “os membros da Alçada estavam sujeitos a influências externas — em um caso, inclusive, pelo pagamento de um grande suborno em ouro. Ao final, Tiradentes foi sacrificado.

E, se por acaso os processos da Alçada começam a lhe parecer estranhamente semelhantes com o mensalão, isso não deveria causar surpresa: de fato, são.

Algumas coisas nunca mudam”.

No espírito de endeusamento que começa a se revelar entre os petistas, podem querer comparar Dirceu a Tiradentes quando, como bem destacou o historiador José Murilo de Carvalho em recente entrevista ao Estado de S. Paulo, “o que está em julgamento no mensalão não é Tiradentes, mas dona Maria I, não são os rebeldes, mas a tradição absolutista da impunidade dos poderosos”.

Historiadores e intelectuais enviaram mensagens a Maxwell rebatendo a esdrúxula tese.

Com relação à condenação de Dirceu por formação de quadrilha, de fato houve quatro votos contrários — dos indefectíveis ministros Dias Toffolli e Lewandowski e mais as ministras Cármem Lúcia e Rosa Weber —, o que permitirá embargo infringente.

Mas não houve uma divisão do plenário, e sim uma maioria condenatória.

As tentativas de desmoralizar o Supremo Tribunal Federal, de maneira institucional através de nota oficial do PT, ou de pronunciamentos de elementos isolados ligados ao partido, são demonstrações de que um movimento político de tendência totalitária, vendo-se denunciado em suas ações antidemocráticas, busca reverter o quadro negativo demonizando seus condenadores e endeusando os condenados.

Mais uma vez colocam os interesses partidários acima dos da democracia, e a reação causada pela condenação do “chefe da quadrilha” José Dirceu reforça apenas que ele era mesmo quem detinha “o domínio do fato”, como parece dominar até este momento, sendo capaz de mobilizar seguidores para tentativa de desqualificar o Poder Judiciário do país.

O ministro Joaquim Barbosa não inovou, nem deu demonstração de não seguir a tradição, ao escolher o ministro Luiz Fux para saudá-lo em sua posse, em vez do decano ministro Celso de Mello.

Não há regra, nem força de tradição, que faça relação direta entre o orador da posse do novo presidente ser o decano da corte.

É uma escolha livre e pessoal do presidente.
* Por Merval Pereira, em O Globo
 

Um homem que ainda circula impunemente.

O maior embuste da política brasileira
O homem que esteve à frente desta nação e não teve coragem, nem competência, nem vontade para implantar reforma alguma neste país, pois as reformas tributárias e trabalhistas nunca saíram do papel, e a educação, a saúde e a segurança ficaram piores do que nunca.
O homem que mais teve amigos safados e aliados envolvidos, da cueca ao pescoço, em corrupção e roubalheira, gastando com os cartões corporativos e dentro de todos os tipos de esquemas.
O homem que conseguiu inchar o Estado brasileiro e as empresas estatais com tantos e tantos funcionários, tão vagabundos quanto ele, e ainda assim fazê-lo funcionar pior do que antes.

O homem que tem uma mulher medíocre, inútil, vulgar e gastadeira, que usava, indevidamente e desbragadamente, um cartão corporativo, ao qual ela não tinha direito constitucional, que ia de avião presidencial para São Paulo "fazer escova" no cabelo e retornar a Brasília. O homem que ajudou seu filho a enriquecer, tornando-o milionário do dia para a noite, sem esforço próprio algum, só às custas de conchavos com empresas interessadas em mamar nas “tetas” do governo. E depois ainda disse para a nação que “esse garoto é um fenômeno”, e lhe concedeu um passaporte diplomático.

O homem que mais viajou inutilmente, quando presidente deste país, comprando um avião caríssimo só para viajar pelo mundo e hospedar-se às custas da nação brasileira nos mais caros hotéis, tão futilmente e às custas dos impostos que extorquiu do povo.

O homem que aceitou passivamente todas as ações e humilhações contra o Brasil e contra os brasileiros diante da Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai.

O homem que, perdulária e irresponsavelmente, e debochando da nossa inteligência, perdoou dívidas de países também corruptos, cujos mandatários são “esquerdistas”, e enviou dinheiro a título de doação para eles, esquecendo-se que no Brasil também temos miseráveis, carentes de bons hospitais, de escolas decentes, de um lugardigno para viver.

O homem que, por tudo isso e mais um elenco de coisas imorais e absurdas, transformou este país num chiqueiro libertino e sem futuro para quem não está no seu "grande esquema".
O homem que transformou o Brasil em abrigo de marginais internacionais , FARC'anos etc, negando-se, por exemplo, a extraditar um criminoso vagabundo, para um país democrático que o julgou e condenou democraticamente.Você representa o que mais nos envergonha pelo Mundo afora ...!!!
O homem que transformou corruptos e bandidos do passado em aliados de primeira linha.


O homem que transformou o Brasil num país de parasitas e vagabundos, com o Bolsa-Família, com o repasse sem limite de recursos ao MST, o maior latifúndio improdutivo do mundo e abrigo de bandidos e vagabundos e que manipulam alguns ingênuos e verdadeiros colonos.
Para se justificar a estes novos vagabundos, o homem lhes afirma ser desnecessário ESTUDAR e que, para se dar bem neste País, basta ser vagabundo, safado, esquerdista e esperto. Aliás, neste caso, o homem fez inverter uma das mais importantes Leis da Física, que é a Lei da Atração e repulsão; significa que força de idênticos sinais se repelem e as de sinais contrários se atraem". Mas esse homem inventou que forças do mesmo sinal se atraem. Por exemplo: ele (o homem) atrai, para sua base, políticos como SARNEY, COLLOR, RENAN... que ficaram amiguinhos de seus comparsas JOSÉ DIRCEU, GENOÍNO, GUSHIKEN, e ainda agregaram o apoio de juristas como LEWANDOVSKI, TOFOLI, etc ...

É, homem... Você é o cara... é o cara-de-pau mais descarado que o Brasil já conheceu.

Você é o homem que deveria apanhar na cara, porque envergonha todo brasileiro honesto e trabalhador." É, homem, você é o cara... é o cara que não tem um pingo de vergonha na cara, não tem escrúpulos, é "o cara" mais nocivo que tivemos a infelicidade de ter como presidente do Brasil!
Mas ...como diz o velho ditado popular: NÃO HÁ MAL QUE SEMPRE DURE ...
*Texto por Caio Lucas Macedo, Advogado-OAB 4536-SPBR, via Grupo Resistência Democrática

MPF investiga se BMG doa R$ 300 mil por mês ao PT.

O Ministério Público Federal investiga se é a real o informe de que o Banco BMG faz doações mensais de R$ 300 mil reais ao Partido dos Trabalhadores. A instituição, que chegou a ser citada no processo do Mensalão, também é apontada como financiadora das viagens para palestras promovidas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O banco mineiro – que cobra um dos juros mais altos do mercado - seria um dos patrocinadores do Instituto Lula.
 
A Polícia Federal já investigou as operações de lavagem de dinheiro do mensalão envolvendo o BMG. Investigações também do Banco Central, da CPI dos Correios e da Procuradoria-Geral da República identificaram irregularidades nos empréstimos feitos pelo BMG ao Partido dos Trabalhadores, via esquema de Marcos Valério. Laudo da PF confirmou: “Restou comprovado que os empréstimos concedidos ao PT e às empresas de Valério foram aprovados pela diretoria sem observância de normas do Banco Central nem tampouco das normas internas do banco”.
*Texto por Jorge Serrão