quinta-feira, 14 de abril de 2016

A verdade de Pasadena e Dilma.

https://4.bp.blogspot.com/-fWWF-xnbsT4/Vv2uuQhNV3I/AAAAAAAA_dU/lhPzJDq_3-cBrDphEVd8-ukLmG4tw-JAw/s320/otavio.jpeg
Otávio Cintra em foto de Marcelo Trabach, via Veja.
Chico Buarque, hoje, repetiu um mantra mentiroso que a organização criminosa lulopetista costuma usar: "Ninguém pode questionar a integridade de Dilma". Esta reportagem demonstra que pode e deve.
Nesta entrevista exclusiva que concedeu para a revista veja, o gerente da Petrobras contou que mandou avisar Dilma da compra superfaturada de Pasadena. 'ela sabia da roubalheira, porque eu mesmo contei, mas nao fez nada", disse o engenheiro. De 2003 a 2005, Otávio Pessoa Cintra ocupou o cargo de gerente da Petrobras América, no Texas, EUA. Ali, ele teve contato com o escândalo que está na origem de tudo e garante que avisou seus superiores na ocasião. 
Leia a reportagem completa:
Sua identidade nunca foi revelada, mas ele está no melhor lado da Lava Jato. Como informante, ajudou a Polícia Federal a dar os primeiros passos para desvendar o esquema de corrupção na Petrobras. Seu nome é Otávio Pessoa Cintra. Ele é engenheiro, tem 55 anos e é funcionário da estatal há 30 anos. De 2003 a 2005, Cintra ocupou o cargo de gerente da Petrobras América, braço da estatal no exterior, com sede em Houston, no Texas, Estados Unidos. Ali, ele teve contato com o escândalo que está na origem de tudo: a compra, altamente superfaturada, da refinaria de Pasadena, também em Houston. Em entrevista a VEJA, Cintra garante: "Pasadena era um projeto secreto". A história de Cintra mostra como um funcionário da estatal teve acesso a informações comprometedoras e tentou, sem sucesso, alertar seus superiores para o que estava acontecendo. Ele conta que mandou recado para a então ministra Dilma Rousseff na época. E soube, há dois anos, que seu recado chegou à destinatária. "Tomei conhecimento em 2014 que Dilma sabia de tudo."
(...)
A seguir, os principais trechos de sua entrevista a VEJA:
"PROJETO SECRETO"
Como o senhor ficou sabendo da compra de Pasadena pela Petrobras? Eu era commercial manager da Petrobras América. Estava em 2005 nos Estados Unidos e vi essa movimentação das pessoas fazendo viagens pelos EUA, passavam pela Petrobras America. E nós, o comercial da companhia, não éramos ouvidos sobre o negócio. Tínhamos que ser ouvidos. E por que isso não acontecia? Porque Pasadena era um "projeto secreto" . Por isso não envolvia a gente. Vi que estavam comprando Pasadena quase clandestinamente.
Na época, como gerente, o senhor não fez nada para impedir o golpe? Ainda em 2005, fui ao presidente da Petrobras America, o Renato Bertani, meu chefe. Disse a ele que não fazia sentido comprar Pasadena, ainda mais por aquele valor absurdo.
CLIQUE AQUI para ler tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário